31 de mar de 2014

AONDE ESTÁ AQUELA MANIA DE GRANDEZA?

Pois é. O Ituano foi à final do campeonato paulista. Bacana ver um interiorano lá, deixando para trás os pequenos, os médios e os grandes. A polêmica fica por conta da determinação da Federação Paulista de Futebol para que os dois jogos da final sejam realizados no Estádio do Pacaembu.
Ouvi do Juninho, que dirige o Ituano, que o estádio em Itu tem capacidade para dezoito mil espectadores mas, por questão de necessidade de reforma em uma parte (ou coisa que o valha), a capacidade fica reduzida para oito mil.
Uai! Mas não é Itu a cidade onde tudo é grandão?!!!!!!













Fotos: Rafaela e Manuela's Blog
http://rafaemanu.wordpress.com/2009/05/18/itu-terra-dos-gigantes/

HUMANOS VOADORES E SEUS PARAGLAIDER COLORIDOS EM PASSA QUATRO - MINAS GERAIS

Há dias em que o céu de Passa Quatro, mesmo que esteja nublado, ajuda a compor a paisagem já maravilhosa. É quando humanos voadores, que não admitem prender-se ao rés do chão, enfeitam o solo e o céu com seus paraglaiders coloridos.















Comer bem em Passa Quatro: Restaurante Villa Comini




FOLGADO EU?????????!!!!!!!!!!!!!!!!!







Estava em Ribeirão Preto, esperando minha mulher para o almoço. Era uma esquina aonde há uma banca de jornais. Cheguei-me a uma lateral e passei a olhar exemplares expostos. Foi quando se aproximou um tipo que só vi de relance, às minhas costas. Chamou-me a atenção por causa do colorido um pouco mais vivo das roupas. Comecei a ficar incomodado, porque o desconhecido mexia-se muito, passando a impressão de que minha posição na banca o incomodava. Afastei-me. Foi o bastante para o cara aproximar-se, pegar um jornal, puxar uma cadeira, assentar-se e começar a ler. Deu para ver que pesquisava os classificados. Depois, eu é que sou folgado!!!!!!!!






30 de mar de 2014

MARCO COMINI TAMBÉM QUER SER POETA

PRINCÍPIO E FIM


Andei, sim! E muito andei
Por tudo que é viela,
rua, aldeia,
buscando a lua crescente.
Pude ver que só mente
Com promessas de lua cheia.






                                    





                                    Seguindo o plenilúnio,
                                     senti o infortúnio
                                     de brutal paixão
                                     brotada em meu peito.













Foi quando me vi diante
da lua minguante.
E, nesse instante,
achei de parar na nova,
que sempre se renova
em Princípio e Fim.













Fotos: o autor.

FUTEBOL TEM CADA UMA...

CAPA DO LIVRO
É o título de um livro que comprei em sebo, há mais de dez anos, autoria de Armando M. Graça. Mal conservado. Mas contém um tanto de folclore do futebol. Sempre o folheio, para ler algo que me escapou, ou para reler algum item, para saborear o que já me havia agradado. Vamos a uma de suas crônicas, , como no original, preservando a ortografia da época.

"DESPACHANDO"...

No dia 8 de junho de 1968, véspera do jôgo decisivo entre o Botafogo de Futebol e Regatas e o Clube de Regatas Vasco da Gama, pelo Campeonato carioca, entre as várias providências adotadas por ambas as partes, pela Polícia e pela ADEG, um jornal anunciava:
"Uma guerra particular deverá ser travada domingo, pela manhã, nos vestiários do Botafogo e do Vasco, quando o roupeiro Aloísio pelo time alvi-negro, e o enfermeiro Sérgio, pela equipe vascaína, iniciarão, bem cedo, os seus "trabalhos" para a realização de um despacho visando à conquista do campeonato carioca e no qual serão usados desde cachaça e velas até farofa amarela."
Adiante a notícia explicava que o vestiário "A" ficaria à disposição do roupeiro Aloísio, a partir das 8 horas, "para realizar o seu despacho, sem qualquer interferência da administração, numa repetição do que ocorreu no ano passado, na manhã do jôgo contra o Bangu". E acrescentava: "O roupeiro Aloísio fará uso de velas, farofa e outros apetrechos para o seu despacho, que não poderá ser interrompido por ninguém, devendo para tanto ser proibida a entrada de quem quer que seja, com credencial ou não."
"Também o Vasco, através de ofício - diz em seguida a nota - solicitou que o vestiário...", etc. "pois seu enfermeiro Sérgio irá realizar um despacho que requer condições especiais para ser completado". E, por fim:
"A solicitação vascaína, para que seja vedado o acesso ao seu reservado, visa também a evitar a repetição da "miséria de 48", que, segundo dirigentes do clube, foi um trabalho diferente do Botafogo, que cortou a água, pintou os bancos e jogou pó-de-mico nos jogadores, para chegar a campeão".

