26 de jul de 2016

A GRACINHA DO PREFEITO DO RIO DE JANEIRO

Acho nem ser preciso discutir, em termos de responsabilidade, a entrega de apartamentos para delegações que vieram para as olimpíadas. Teve gente que achou descabida a manifestação da chefe da delegação australiana. Outros não acharam. Achei pouco! Ô Sô do Céu! Mas os contratantes de empreiteiras recebem as obras sem conferir se a rede elétrica está perfeita? E sem conferir vazamentos? Acho que tem de ser apartamento por apartamento, vaso por vaso, torneira por torneira, ralo por ralo... Pelo que conheço, esta deve ser a forma habitual de receber serviços contratados. Principalmente no setor público, em que um dirigente recebe não para si mas para o povo. O diretor de comunicação do Comitê Olímpico falou sobre a questão: "são problemas de construção, de certa forma típicos de apartamentos novos, principalmente vazamentos e pequenos curtos circuitos na rede elétrica que não estava perfeita, a gente tem uma força tarefa trabalhando 24 horas...". Deu-me a impressão de que o diretor de comunicação achou que a atitude da australiana fosse descabida. Foi não! Não foi intolerância. Foi cuidado natural para quem quer desempenho satisfatório de seus atletas, como falou depois.
Escudo Austr�liaMas não foi a atitude do diretor de comunicação o que achei pior: achei que o prefeito foi longe demais, em franco desrespeito aos australianos: "estou quase botando um canguru para pular aqui bem na frente deles". E sorriu como se estivesse fazendo um stand up. Saberá Sua Excelência - o Senhor Prefeito - que o canguru vermelho é um dos símbolos da Austrália, e que ocupa destaque no Escudo do País, sendo, junto com o Emu os animais representantes do país? "São um dos únicos (sic) animais nativos da Austrália e, junto a isso, nenhum dos dois anda para trás, simbolizando que o país só progredirá", como informa a página Austrália GO (http://www.australiago.com/simbolos.php, texto e imagem). Teria gostado o Sr. Eduardo Paes que a chefe da delegação australiana tivesse falado que iria colocar uma Bandeira Nacional do Brasil perto de cada vazamento? De cada curto circuito? Ou o Brasão da República?
Péssimo gosto o da piadinha de quem, em matéria de serviço, deveria falar sempre sério, mostrando responsabilidade.
Achei a gracinha do prefeito do Rio de Janeiro afronta pior do que a das condições deficientes da recepção aos australianos (e - verificou-se depois - a outras delegações).
Ah! Mas brasileiro sabe fazer festa... Alguns costumam pensar que tudo é festa.

