25 de out de 2015

PRECE DE PELÉ PELA ALEGRIA DA MASSA: 0 X 0 NÃO!

Aniversário do Rei correndo e muitas matérias jornalísticas sobre episódios de sua vida. Chamou-me a atenção: Pelé declara que nunca orou para ganhar um jogo; que orava pedindo proteção, essas coisas. Mas orava, também para que, se tivesse de participar de um empate, que Deus tivesse pena dos torcedores e não deixasse ser por 0 x 0. Que fosse por 4 x 4, por exemplo. O resultado seria o mesmo mas o povo viveria alegria de oito gols. Só mesmo o maior artilheiro do mundo!


Imagem: BLOG MATEMÁTICA NUA & CRUA.
http://mathluiz.blogspot.com.br/2015/09/zero-e-natural.html

10 de out de 2015

O JOGO QUE EU VI SÓ PODE SER OUTRO...

bandeirasNão é malhar a seleção: é malhar quem eu penso que está viajando altíssimo, dizendo que a seleção brasileira teve domínio do jogo, que criou oportunidades que não se concretizaram, ... Brincadeira!
O que eu vi foram duas chances: uma incerta, com o Oscar (que jogou nada, o tempo todo e não foi substituído), em uma bola cruzada pelo alto, que ele pegou de sem-pulo, passando por cima do ângulo, até que não muito longe; a outra, com o Ricardo Oliveira, num cruzamento rasteiro, que ele não conseguiu pegar. Essa bola até poderia ter batido em um dos dois chilenos que estavam na jogada, e entrado. Mas foi só.
Já a seleção chilena teve pelo menos cinco oportunidades de gol, de que eu me lembre. Duas foram convertidas; outras duas, deram de cara com a trave; por fim, uma bola rasteira, que esbarrou em um brasileiro, com pequeno desvio, que o Jefferson defendeu fácil. Particularidade: todas as jogadas de perigo nasceram do lado esquerdo da defesa brasileira. Observei que um "ponta" chileno (dizem que não existe mais), que estava na posição específica, recebendo bolas longas, sem qualquer combate. O primeiro gol, bola parada (falta), do lado direito do ataque chileno; o segundo, avanço pelo meio, abertura na ponta (o lateral estava tentando cortar a abertura e não estava coberto, o Douglas Costas veio correndo mas nem chegou perto). Das duas bolas na trave, uma foi chutada do lado direito do ataque chileno, a outra do lado esquerdo, mas em jogada desenvolvida a partir do mesmo lado direito.
Não vi qualquer jogada de ataque da seleção brasileira. Vi um Douglas Costa muito voluntarioso, mas carregado muito a bola, em distâncias grandes (parece que estava substituindo o Neymar, até nisso). Ou seja: a seleção vai continuar dependendo das arrancadas de Douglas Costa e de Neymar, quando voltar.
E as substituições? Tentar virar um jogo com uma substituição aos 38 minutos do segundo tempo é contar com o imponderável. Só se o Dunga estivesse mudando para experimentar para o próximo jogo.
Por quê da malhação: enquanto acharmos que jogamos bem mas não conseguimos concluir jogadas que dizem termos preparado, a seleção não vai andar. Está mal e isto tem de ser introjetado nas cabeças: precisa melhorar e muito!

Foto: Carsale.
http://carsale.uol.com.br/ultimas/2014/06/26/brasil-x-chile-veja-quais-foram-os-modelos-mais-vendidos-em-2013/

7 de out de 2015

DESIMPORTÂNCIAS PARLAMENTARES (PRA LAMENTARES)

As votações no Congresso Nacional parecem-me não dependerem da necessidade e/ou da urgência, senão dos interesses partidários. Foi necessário fazer uma mexida grande nos Ministérios, para "convencer" parlamentares da necessidade e da urgência de votarem vetos da Presidente da República. Necessário mas não suficiente. Ontem, o quadro dos Deputados não apresentou quorum. A votação ficou para hoje.
O Deputado Leonardo Picciani, líder do PMDB na Câmara, explicou que uma questão de logística pode ter determinado o fenômeno. Disse que os Deputados chegam a Brasília sempre depois das 11h 30 min - hora marcada para início da sessão - e que, por isto, não chegaram todos. Falou até em horários de voos.
Pois não é que Deputados Federais têm dificuldades logísticas para chegarem a Brasília? E não as têm os trabalhadores que cochilam no metrô de São Paulo, para chegarem aos respectivos locais de trabalho? Mas, quanto a esses, a alegação não seria válida. Perderiam o dia e, em caso de reincidência (a ausência de Deputados em Brasília é repetitiva), perderiam o emprego.
Penso que não era verdadeira a alegação do Deputado Picciani. Ainda havia cargos de segundo e de terceiro escalões voando. Será que a busca por eles não determinou nova pressão no Governo? Ou será que estou viajando? Por que é os Deputados costumam oferecer motivos para determinados fatos, motivos que muitas vezes não são compatíveis com a verdade?
Que logística que o que, sô! Pois não teria sido possível aos Deputados viajar na segunda feira (pelo menos quando a relevância e a urgência da matéria incidirem), para decidir sobre um assunto que todos reputam importantes?
Só me resta imaginar que, para os Deputados - e também Senadores, que deveriam estar todos lá, pois que para isso são pagos, suponho e, porque uma votação mais encorpada poderia dar credibilidade às decisões - só me resta imaginar, repito, que, para os deputados e senadores ausentes, a matéria a tratar é desimportante.
Apesar de tudo, gosto muito de assistir às sessões, pela TV Câmara e pela TV Senado. Foi de cara com a primeira que vi o Deputado Picciani explicando o inexplicável (não foi nem na Veja, nem na Isto é, nem na Exame, nem no facebook, não!). O Deputado estava com a cara mais séria deste mundo, como, de resto, todas as fisionomias que vejo pelas emissoras citadas parecem-me irretorquivelmente sérias. É um alívio vê-los assim!

