14 de dez de 2017

MILLÔR EM PEDACINHOS - DE REPENTE

De repente, eu me dei conta de que todas essas perguntas podem ser comigo. Sempre olhei os anúncios de jornal, as propostas pararreligiosas e os panfletos que me entregam na rua como coisas destinadas aos outros. Subitamente, percebi que estava pensando nelas e... "respondendo".

P - Você já parou para pensar se trata seus filhos como eles merecem? Por que não mudar, hoje mesmo?

R - Eu já tratei meus filhos como eles merecem, mas isso há muitos anos. Hoje, o maior está com 25 anos e 1,90 metro e eu já não acho prudente.

14/04/1982


Pág. 176 do livro.



11 de dez de 2017

MILLÔR EM PEDACINHOS: - TÓPICOS ENTRE O MEDO E A CORAGEM


"Averiguação

As autoridades encarregadas da segurança do Rio repetem enfadonhamente sua impossibilidade de enfrentar aquilo que outrora se chamava crime. Por falta de homens, de material, de prisões. Quanto à falta de homens, não sei; nem quanto à falta de material. Mas nossas prisões, embora eu reconheça que estejam todas ocupadas, são muitas e as melhores do mundo. Nosso sistema carcerário pode mesmo ser considerado sem par. Estive em várias de nossas prisões ultimamente: são locais bem-protegidos, de guardas e vigilantes bem-armados e bem-pagos; boas instalações, portas pesadas e com os mais modernos sistemas de controle e segurança. As pessoas lá confinadas vivem bem, de modo geral não se queixam da alimentação. Reclamam apenas das saídas, cada vez mais raras; só lhes é permitido tomar um pouco de sol e fazer uns exercícios de manhã cedo e logo são obrigadas a voltar para os alojamentos. Quando tentam, porém, se afastar um pouco ou mesmo escapar ao confinamento, são agredidas, violentadas ou mesmo mortas, sem qualquer explicação ou julgamento. De qualquer forma, repito, as prisões são tão boas que, na Vieira Souto, Rio, o custo de uma delas, atualmente, vai de um mínimo de 20 milhões a um teto de 100 milhões.

11/02/1981"


Texto na página 121

Link da explicação de motivo:
http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2017/11/millor-em-pedacinhos-us-fora-da-lei-num.html

8 de dez de 2017

MILLÔR EM PEDACINHOS - "COMO É, NEGA, ESSE FUTURO SAI OU NÃO SAI?"

"Nada como o passado pra você desacreditar do futuro (o contrário sendo natural) no presente. Folheiem a História ou qualquer revista velha. Parecia que ele estava ali, na esquina, se falava nele concretamente, no amanhã amanhã mesmo, não apenas maneira de dizer. E ele nem se dignou mandar dizer por que não veio. Mas continua a coisa mais prometida pelos homens públicos e mais manuseada pelos economistas que hoje, tantas vezes, até se autodeterminam futurólogos. Chegar não chega. O amanhã de ontem não se realiza hoje, e os conservadores, que esperam que o que vem seja igual ao que foi, se desiludem tanto quanto os renovadores, que pensam que o que vem será diferente de tudo que já foi. A nostalgia de uns é a angústia de outros - pois para ambos o futuro é um espaço impreciso mas concreto, que podem vender para si mesmos e pra outros crédulos, um futuro-imobiliário, onde será possível viver a vida plena que uns tiveram no passado, ou encontrar a purificação dos males que sempre nos envenenaram - no futuro cabemos todos e cabe tudo, pois, sempre futuro, não pode ser cobrado ou conferido. Que fim levou o 1950, futuro de 1940, e 1960, futuro de 1950, e como será 2000, futuro dos futuros, isto é, de todos os passados? Talvez esse não chegue mesmo jamais, não apenas no sentido filosófico mas também no material. Só um imenso bang. Ou um soluço. (Obrigado, Elliot!)


18/05/1983"

Livro abaixo, pág. 188.









PS.:
1 - Cadikim pretende usar essa memória em um dos tópicos de comentário que fará sobre a reforma da previdência.