29 de mar de 2014

ENTARDECER NO PARQUE DO MOCAMBO - PATOS DE MINAS

A natureza não é lenta. É só metódica. Podemos observar em três fotos tiradas com intervalo inferior a um minuto entre a primeira e a terceira. Na primeira, a intensidade do sol e o diâmetro entre folhagem é maior; na segunda, um pouco menor, e na terceira, menor ainda. Capturadas as imagens no mesmo lugar - teatro de arena - sendo o enquadramento praticamente o mesmo, o ambiente mostra-se com efeitos diferentes, também.













BOM PRA MIM NÃO, BANCO DO BRASIL!

Ouvi notícia de que há um projeto no Congresso, para melhorar o Código de Defesa do Consumidor. Penso que é desnecessário, pelo menos enquanto não tivermos ações proativas (como gostam os novos administradores) para fazer vigorarem as regras do atual. Vou falar apenas de minhas relações com o Banco do Brasil (consegui domar algum impulso que ignorava, mas que me levava, sempre, a escrever "Bando do Brasil". Involuntariamente, de verdade.
Temos visto propaganda enganosa do Banco do Brasil, falando em "BOM PARA TODOS", escrito nas peças publicitárias em única palavra, tom coloquial, "BOMPRATODOS".
Tenho bronca com alguns tipos de publicidade. A tal "testemunhal", em que o propagandista coloca um artista bonitão, uma atriz linda, um craque de futebol, afirmando, categoricamente algo sobre um assunto em que não é especialista, não me desce na goela. Frequentemente, trata-se de propaganda enganosa, porque o artista bonito, a linda atriz, o craque de futebol, por fatores emocionais, levam o consumidor a acreditar que falam a verdade.
Vamos ao "BOMPRATODOS": estava em Belo Horizonte, no Shopping Patio Savasse, querendo sacar no terminal eletrônico. Estava inoperante e assim ficou durante uma semana. Infelizmente, não fotografei. Depois, em Patos de Minas, no Shopping Pátio Central, encontrei o terminal eletrônico inoperante e assim ficou durante cerca de um mês. Depois de um tempo assim, apareceu um aviso de que a manutenção dependia de peça que era preciso esperar. Hoje, está ativo. Estive na cidade de Passa Quatro, de lereia. Fui ao caixa eletrônico, durante o carnaval, única agência da cidade fechada. Todos os quatro ou cinco terminais estavam inoperantes. Veja-se que relato impossibilidade de saques em lugares aonde se costuma gastar dinheiro (shoppings) e em época em que incide o mesmo fator (carnaval).
Agora, em Patos de Minas, a gota dágua, que me leva a usar o cadikim como muro de lamentações: um cartaz simples, papel AR, informa-me que, em uma das agências, a sala de autoatendimento estará fechada aos sábados e domingos; para saques e depósitos, disponível nos dias úteis entre as nove e as dezessete horas e, para demais transações, até as vinte horas.
Antes de discutir a questão: o que gerou o autoatendimento? Em primeiro plano, a tecnologia disponível; em segundo plano, uma vontade imensa dos bancos de verem suas agências livres de clientes incômodos, em enorme quantidade (para eles, quanto mais contas melhor). Expulsaram-nos das agências, economizando enormemente em pessoal e em espaço físico. Será que agora querem remeter-nos à internet? Não quero, não trabalho com esse artigo, para ações financeiras.
Então, discordo, visceralmente, de que o Banco do Brasil, depois de - em seu próprio benefício, claro - ter-nos acostumado a operar em qualquer hora do dia ou da noite, feche agências e terminais, conforme seus exclusivos interesses. Se vierem me dizer que não estão obrigados a manter atendimento - ainda que auto - a não ser nos horários de expediente. Parece verdade. Mas ficará claro que apenas quiseram "dourar-nos a pílula" para mostrá-la nua e crua, quando lhe interessasse mais aos lucros. Agências fechadas e terminais inoperantes reduzem custos diversos, incluindo reabastecimento de numerário em terminais.
Quanto ao motivo alegado - "motivos de segurança", sem explicitar que aspectos de segurança - meu primeiro argumento é no sentido de que não tenho contrato de segurança com o Banco do Brasil. O contrato é de guarda de dinheiro e disponibilidade dele. Há outras questões ocultas, que poderão
SHOPPING EM PATOS DE MINAS
existir ou não
: o Banco do Brasil não quer se desfazer de dinheiro que está depositado com alguma vantagem; o Banco do Brasil está com problemas de liquidez e por isto reduz a possibilidade de saque.



