16 de set de 2016

O POETA WANDER PORTO DÁ O AR DE SUA GRAÇA


POEMINHO DE GERAR TERNURA

(Um poema para Lisete).

Uma estrela voou na noite
E brilhou nossos olhos.

Um desejo ventou na noite
E soprou nossas velas.

Um encanto vibrou na noite
E ligou nossos sonhos.

Uma cantiga soou na noite
E cantou nossas horas.

Um palhaço sonhou na noite
E armou nosso circo.

Um temporal lavou a noite,
Encharcou nossas roupas
E afogou o engano. Nuas,
Nossas almas se abraçaram
Na pele do calor humano!

Wander Porto




Arte: WP com foto Google.

Postar um comentário