2 - Primeira citação, com preâmbulo:
http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2017/11/millor-em-pedacinhos-us-fora-da-lei-num.html

6 de dez de 2017

"TERRORISMO INADEQUADO" (TEMER)

Durante o almoço em que Evo Morales ficou parecendo mais pretexto do que homenageado - segundo meu sentir - Temer não perdeu oportunidade para falar da reforma da previdência, e para desmerecer - e até execrar opositores. Disse:



"Eu digo isso porque de vez em quando espalham, né, 'olha, vão tomar a sua aposentadoria, vão tirar a sua aposentadoria' é um terrorismo inadequado e um terrorismo inadequado (articulação vocal ininteligível) terrorismo administrativo inadequado porque a essência da reforma -  este é outro ponto fundamental - é combater privilégios" (https://g1.globo.com/politica/noticia/temer-ve-terrorismo-inadequado-em-divulgacoes-equivocadas-sobre-reforma-da-previdencia.ghtml).

Execrar, sim, já que passou a considerar "terroristas" aqueles que ousam discordar de suas ideias - e, muito provavelmente, de seus interesses políticos.
Pode ser que esteja a caminho de um inferno astral o Deputado Rodrigo Pacheco, do PMDB/MG - o partido de Temer - que se manifestou, quando no mesmo quadro jornalístico (link acima), falou-sem em partidos fecharem questão quanto à reforma da previdência, para votarem a favor:

"Não considero ser recomendável o fechamento de questão nessa matéria, até pra permitir que os deputados possam decidir seu próprio voto, de acordo com as suas circunstâncias, a sua consciência e a sua reflexão."

Eu, que já pensara sobre a expressão usada por Temer, aproveito o pronunciamento de Rodrigo Pacheco, para indagar:
"Seu" Temer, se o senhor classifica as ideias opostas à sua como "terrorismo inadequado", certamente achará que é possível existir terrorismo adequado, não? E o que será, então, terrorismo adequado? Será, porventura, essa enorme pressão que o governo está fazendo sobre os deputados, com ameaças intercaladas com promessas de benesses e de ajuda nas próximas eleições, para aqueles que votarem a favor, excluindo e dificultando, óbvio, os "infiéis" (uma das faces mais cruéis do terrorismo)?
Ou será o estado psicológico em que se devem encontrar muitos deputados, que admitem o tal "fechamento de questão", alheios aos interesses dos seus eleitores - interesses que estão obrigados a conhecer, por dever de ofício? Pelo jeito, encontrarão dificuldades em votar "de acordo com as suas circunstâncias, a sua consciência e a sua reflexão", como apregoa o Deputado Rodrigo Pacheco? Por via das dúvidas, acho de bom tom esclarecer que não conheço o deputado, e nem tenho cor partidária. Principalmente porque estranho muito a forma por que os parlamentares "nos representam".
Finalmente: para "combater" (preferia que tivesse falado "excluir") privilégios, não precisa de uma reforma que atinja aqueles que nem passam perto de privilégios.


Imagem: Brasília De Fato.