24 de jul de 2016

A IMPREVIDÊNCIA SOCIAL

PrintViver muito, e em estado saudável (incluindo uma capacidade razoável de entender o universo), nem sempre trás só vantagens. Algumas coisas - e o retrocesso ou a falta de avanço - deixam a gente estupefata.
Há mais de sessenta anos, quando um PM, em Minas Gerais, completava o tempo total de serviço (sem as contagens de férias, etc.), precisava requerer sua transferência para a reserva ou sua reforma.
Há mais de cinquenta anos, os procedimentos foram mudados, para colocar na reserva quem já deveria estar lá: quando o PM completava o tempo integral (sem as contagens possíveis, porque não requereu), a própria Corporação contava o tempo de serviço do PM e - de ofício, ou seja, sem que ele requeresse - transferia-o para a reserva. Era a "compulsória". Findou o tempo, a transferência para a inatividade era feita por iniciativa da organização, rapidamente.
Hoje, pela manhã, ligado na TV, ouço que as pessoas precisam agendar data para apresentar documentação para buscar aposentadoria. Agendar só! A apresentadora informou (e mostrou) haver tentado agendar uma data (telefonema que gravou). Em várias capitais, não é possível o agendamento nem para o próximo ano. Alguns lugares, só em seis meses, pelo menos. Nem o simples agendamento!
Ora direis: mas o pessoal está em greve e é esta a causa das dificuldades para agendamento.
Penso que deveria ser possível o trabalhador ir apresentando comprovantes de todas as circunstâncias que tivessem impacto em seu tempo de aposentadoria. Quando chegasse a hora, o INSS já saberia (informática está aí para isto, uai) e era só iniciar o pagamento da aposentadoria e mandar uma cartinha de agradecimento ao trabalhador aposentando.
Mas não! A atividade, ainda que informatizada, não tem a necessária celeridade. Vai em passo de tartaruga.
Corte: ou a apresentadora está falando a verdade ou tem de vir alguém, muito depressa, para provar que o INSS está atendendo convenientemente os cidadãos que, nos discursos políticos "são a sustentação da economia do país e verdadeiros motores de nosso desenvolvimento" (ou similar).
Voltando: Estou certo de que a proposta de Reforma da Previdência virá antes que muitas pessoas com direito a aposentadoria consigam pelo menos o tal agendamento. Não se iludam: as prerrogativas dos trabalhadores irão ser reduzidas, sim. E, para isto, os governantes têm muita pressa e são céleres.
Carona: não é o tema principal desta manifestação. Mas, se é líquido e certo que a Previdência Social tem sofrido com corrupção e outros tipos de irregularidade, com milhões rolando em cada caso (não se informa o total geral); dizem os governantes que só estancar as sangrias da previdência não bastam a promover o equilíbrio (apesar do envolvimento de muita grana); é público e notório que é muito difícil e deficiente o atendimento geral pelo sistema previdenciário. Deduzo que o povo - as tais manifestações - deveriam exigir dos governos que só cuidem de reduzir prerrogativas depois que tenham colocado a Previdência Social nos eixos. Fora disto, é tungar o povo.
Ou o povo decide envolver-se em reclamações justas (seguir o caminho correto) ou decide seguir com incapacidade e má gestão, buscando ser feliz assim mesmo. Ou, por falta de opção, infeliz.

Imagem: CULTURAMIX.COM
http://www.culturamix.com/cultura/curiosidades/aposentadoria-no-brasil-previdencia-social-e-privada/

13 de jul de 2016

LEI ROUANET: POR QUE ACABAR COM ELA? NEM PASSA PELA MINHA CABEÇA!

No dia 20 de maio deste ano, recebi um e-mail oriundo de "Renato Gusmao, via Chang.", no qual li, na "chamada":


"Marco Antônio, este abaixo assinado foi feito para uma pessoa como você. Clique e assine para apoiar."

Já havia recebido um outro e-mail do tipo, só que com a intenção de impedir que a nomeação de Ministros do STF continue sendo feita pelo Presidente da República. Posso até concordar com isto, em face de conceitos que tenho a respeito de nomeações em geral. Minha curiosidade levou-me ao texto, no qual encontrei apenas proposta relativa ao STF. No entanto, os conceitos que tenho levam-me a tratar de nomeações livres de um modo geral, desde aquelas para servidores, sem concurso. Penso ser muito pouco tratar do assunto setorialmente, como foi proposto.
Obviamente, não iria clicar sem ler, nesta nova mensagem do change.org (mencionada pelos remetentes das duas mensagens), porque não sabia o que se pretendia que eu apoiasse. 
Fui encontrar o seguinte (ctrl c / ctrl v):
-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-
Change.org
MARCO ANTÔNIO, este abaixo-assinado foi feito por uma pessoa como você. Clique e assine para apoiar.

Congresso Nacional: Aprove o fim da Lei Rouanet. Chega de financiar o PT!

