27 de set de 2016

26 de set de 2016

O VOTO DE PROTESTO: QUE SIGNIFICADO PODE TER? COM EDIÇÃO ATUALIZADA.

Em toda eleição, sempre a mesma coisa: uma turma prefere determinado candidato. Outra prefere outro. E há uma turma que pretende protestar.
Dentre esses últimos, vejo três tendências: a dos que preferem a abstenção, a dos que dizem votar "nulo" e a dos votos em branco.
Resultado disto é que os votos dos que não escolhem qualquer candidato, a maioria dizendo ser protesto, ficam diluídos nas três tendências. Segue-se que não temos, ao final, o perfil real dos desempenhos de candidatos. Sim, porque os percentuais de cada candidatos estarão concentrados ali. Mas os votos "de protesto" estarão diluídos. Se se prestar atenção, a totalidade desses "votos" (abstenções, nulos e brancos) irá aproximar-se de cada candidato, podendo até ultrapassar um ou mais, se forem mais de três.
Vejamos, então, o significado de cada modalidade de "voto de protesto".
Com a abstenção, quem deixa de ir à urna desqualifica-se como eleitor. Não se sabe se se fez ausente em atitude de protesto, ou se foi preguiça mesmo, ou se preferiu ir à praia.
Já no voto nulo, o eleitor desqualifica o voto. Nulo é nenhum. Nenhuma qualidade, pois.
Com o voto em branco, o eleitor desqualifica todos os candidatos. Significa: nenhum candidato me serve.




Pelo que me consta, nem candidatos, nem partidos políticos, nem o próprio Tribunal Eleitoral gostam de ver número alto de votos em branco.
É o sistema.

EDIÇÃO PÓS ELEIÇÕES: faça-se comparação entre as somas de abstenções + nulos + brancos. Maior do que muitos candidatos, ou muito próximo até de eleitos. Esse é o retrato.

VOTO BRANCO: GRAU DE CERTEZA DO ELEITOR







EVIDÊNCIAS VS. INOCÊNCIAS

Apesar de evidências de desvios na Petrobrás - evidências que são mais evidentes na medida em que pessoas e empresas dispõem-se a devolver grandes quantias - as pessoas que são apontadas como colhedoras de propinas insistem em que todas as despesas de campanha só utilizaram doações legais, que estão devidamente registradas..., e coisa e tal. Minha mulher diz serem essas pessoas "uns fofos".
Para ilustrar, transcrevo uns versos que eram repetidos por um de meus irmãos mais velhos, sem qualquer indicação de autoria. Ei-los:

Pelas ruas da cidade,
com toda seriedade,
um louco ia dizendo:
"não entendo... não entendo...".
E se alguém lhe perguntasse:
"Mas o que não entendeis?",
respondia, face a face,
com presteza e sisudês:
"Donzelas são sempre puras,
casadas procedem bem.
Viúvas são criaturas
honestas como ninguém.
No entanto, de criancinhas
os orfanatos vão-se enchendo.
De quem são essas crianças?
Não entendo... não entendo...".

16 de set de 2016

O POETA WANDER PORTO DÁ O AR DE SUA GRAÇA


POEMINHO DE GERAR TERNURA

(Um poema para Lisete).

Uma estrela voou na noite
E brilhou nossos olhos.

Um desejo ventou na noite
E soprou nossas velas.

Um encanto vibrou na noite
E ligou nossos sonhos.

Uma cantiga soou na noite
E cantou nossas horas.

Um palhaço sonhou na noite
E armou nosso circo.

Um temporal lavou a noite,
Encharcou nossas roupas
E afogou o engano. Nuas,
Nossas almas se abraçaram
Na pele do calor humano!

Wander Porto




Arte: WP com foto Google.