4 de dez de 2017

DIA INTERNACIONAL DO COMBATE À CORRUPÇÃO E A CONTRA-INFORMAÇÃO

Foto: Ministério Público de GO
Vejo na Tv que é hoje. Segundo leio, o "Dia" foi
instituído em 09/12/2003. Será que até nisso?
Ouço, pela Tv, notícia de que hoje é o Dia Internacional do Combate à Corrupção. Primeiro que tudo, repito - acho que já disse por aqui - não gosto de "Dias". Em geral, quem tem "Dia" não está com muito (Dia do Índio, Dia da Árvore...). Quem está com muito não tem dia (nunca ouvi falar em Dia do Lula, Dia do FHC, Dia do Temer,... olha: nem Dia do Rodrigo Maia). "Dias" servem para engambelar alguém. Mais nada.
No mesmo momento em que recebo essa informação, recebo uma outra, nas tirinhas que correm em baixo, de que o Ministério Público de São Paulo investiga um esquema de corrupção - novidade bem atual - na Secretaria de Gestão Ambiental da Prefeitura de São Bernardo do Campo. Nas mesmas tirinhas, leio que o Ministério Público Federal e o Conselho Nacional do Ministério Público assinaram um pacto contra a corrupção.
Procuro mas não vejo qualquer manifestação do STF ou de qualquer outro órgão do Poder Judiciário sobre este magnífico "Dia".
Procuro mais e encontro, na página da TRANSPARÊNCIA E CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO (http://www.cgu.gov.br/sobre/institucional/eventos/anos-anteriores/2016/dia-internacional-contra-a-corrupcao) que "O Dia Internacional Contra a Corrupção remete à data em que o Brasil e mais 101 países assinaram a Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção, em 2003, na cidade mexicana de Mérida" (quase escuto um "ay, caramba! arriba compadre!").
Ô sô do céu! Então, assinamos essa tal Convenção em 2003, passamos pelo mensalão, ingressamos na Lava Jato e adjacências, com tentáculos evoluindo por aí, e mais "filhotes independentes" que foram surgindo em vários lugares, sem nunca termos ouvido sequer falar em Dia Internacional de Combate à Corrupção!
No ambiente que me circunda, penso que toda essa falação no tal "Dia", em pacto contra a corrupção, em investigação de um caso novo, no ABC paulista, tudo isso pode ter vindo à guisa de "contra-informação" (apesar do silêncio do STF, até agora).
Faz-me lembrar um episódio, que memorizei, da novela "O Bem Amado", texto de Dias Gomes, que, segundo ouvi dizer, foi o homem da contra-informação do Partido Comunista: o Dirceu Borboleta volta-se para Odorico Paraguaçu - encarnado no impagável Paulo Gracindo - e diz: "Prefeito, o senhor precisa marcar uma data para inaugurar o cemitério.". Odorico pergunta: "Por que?". Dirceu: "O povo está falando que o senhor nunca vai inaugurar o cemitério.". Odorico: "E o que é que adianta marcar uma data?". Dirceu: "Pelo menos, é uma contra-informação.". Odorico, peremptório:

"Contra-informação é providenciamento urgente!".

Por falar em urgente, a quantas andam as denúncias levadas ao STF pela PGR, relativas à Lava Jato?

Imagem: Sindifisco Nacional.
http://www.sindifisco-rn.org.br/2014/12/09/e-hoje-dia-internacional-contra-a-corrupcao/

26 de nov de 2017

AMÉRICA MINEIRO CAMPEÃO DA SÉRIE B. E AGORA?

COELHO 2018
Agora, encarar a série A, em 2018. Com que roupa? O elenco de 2017 está todo garantido para o próximo ano? É bastante? O orçamento comporta? São perguntas que os dirigentes do Coelho deverão estar fazendo, junto com várias outras.
Comentei, há alguns dias, o vai-e-vem de muitos times - o América inclusive - subindo e descendo (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2017/11/america-mineiro-de-volta-serie-do.html), o que acho desvantajoso não só para o América, mas para as Minas Gerais futebolísticas.
Penso no futebol mineiro como um dos polos importantes do brasileiro. E acho que isto pode melhorar, sendo de interesse geral.
Não torço mais para qualquer time. Mas gosto de ver o futebol mineiro em destaque. Por isto tenho a pretensão de pensar que se os clubes daqui se ajudarem, o futebol mineiro pode crescer - e muito.
Era costume os times de futebol emprestarem seus jogadores para outros de menor expressão, como oportunidade para crescimento dos atletas. Melhorar os "adversários pobres" era carona. Toninho Cerezo, quando esquentava as turbinas, andou pelo Nacional, de Manaus. E muitos outros.
Acho, então, que poderá ser interessante os dois grandes de Minas emprestarem jogadores em ritmo de promoção para o América, tanto para que este se apresente melhor na série A, quanto para dar a oportunidade a esses jovens de disputar o brasileirão. Já comentei aqui que o time do Atlético tem um grande contingente de atletas com mais de trinta anos. Além de impactar nas performances deles, impede que jovens em crescimento tenham oportunidade de desenvolvimento.
Esse empréstimo poderia ser com o menor custo possível, tendo como escopo colocar o América em melhores condições.
O que poderia resultar. Poderia resultar nada. Mas poderia, também, os dois de Minas passarem a ter uma eventual ajuda do América, tirando pontos de adversários, nas contingências do campeonato. Um aliado, sem marmelada, às claras. Quaisquer concorrentes poderão fazer a mesma coisa, se acharem interessante. Questão estratégica.
Sei que poderá não ser fácil, para aceitação das torcidas. Mas há que se considerar que o América é um clube muito simpático, podendo ser considerado o segundo de muitos atleticanos e cruzeirenses.
É só um sonho! Mas não é impossível.