Renato Gusmao 
Criei este abaixo-assinado pela revogação total da Lei Rouanet.Peço aos deputados, senadores e ao senhor ministro da Educação, Mendonça Filho, que revogue a Lei Rouanet.
Esta lei permite desviar impostos que poderiam ir para a nossa debilitada Saúde, e como vimos, o PT usou esta lei somente como desculpa para compra de apoio político de intelectuais e artistas famosos. A Lei Rouanet precisa ser extinta.
As atrocidades dessa lei também incluem fazer filme sobre mensaleiro e outros políticos em pleno mandato. Assine e compartilhe, ajude a acabar com esta pouca vergonha!
Quer saber mais sobre este e outros abaixo-assinados?
Curta a Change.org no Facebook!
O que você quer mudar?
Faça um abaixo-assinado.

A pessoa (ou organização) que iniciou este abaixo-assinado não é afiliada à Change.org. A Change.org não criou esta campanha e não é responsável pelo conteúdo do abaixo-assinado.
Este email foi enviado pela Change.org para marco.christofaro@gmail.com. Você pode editar suas preferências de email ou cancelar o recebimento dos emails da Change.org.
Fazer abaixo-assinado   ·   Entre em contato   ·   Política de privacidade
Change.org   ·   548 Market St #29993, San Francisco, CA 94104-5401, EUA

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-

Pois bem. Para início de conversa, não sei mais da change.org do que o seu nome, nem me lembro de conhecer o senhor Renato Gusmão. Segundo, não sei como a mesma change.org, cujo endereço está nos Estados Unidos, veio a conhecer o meu e-mail. Certamente, por método absolutamente não convencional, porque não me lembro que mo tenha solicitado. Pela mesma forma, o senhor Renato Gusmão. Terceiro, não sei por que um ou outro, ou ambos, entendem que o tal abaixo assinado foi feito por uma pessoa como eu (como está na mensagem). Ora, se não nos conhecemos, como é que a pessoa pode assegurar isto? Não estou, definitivamente, entre as pessoas que possam pretender acabar com a Lei de Incentivo à Cultura. Só a observação "Chega de financiar o PT" é suficiente para afastar-me da empreitada, porque vejo conteúdo partidário na mensagem. Não sou PT muito menos qualquer outro partido. Estou mais para "yo soy contra", porque não vejo sequer semi-anjos no horizonte. Percebe-se que a intimidade dessas pessoas comigo não deu ensejo sequer a lerem sobre meus posicionamentos políticos (não partidários), neste blog. Mais grave: não sei a que querem chegar com o abaixo assinado em pauta, muito menos com a abertura para qualquer um fazer um abaixo assinado.
Mandaram para a pessoa errada a proposta de acabar com a Lei Rouanet. Pode significar que muita gente esteja apoiando, sem saber do que se trata verdadeiramente, como acontece, em geral, no campo político partidário.
De resto, sou a favor da continuidade da Lei Rouanet, porque penso que é um caminho de incentivo à cultura, sim, com algumas vantagens que podem ser discutidas.
Quanto àquilo que acham absurdo nas ações cobertas pela mesma lei (financiar um casamento, por exemplo), também acho. Mas se formos acabar com tudo o que achamos absurdo, tratemos de acabar com o Congresso Nacional (Senado e Câmara têm integrantes processados por vários motivos e as demandas caminham por lá muito mais sob a ótica dos interesses políticos do que dos sociais); acabar com o SUS, porque dizem haver desvios de finalidade e de dinheiro; acabar com o CARF, porque dizem ser local de tramoias e de corrupção; acabar com Assembleias Legislativas e Câmaras de Vereadores envolvidas com desvios diversos; acabar com as Secretarias de Segurança Pública, que não conseguem proteger a população de tudo o que é espécie de crime; acabar com a Petrobras, que virou um antro de corrupção; ah! acabar com as empreiteiras... E, se acabar com isso tudo, nem vai precisar mais de Polícia Federal... Olha, gente: acho que só vai sobrar a Receita Federal, que tem sido mais do que muito eficiente em arrecadar nosso pobre dinheirinho, para ser gasto do jeito que é.
GaleriaA propósito, assisti, ontem à noite, a um lindo espetáculo, em Patos de Minas: brindou-nos com um trabalho preparado com esmero e arte a pianista Laura Boaventura, jovem e muito talentosa mineira, com passagens por vários cursos e eventos na Europa, tendo sido consagrada em 2014, em 1º lugar no Concurso Internacional de Música, em Helsinque, na Finlândia. O programa apresentado ontem, com obras de compositores dos séculos XVIII, XVIV e XX, está incluído no projeto Terra Sem Sombra, que já tem programação, ainda em Patos de Minas, para o dia 23 de agosto próximo, apresentando um trio de violino, cello e piano.
Tudo através da Lei Rouanet.
E vamos acabar com isto?