NOTA: A falta de quorum repetiu-se hoje. E a votação foi novamente adiada. O assunto continua desimportante ou, quando nada, menos importante do que outros que andam pelo ar.


Foto: Política ao Minuto.
http://www.noticiasaominuto.com.br/politica/144793/apos-sessao-sem-quorum-deputados-aparecem-em-plenario

GAVIÕES VÃO À CAÇA ... COM UMA PAUSAZINHA IMPORTANTE


Por volta das nove horas de hoje. Cheguei à janela e olhei o céu. Alguns gaviões voavam a uma distância de trezentos metros, aproximadamente. Entendi que estavam caçando. Hora do café da manhã. De repente, dois deles pousaram sobre uma antena de tv. Ficaram juntos algum tempo e tive a impressão de que deram uma pausa para uma rapidinha. Mas não estava com a câmera. Quando voltei, um deles havia voado. O(a) outro(a) permaneceu por algum tempo sobre a antena, quem sabe ainda inebriado(a). Depois, alçou voo. Não os vi mais caçando. Acho que o papo era outro, mesmo.













2 de out de 2015

SUPOSTAS SUPOSIÇÕES

Parece que os órgãos de imprensa aprenderam: já não se refere a pessoas
envolvidas em escândalos quaisquer (mormente político-financeiros) como pessoas que tivessem praticado, efetivamente, os atos que lhes são imputados. Prevalece - acho - o medo do tal "dano moral". Demorou porque alguns juízes entenderam que a pessoa pública tem a vida pública. Entendo que "pública" não significa "publicável" levianamente, como vi acontecer várias vezes, em um só caso, sendo que um único desembargador e a respectiva Câmara ousaram discordar de pares de outras Câmaras, esses entendendo que se pode invectivar outrem, livremente, pela imprensa. Agora, só se fala em "suspeito", "suposto" e quejandos. Penso, todavia, que estão exagerando. Vamos lá:
Hoje, pela manhã, ouvi notícia de que "supostos" aviões russos haviam bombardeado... sei lá que lugar. Supostos como, meu Deus, se os aviões foram filmados, línguas de fogo lamberam a tela... enfim, cena de evidente bombardeio, por aviões. Penso que teria ficado mais claro que "aviões, supostamente russos, bombardearam...". Afinal, o noticiarista não poderia ter afirmado, com certeza, que os aviões pertenciam à Rússia.
Depois, veio a notícia de que o Ministério Público Suíço remetera ao Ministério Público Federal, no Brasil, notícias da existência de contas, em banco daquele país, em nome do nosso Presidente da Câmara dos Deputados. Pois não é que o noticiário indicou que "supostas contas na Suíça, pertencentes ao sr...". Ficou meio sobre o oblongo (expressão muitas vezes utilizadas por Sérgio Porto - o Stanislaw Ponte Preta, para designar coisas e/ou situações esquisitas). As contas são "supostas", mas o titular é determinado? O entendimento poderia ser diferente, se tivessem escrito "contas existentes em banco suíço, supostamente em nome do sr.....". Afinal, Romário - que nem mesmo era "suposto" - demonstrou que tinha nenhuma conta em banco suíço.
Acho, mesmo, que prevalece o medo do tal dano moral: podem pegar o cara com a faca escorrendo sangue, diante da vítima, que será, sempre, "o suposto assassino"; mas se pegarem o cara (ou o Sr. Cara) com mala cheia de notas de dólares, serão as notas, sempre elas, as "supostas notas".











Nota: Oblongo, segundo a Desciclopédia, "seria uma forma oval que não quer ser chamada de ovo, então fica um ovo bem estranho e um pouco menos fácil de medir suas dimensões, e a coisa com esse formato costuma rir da cara de quem tenta classificá-la como tendo uma forma oval, já que ninguém tem muita certeza",

Estamos entendidos?

Imagem: Estrela dos Metais.

http://www.estreladosmetais.com.br/arquivo/ferroso/dados/tubo_oblongo/oblongo.php

1 de out de 2015

POLÍTICA IRÁ DAR SEMPRE NISSO...


Leio na revista Veja, edição 2444, na seção "Panorama . Radar"



"ELEIÇÕES 2016

Nas urnas

O Movimento Brasil Livre, um dos maiores impulsionadores das manifestações de rua e do impeachment, decidiu lançar um candidato a prefeito em São Paulo."





O Partido dos Trabalhadores começou de forma semelhante... devem ser os tais de ciclos...



Imagem: Rádio Universo DL
http://webradio.universodl.com/index2.php?option=noticia&value=10