AGÊNCIA EM PATOS DE MINAS

Posso pensar o que quiser, quando não há transparência.
Bom pra quem? Pra mim, não!
Ora direis: por que não remete a questão a juízo? Os bancos sabem que a lentidão de nosso poder judiciário é um incentivo a "aguentar a mão". Além do mais, não observam o Código de Defesa do Consumidor, no que trata da Política Nacional das Relações de Consumo. O art. 4º, que se refere a transparência e harmonia das relações de consumo, fixa os seguintes princípios dessa Política. Um desses princípios está no inciso V:

 V - incentivo à criação pelos fornecedores de meios eficientes de controle de qualidade e segurança de produtos e serviços, assim como de mecanismos alternativos de solução de conflitos de consumo;

Estou anexando um link do OtárioAnonymous (Canal do Otário), do qual usei uma imagem para ilustrar esta postagem (estou pedindo que me aprove, sob pena de remover). Há um vídeo de que gostei muito. No entanto, a personagem usa linguagem chula, para xingar. Não é minha praia, embora respeite. Estou, então, anexando o link onde pode ser visto o vídeo, que, quando a direitos do consumidor e conduta de fornecedor, é muito ilustrativo.

Link para acessar o vídeo referido:
https://www.youtube.com/watch?v=0w9z90Wdhi8

Imagens:
CAIXAS ELETRÔNICOS INOPERANTES E AVISO EM AGÊNCIA: o blogueiro.

"BOMPRAQUEM"
https://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&site=imghp&tbm=isch&source=hp&biw=1920&bih=955&q=banco+do+brasil+bom+pra+todos&oq=banco+do+brasil+bom+pra+todos&gs_l=img.3..0j0i24.1408.7569.0.7834.31.24.1.6.7.3.264.2651.13j7j4.24.0....0...1ac.1.38.img..7.24.1539.MuyZlqp8fFM#facrc=_&imgdii=_&imgrc=FHGC4oGJ7mP4eM%253A%3BfqjjV_pEGBp-oM%3Bhttp%253A%252F%252Fi.ytimg.com%252Fvi%252F0w9z90Wdhi8%252F0.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Fwww.youtube.com%252Fwatch%253Fv%253D0w9z90Wdhi8%3B480%3B360


28 de mar de 2014

O POETA WANDER PORTO DÁ O AR DE SUA GRAÇA


1       RESERVA       

Habituei-me
Desde muito cedo
A não transar in memoriam
De infâncias
Ou de futuros;

Existo no que sou,
Trafico relâmpagos
Entre a flora
Foto: 1___RESERVA___

Habituei-me
Desde muito cedo
A não transar in memorian
De infâncias
Ou de futuros;

Existo no que sou,
Trafico relâmpagos 
Entre a flora
Vulgar
Dos idênticos
E a fauna
Rara 
Dos díspares:

Herói sem poder,
Verso sem rima
Trafego por silvos,
Almas em disparo,
Bombas de abraços,
Leitos de cio, sempre
Contra a sânie de Poucos
Pela alforria do Todo.

Reservo-me, porém,
Sempre e Obstinado,
O supremo exercício
De viver meus estranhos
E seguir meus passos
Pela toada dos sonhos!

Wander Porto 

Arte:WP
Arte: WP
Vulgar
Dos idênticos
E a fauna
Rara
Dos díspares:                         

Herói sem poder,
Verso sem rima
Trafego por silvos,
Almas em disparo,
Bombas de abraços,
Leitos de cio, sempre
Contra a sânie de Poucos
Pela alforria do Todo.

Reservo-me, porém,
Sempre e Obstinado,
O supremo exercício
De viver meus estranhos
E seguir meus passos
Pela toada dos sonhos!

TINHA DE CONTAR?



Noticiários diversos dão conta de que duas moças, que foram assaltadas, fotografaram-se juntas, no interior do carro, antes do assalto. Examinadas as fotos, verificou-se que dois homens apareceram na foto, fora do carro, vistos através do vidro traseiro.
Tratavam das tais de fotos selfie.