Imagem Terra Sem Sombra: Patos Notícias.

12 de jul de 2016

O POETA WANDER PORTO DÁ O AR DE SUA GRAÇA


____VENTRAL_____
                                             


Arte: WP em foto google













Do tumulto dos homens
Sobrou-lhe,
Voraz e fértil,
Essa gamela entalhada
Em forma de ventre;

Umbilical canção
Eclode
Quando a toco
Com as mãos rudes
Em forma de aconchego;

Murmúrios de prazer
E agonia
Ouço sempre que aponho
Meus 5 mil desejos
Em seu regaço.

Nunca reclamo
De umecta prisão
Que suas entranhas
Consagram-me
Através da carne.





(in SOPRO DA MADRUGADA)

7 de jul de 2016

SEGUE A VIDA: AGORA É UM BANCO DO PANAMÁ...

...com representante no Brasil, para abrir contas e fazer remessas de dinheiro para o exterior. Banco pirata, dinheiro verdadeiro.
Começo perguntando: é preciso autorização judicial para quebrar sigilo bancário de pessoas (já tem uma turminha), em banco pirata? Será que, se a PF identificar as contas, alguém irá alegar o direito de sigilo bancário?
Para o que tem de cara de aroeira por aí, não duvido.





Imagem: AGUIARSAN REVISTA DE EDUCAÇÃO E SOCIEDADE.
http://aguiarsan.blogspot.com.br/2014/05/a-arte-do-cara-de-pau.html

O CHORORÔ DOS PROFISSIONAIS DA IMPRENSA ESPORTIVA. LEMBRA-ME O AGUAZIL ENDEMONINHADO.

Acabo de ver, pela SporTV, em Redação SporTV, a turma reclamando da impossibilidade de profissionais da imprensa esportiva entrarem nos estádios, para entrevistar técnicos e jogadores. A matéria tem como o técnico do Flamengo como mote, dizendo que um profissional do clube que ninguém já viu, porque não permite a presença da imprensa nos treinos. Risek diz que houve tempo em que o ingresso desses profissionais era livre; que atualmente é muito mais difícil conseguir um furo ou uma entrevista exclusiva, etc... Abro parêntesis para dizer da minha implicância com os anseios de exclusividade da imprensa. A Globo (é a que mais vejo, logo...) apresenta informações oriundas de setores públicos, que diz terem sido obtidas com exclusividade. Mas o setor público não pode dar exclusividade a quem quer que seja. Admito o furo, que depende da agilidade dos profissionais, segundo o princípio "quem chega primeiro bebe água limpa". Mas exclusividade... Fecho parêntesis.
Carlos Cereto disse que chegou a falar com Wanderley Luxemburgo, dentro do campo; Chico Sá disse que Ênio Andrade parava treino para atender a imprensa. E ironiza, dizendo que Ênio não entendia muito de futebol... O outro integrante da bancada, cujo nome não me lembro, ironizou, também, dizendo que, com treino fechado, o Flamengo levou de quatro do Corinthians: pergunta se fosse aberto o treino o Fla levaria de oito.
Risek pergunta o que seria do Flamengo sem imprensa (ouço isto agora, ainda discutindo a matéria).
E o que seria a imprensa esportiva sem os clubes de futebol? Sei que a tv paga aos clubes que participam de campeonatos com jogos televisionados. Mas fatura muito, também, é uma mina na publicidade. Os profissionais de imprensa vivem da existência do futebol e de outros esportes (já vi chororô também no volei, porque o técnico não queria o microfone captando sua palestrinha, em pedido de tempo ou intervalo regulamentar, em plena atividade profissional, portanto, com necessidade de sigilo).
Aguazil
Mas não vim aqui para discutir dinheiro. Vim discutir respeito. Respeito por profissionais de uma área pelos de outra. Pergunto se os profissionais da imprensa permitiriam que atletas e treinadores, a fim de aparecer, entrassem em seus programas ou, pelo menos, abordassem-nos quando estivessem preparando suas pautas, ou organizando-se para a entrada no ar.
A esse propósito, sugiro a quem se interessar a leitura, neste cadikim, do texto "Estigmas e intolerância: quem é o que?" (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2014/07/estigmas-e-intolerancia-quem-e-o-que.html).


