27 de nov de 2015

A LUA VAI DORMIR ENCABULADA...


"A lua vai dormir encabulada
na passarela da madrugada.
Meus olhos vão sonhar sob a janela
dos olhos dela, dos olhos dela."

(Juca Chaves)








Ontem, flagrei a lua meio escondida entre nuvens. Hoje, pela manhã, encontrei-a esmaecida, dando adeus atrás de um prédio, para ir descansar do seu passeio noturno.


26 de nov de 2015

O POETA WANDER PORTO DÁ O AR DE SUA GRAÇA



Arte: WP



-MONÓLOGO-








Ensaio são desejos
Onde sonho teu corpo
E não mais me sinto;

Ensaio são miragens
Onde ouço teus olhos
E não mais me vejo;

Ensaios são cenários
Onde grito teu nome
E não mais me ouço;


Ensaio são conversas
Onde beijo tua língua
E mordo minha boca

Ensaio são sobejos,
Onde me resto ao chão
E sinto teus passos indo...

Estréia,
É o dia
Que não veio.

22 de nov de 2015

AMÉRICA MINEIRO NA SÉRIE "A" DO BRASILEIRÃO

Mascote do America_MGTenho um grande apreço pelo América Mineiro. Foi ali, na Alameda Álvaro Celso da Trindade, que dei minhas primeiras braçadas, orientado pelo Sargento Marino. Cheguei a participar de algumas competições no campeonato estadual, mas não era lá essas coisas. Frequentando a piscina, andei também pelas arquibancadas assistindo a treinos e jogos. Testemunhei a primeira rivalidade em Minas Gerais, que foi com América e Atlético. Vi um quinteto muito bom (que, num tempo em que não era politicamente incorreto, denominei "linha de costurar smocking": Ernane, Miguel, Gunga, Zuca e Dodô, os quatro primeiros negros, o último branco - a agulha).  Assisti ao surgimento de vários craques, como Osvaldo Mamão e Miltinho que, se não me engano, foram para Portugal (Osvaldo tenho certeza). Vi surgir Zuca, que fez dois gols no Atlético, no velho Independência, o primeiro empatando e o segundo virando. Acabou indo para a Argentina, como foi Eduardo, ponta direita. Vi "Baião de Dois" - Harvey e Otávio - uma dupla afinadíssima que foi para o Palmeiras. Para onde foi, também, o goleiro Edgar. Coisa muito da antiga. Foi o berço futebolístico de Tostão e de Fred, dentre outros. Fora de Belo Horizonte por muito tempo, acabei reduzindo o contato. Agora, vejo o velho América na série "A" do Brasileirão.
O que me sensibiliza mais é a presença, agora, de três mineiros na competição. Belo Horizonte terá um acréscimo de jogos com os grandes times  pelo torneio. Mais movimento, mais mídia, mais recursos financeiros.
Torço para que o Coelhão seja alvo de um trabalho eficiente, para garantir o trio mineiro. Acho que merecemos.


Imagem: AS MIL CAMISAS.
http://www.asmilcamisas.com.br/2014/10/07/174-camisa-do-america-mg/

16 de nov de 2015

O PRIMEIRO ARCO IRIS

Até que enfim, apareceu-me o primeiro arco-iris, diante de minha janela. Um pouco tímido, ainda, mas muito bonito. Vamos com fé que teremos outros.


11 de nov de 2015

O CHAPÉU DE NEYMAR

Foi um golaço! E logo apareceram os comentaristas para exaltar que foi o mais belo dos chapéus que Neymar já aplicou.
Tenho algumas pinimbas com o jogador Neymar, pinimbas que acho terem sido causadas por comentaristas exaltadíssimos e por algumas "lições" que  a Neymar não foram dadas. Para mim, o climax foi aquela cabeçada tola que afastou o jogador dos dois primeiros jogos das eliminatórias.
Mas voltemos ao jogo de bola: de bola, tenho tudo a favor de Neymar. E não acho que aquele chapéu, no jogo contra o Villarreal, tivesse sido especial, o melhor de todos. Neymar é o "dono do chapéu". Sempre achei que é perfeito, principalmente quanto ao lugar em que a bola vai descer. Vi-o, muitas vezes,
aplicando um chapéu e dando uma volta no adversário, para alcançar a bola na caída, sem volta para o adversário; já aconteceu de aplicar outro chapéu, em seguida (e levar falta, evidentemente).
Vejo em Neymar a noção perfeita do movimento elíptico da bola, e o movimento perfeito do jogador para chegar a ela.
Para mim, não se trata do "melhor chapéu de Neymar". Trata-se do chapéu de Neymar. Cada vez mais perfeito!
Um espetáculo!