Imagem: VOZ DO CLIENTE.
http://vozdocliente.com.br/noticiario/leartigo.php/14100015/?po=0

25 de nov de 2017

UM PRETO NO BONDE EM BELO HORIZONTE

6 Livros sobre Racismo que todo mundo deveria lerPenso que muito poucas pessoas já terão visto um bonde. Mas, na maioria, as pessoas ouvem falar em racismo e nem imaginam que, no tempo dos bondes (já lá se vão cerca de 65 anos), já se praticava o racismo, embora o assunto não figurasse nas pautas como figura hoje. O "causo" adiante acaba não encarnando o racismo mas - provavelmente por ironia - refere-se a isso.
Pois não é que um preto - muito preto - viajava no mesmo bonde em que estava Dona Ephigenia, que foi quem me contou. No meio da viagem, o preto começou a falar, não sei se para algum companheiro ou para todo mundo:
- Não gosto de preto! Esse bicho não presta! Não consigo gostar, mesmo! Podem falar o que quiserem, mas não passo com preto na mesma pinguela... E por aí adiante. Falava pelos cotovelos, alto e bom som, sempre depreciando a figura de "preto" e repetindo sua antipatia.
Deu ibope, claro. Todo mundo com a atenção voltada para o "preto racista", querendo saber em que aquilo iria dar. Foi de repente que o cara resolveu arrematar:
- Não gosto mesmo de preto! Detesto! Eu sou mesmo é muito chegado em uma crioula!

Imagem: Significados.
https://www.significados.com.br/os-5-momentos-mais-importantes-na-luta-contra-o-preconceito-e-o-racismo/

22 de nov de 2017

A ESTRANHA EXCLUSIVIDADE DA GLOBO

Nada contra a rede Globo. Tudo a favor de princípios constitucionais.
Vi, agora mesmo, pela Globo News, notícia sobre a prisão do deputado Albertassi (Rio de Janeiro). Em uma das postagens da Globo News, sobre essa prisão, a apresentadora convoca a repórter Mariana Queiroz, de quem captamos o seguinte: "... bom dia a todos, pois é, como você disse, a Globo News obteve, com exclusividade, o
depoimento agora do deputado afastado Edson Albertassi só pra gente lembrar que ele chegou a ser preso na semana passada, menos de 24 horas depois foi solto e agora está aqui novamente na cadeia..." (http://g1.globo.com/globo-news/jornal-globo-news/videos/t/videos/v/albertassi-diz-que-conselheiros-desistiram-espontaneamente-de-vaga-ao-tribunal-de-contas/6306206/).
Não é a primeira vez que ouço isso (alarde de exclusividade) pela tv, tanto pela própria TV Globo como pela Globo News.
Ora, penso que tanto o princípio da isonomia (todos são iguais) como o princípio da publicidade dos atos administrativos - ambos de hierarquia constitucional (sem falar no princípio do direito à informação),  impedem que um órgão público forneça informações a alguém, com exclusividade.
Se a Globo está falando a verdade, está comprometendo, publicamente, o órgão envolvido e a pessoa que forneceu a informação com exclusividade.
Penso, também, que esse tipo de "exclusividade" ou é propaganda enganosa ou  é irregularidade e nada acrescenta à eficiência do setor de reportagem da emissora. Se detém qualquer poder ilegítimo para receber informações com exclusividade, não vejo vantagem em chegar primeiro - se é que chega. Não pode ser considerado "furo de reportagem". É privilégio!

Imagem: recorte de vídeo no link indicado no texto.