10 de fev de 2013

MIGUEL FALABELLA: DINHEIRO É COMO ESTERCO...

Acordei tarde hoje. Nove da matina. Liguei a tv, para ver se ainda pegava o Sarau, do Chico Pinheiro, e dei de cara com o Miguel Falabella, comentando sua vida e obra. Falou de "Alô, Dolly!", peça que está em cartaz, dirigida por ele, e na qual contracena com Marília Pera. Comentou, filosoficamente: "O dinheiro é como o esterco. Ou serve para adubar a terra e fazer surgir coisas novas ou é apenas bosta de vaca". Explicou que se sente muito feliz quando seu trabalho gera empregos. Fui procurar na rede e achei: "Dinheiro é como esterco. Tem que ser espalhado para não cheirar mal", frase atribuída a Francis Bacon, na página "Quem disse" (http://www.quemdisse.com.br/frase.asp?frase=96737). É óbvio que Miguel Falabella não deixaria de introduzir aí algum caco. O resultado é um conceito muito bem humorado sobre o acumular dinheiro, por acumular, principalmente.
Outra preciosidade que ouvi de Miguel Falabella: disse que escreve pela manhã, que começa às 6 horas, todos os dias; que quem quer ser escritor tem de escrever todos os dias; que um ator não pode depender de eventual inspiração para uma boa performance, tem de praticar todos os dias, para poder atuar bem todos os dias. Questão de disciplina. Penso que o teatro deveria ser objeto de estudo pelos administradores e pelos doutrinadores na área da administração. Vi muito pouca gente falar sobre disciplina. A palavra, em si, incomoda e muito. Mas deve ser estudada com atenção. Tive uma experiência, participando de um festival de teatro (a Maria Célia deu-me uma oportunidade de palco, para fazer um cantador; nem me passa pela cabeça repetir a experiência, sou um fracasso nisto). Penso nunca ter visto um grau tão elevado de disciplina, não imposta. Todos cumpriam religiosamente a rotina estafante: duas oficinas pela manhã, duas à tarde, uma peça à noite, mais uma peça infantil, no sábado à tarde, sempre seguidas de reunião de autores, atores, diretores e platéia, para discutir a apresentação. Aprendi muito em termos de disciplina e nada em técnica de ator, oficina que freqüentei sem sucesso. Não levo jeito. Valeu muito, assim mesmo.

Imagem: Blog MAIS TEATRO
http://maisteatro.blogspot.com.br/