2 de out de 2015

SUPOSTAS SUPOSIÇÕES

Parece que os órgãos de imprensa aprenderam: já não se refere a pessoas
envolvidas em escândalos quaisquer (mormente político-financeiros) como pessoas que tivessem praticado, efetivamente, os atos que lhes são imputados. Prevalece - acho - o medo do tal "dano moral". Demorou porque alguns juízes entenderam que a pessoa pública tem a vida pública. Entendo que "pública" não significa "publicável" levianamente, como vi acontecer várias vezes, em um só caso, sendo que um único desembargador e a respectiva Câmara ousaram discordar de pares de outras Câmaras, esses entendendo que se pode invectivar outrem, livremente, pela imprensa. Agora, só se fala em "suspeito", "suposto" e quejandos. Penso, todavia, que estão exagerando. Vamos lá:
Hoje, pela manhã, ouvi notícia de que "supostos" aviões russos haviam bombardeado... sei lá que lugar. Supostos como, meu Deus, se os aviões foram filmados, línguas de fogo lamberam a tela... enfim, cena de evidente bombardeio, por aviões. Penso que teria ficado mais claro que "aviões, supostamente russos, bombardearam...". Afinal, o noticiarista não poderia ter afirmado, com certeza, que os aviões pertenciam à Rússia.
Depois, veio a notícia de que o Ministério Público Suíço remetera ao Ministério Público Federal, no Brasil, notícias da existência de contas, em banco daquele país, em nome do nosso Presidente da Câmara dos Deputados. Pois não é que o noticiário indicou que "supostas contas na Suíça, pertencentes ao sr...". Ficou meio sobre o oblongo (expressão muitas vezes utilizadas por Sérgio Porto - o Stanislaw Ponte Preta, para designar coisas e/ou situações esquisitas). As contas são "supostas", mas o titular é determinado? O entendimento poderia ser diferente, se tivessem escrito "contas existentes em banco suíço, supostamente em nome do sr.....". Afinal, Romário - que nem mesmo era "suposto" - demonstrou que tinha nenhuma conta em banco suíço.
Acho, mesmo, que prevalece o medo do tal dano moral: podem pegar o cara com a faca escorrendo sangue, diante da vítima, que será, sempre, "o suposto assassino"; mas se pegarem o cara (ou o Sr. Cara) com mala cheia de notas de dólares, serão as notas, sempre elas, as "supostas notas".











Nota: Oblongo, segundo a Desciclopédia, "seria uma forma oval que não quer ser chamada de ovo, então fica um ovo bem estranho e um pouco menos fácil de medir suas dimensões, e a coisa com esse formato costuma rir da cara de quem tenta classificá-la como tendo uma forma oval, já que ninguém tem muita certeza",

Estamos entendidos?

Imagem: Estrela dos Metais.

http://www.estreladosmetais.com.br/arquivo/ferroso/dados/tubo_oblongo/oblongo.php