Imagem: UOL Esporte (editada de vídeo).
http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/espanhol/ultimas-noticias/2015/11/08/neymar-faz-gol-antologico-em-vitoria-do-barcelona-contra-o-villarreal.htm

10 de nov de 2015

A ARTE POÉTICA DE CÍCERO CHRISTÓFARO - ATRÁS DE MONTANHA




Mundico Gargalhada












Por detrás daquela montanha
Havia um pé de manacá
Cheiroso
Branco e violeta
Por detrás daquela montanha
Que, de montanha
Quase mais nada há
A não ser 
Um serpentear temerário de luzes
A clarear homens e máquinas
Que rasgam o que havia
Sustentando o pé de manacá

7 de nov de 2015

A TERCEIRA BRONCA COM LULA

Logo no início do primeiro governo Lula, conversava com um amigo, Presidente de um Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores. Disse-lhe, então, que tinha duas broncas com Lula e com o partido. Primeiro, não concordava com a intervenção de Lula, buscando "convencer" o povo de Ribeirão Preto de que Palocci era mais importante em Brasília do que na Prefeitura daquela cidade paulista. Minha discordância emanava de dois pontos: se o povo votara em Palocci para Prefeito, fora para cumprir um mandato, e não para que impingisse a seus eleitores um Vice-prefeito, substituto natural. Não se sabia - e não se sabe - se o povo teria elegido Palocci, se conhecesse a intenção de cumprimento parcial do mandato e abandono do cargo para alçar voo a Brasília. De um certo modo, aquele ato de Lula, com o beneplácito de Palocci, óbvio, tornou prefeito um vice que para isto havia sido eleito. Ponderei, também, que não podia admitir que o PT, Lula e a base aliada não dispusessem de outro nome para o Ministério. Provou-se, exatamente, que tinham, quando circunstâncias desfavoráveis levaram Palocci Ministério afora. Foi substituído e o Governo seguiu sem percalços.
A segunda bronca que revelei a meu amigo petista: não podia concordar com as atitudes de Lula e do Partido dos Trabalhadores, de descapetizar muitas das pessoas que andaram endemoninhando durante vinte anos.
Foi quando meu amigo argumentou:
- Tem a questão da governabilidade.
Rebati, de sem-pulo:
- Governabilidade a qualquer custo gera desgoverno.
Temos atravessado tempos de desgoverno, desde antes do primeiro mandato Dilma, já que o atropelo do "mensalão" já existia e estava em julgamento. Não raro, emergia a cobiça de aliados por cargos, sempre negociando apoio. Tenho como e por que pensar que a tal "governabilidade a qualquer custo" estava por trás desses episódios de desgoverno, sendo certo que petistas importantes e membros da base aliada estavam envolvidos no "mensalão". Ocupantes de cargos, desde então, seguem enrolados, agora com outros problemas.
Não sei o que meu amigo acha das ações dos governos do PT, com a base aliada, merecedores de críticas desfavoráveis. Não me irão satisfazer os argumentos de que outros governos, outros políticos procederam da mesma forma. Não duvido. Só que Lula e seu partido prometiam, exatamente, acabar com as mazelas de seus antecessores, aqueles que andaram endemoninhando. Descapetizados que foram, podem ter influenciado os ânimos dos promitentes bons governantes, fazendo-os cair em tentação, podendo até ter contribuído com algum empurrãozinho e até transmissão de tecnologia. Só que os pecados dos predecessores não autorizam a remissão dos pecados petistas e aliados.
Ah! E a terceira bronca?
Deu-se que assisti a declarações do então Presidente Lula, tentando explicar mudanças de conceitos políticos, conforme estivesse na oposição ou no governo. Ouvi-o dizer:
-"Eu prefiro ser considerado uma metamorfose ambulante!"
Isto poderá ter agradado àquela parcela do nosso povo, muito sensível a frases de efeito - matéria em que Lula é especialista. Principalmente parodiando um artista muito querido.
A mim, teria agradado se tivesse dito que ponderara, estudara, reavaliara condições e resultados, ouvira especialistas,... coisas assim.
Do que disse, constrangeu-me muito constatar que estava sendo governado por um Raul Seixas cover. Artista por artista, sou muito mais o Raulzito!


Imagem: Youtube.
https://www.youtube.com/watch?v=gmuqHrhR0m8

5 de nov de 2015

ESOCIAL - AUTORITARISMO TERRORISTA

O que é o eSocialSerá que não bastaram as agruras vividas pela sociedade brasileira, com tantos escândalos, tantos desencontros político-administrativos, com tanta notícia ruim? Precisava de terrorismo também?
É como vejo o episódio do eSocial.gov.br, para cadastramento, emissão de guias, pagamento de tributos. Cidadãos querendo pagar, passando muito tempo diante do computador para emitir guia de pagamento e pagar. Do outro lado, o Estado que, através de seus representantes na área, reconhecia a incapacidade do sistema mas, mesmo assim, insistia na data fatal e na ameaça reiterada em cada noticiário - sim, ameaça mesmo! - de multa, caso ocorresse atraso de um pagamento que dependia de ações do credor e não do devedor. O (des)Governo conseguiu, por um prazo excessivamente longo, manter cidadãos em estado de insegurança e de forte pressão: se não conseguir emitir a tal guia e pagar na data fatal, será multado! Isto está inscrito na Cartilha do Terrorismo.
Em si, como instituto novo, o eSocial pode até ser excelente. Mas a experimentação e a gestão da mesma foram péssimas!
Campanha eSocial- Banner noticiaSó na ante-véspera do prazo fatal foi que o Governo - ah! quão generoso! - decidiu baixar a pressão, anunciando a prorrogação do prazo. O que deveria ter sido feito assim que o próprio (des)Governo admitiu as dificuldades na execução das ações necessárias à obtenção da tal guia - dificuldades que cabia a ele (des)Governo resolver, e não ao contribuinte.


Imagem alto da página: Grupo Fortes.
http://grupofortes.com.br/esocial/o-que-e-o-esocial/esocial-o-que-e-isso/

Imagem baixo da página: Grupo Fortes.
http://grupofortes.com.br/esocial/category/o-que-e-o-esocial/