Ou seja, inocentes fotógrafos(as), registrando "momentos", poderão estar fotografando meliantes que estejam às suas costas.
Não sei se é uma onda com algum objetivo, que não consigo perceber.
Não sei se são fatos verdadeiros.
Só sei que, agora, pessoas que estiverem praticando a tal de foto selfie poderão ser alvo de meliantes, com medo de estarem sendo fotografados.
Precisava contar pra todo mundo?

Imagem: Sansung
http://www.samsung.com/br/article/get-in-the-picture-dualview-makes-self-portraits-simple

24 de mar de 2014

FALAM COBRAS E LAGARTOS DA PETROBRÁS. A PRESIDENTE REPORTA-SE A UM PARECER TÉCNICO. EXCLUI A RESPONSABILIDADE?

Tenho lido e ouvido cobras e lagartos a respeito de um negócio em que a Petrobrás foi metida, muita gente falando em prejuízo de grande monta, alguns falando em estoques e outros fatores que justificariam a compra de um trem lá pelo preço que ouço dizer (aliás, já vi mais de um valor mencionado). Pelos comentários, a Sra. Presidente da República, que, então Ministra da Casa Civil da Presidência da República, e quando comandava o Conselho Administrativo da Empresa  (está assim no Estadão; acho que há um título de Presidente de Conselho na parada) autorizou o negócio, busca apoiar sua decisão em parecer técnico emitido por pessoa (física ou jurídica idônea, não entendi ainda). Há referência, no Estadão


(http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,dilma-apoiou-compra-de-refinaria-em-2006-agora-culpa-documentos-falhos,1142397,0.htm),

a que a Presidente declarou que só apoiou a medida porque recebeu "informações incompletas" de um parecer "técnica e juridicamente" falho. O Estadão diz, mais, que os documentos ainda são inéditos. 
Primeiro que tudo, penso que chefe é chefe e se autorizou, assumiu a paternidade e a responsabilidade. Se não tem conhecimento para refutar um parecer técnico - o que acho perfeitamente admissível, já que ninguém detém todo o conhecimento humano - penso que deveria ter chamado três pareceres técnicos, envolvendo auditorias independentes, tudo bem explicadinho, até entender a natureza do ato e as consequências que poderia gerar. De forma alguma o fato de basear-se em parecer técnico pode servir de exclusão de responsabilidade - que, penso, até poderia e deveria ser repartida com o Ministro das Minas e Energia e com mais viesse...
Mas se alguém achar que pode, é só ir buscar o parecer técnico e verificar se quem o produziu tem cacife para bancar o prejuízo. Se não tiver, foi muito mal escolhido. Acho que não se deve entregar o encaminhamento de assunto tão sério a quem não tenha suporte econômico-financeiro para uma decisão de tal envergadura. Penso que as licitações de grandes obras agem mais ou menos assim. E penso, também, que o tal parecer não terá sido emitido em um papinho de bar, de modo verbal. Não há como pensar que isto pudesse ter acontecido. Leviandade minha... Então, que apareça o tal parecer para que a Nação o conheça.
Livro de geologia
em baixo do braço.
Pois não é que os pipapauzinhos - os habitantes do Sítio do Pica-pau Amarelo - acharam de perfurar um poço de petróleo, capitaneados pelo Visconde de Sabugosa? E o sabinho, feito de um sabugo de milho, antecipou estudos de geologia, geofísica, e enumerou analogias com países vizinhos, que produziam petróleo, a qualquer ação. Elementar. Qualquer ação tem de ser precedida de conhecimento.
Convém lembrar que o Monteiro Lobato, apesar de indicar a necessidade de estudos pertinentes, foi preso, com base na Lei de Segurança Nacional, pela audácia de achar que havia petróleo no Brasil, e pelo atrevimento de criticar autoridades que achava omissas e as empresas estrangeiras, desinteressadas de investir em produção nacional.
Capa do Livro
Ah! Não gosto de usar a expressão, por não gostar de envolver-me em política partidária, mas rendo-me: não foi o PT que descobriu o petróleo, não, gente. Tudo começou com um sabuguinho de milho falante - o Visconde de Sabugosa!

Imagens:

Visconde de Sabugosa: 
E Você com Isso? por Marcelo Soares.
http://evocecomisso.blogspot.com.br/2008/09/boneca-de-pano-gente-sabugo-de-milho.html