Imagem: Associação dos Oficiais de Justiça do Amapá.
http://aojap.blogspot.com.br/2012/03/qual-e-verdadeira-funcao-do-oficial-de.html

TRANSOLÍMPICA. MAS O QUE É QUE É ISSO?

Tem hora que sou meio cochilão. Ou não entendo as coisas direito, ou entendo de modo diferente.
Por esses dias, ouvindo tv (olhando para outra coisa) que a transolímpica está para os retoques finais.
Veja-se que eu não estava em estado avançado de
besteirol: a TransOlímpica fica entre
o Motel Caravelas e o CFAP/PM. As atividades poderiam
ocorrer no Motel, com a proteção da PM. Genial! 



Foi só ouvir e pensar besteira: mas será que já existe até essa nova modalidade? como será? ou será que estão divulgando para atrair aqueles turistas que só vêm ao Brasil pensando naquilo? Isso porque ouvi, também, que durante as olimpíadas, a tal transolímpica não será permitida aos cidadãos todos, mas apenas a quem de qualquer forma participará das olimpíadas. Os cidadãos "comuns" só poderão utilizar depois que terminarem as olimpíadas (mas aí não irá ter a mesma graça, pensei). Fiquei mais do que ouriçado. Meus Deus! Como será uma transa olímpica? Será que eu darei conta? Na minha idade?
Foi depois que fiquei sabendo que a tal de TransOlímpica é uma via de acesso aos locais dos jogos e que, enquanto durarem, só será usada pelas pessoas envolvidas.
Daí, pensei como o Latricério (personagem de Stanislaw Ponte Preta): Ah!... bão...

Foto: Objetiva.

6 de jul de 2016

NAS LETRAS DE NOSSAS CANÇÕES - CACHORRO DE MADAME.




"Vou ser cachorro de madame."




Moreira da Silva



Wilson Peres e Moreira da Silva, em "Cachorro de Madame".






Para ouvir com Moreira da Silva: redmp3.su
http://redmp3.su/1848166/moreira-da-silva-cachorro-da-madame.html

Foto: Isto É Gente.
http://www.terra.com.br/istoegente/44/reportagens/rep_tributo_moreira.htm


NAS LETRAS DE NOSSAS CANÇÕES - FIA DE CHICO BRITO



"E caso de quarqué jeito
caso inté no militar."



Chico Anysio como Raimundo (Imagem: Google)



Chico Anysio em "Fia de Chico Brito".







Reprodução



Para ouvir com Dolores Duran: Vagalume.
https://www.vagalume.com.br/dolores-duran/a-fia-de-chico-brito.html




elis

Para ouvir com Elis Regina: letras.


https://www.letras.mus.br/elis-regina/424056/




Foto Chico Anysio: TV & FAMOSOS.
http://br.blastingnews.com/tv-famosos/2015/12/viuva-de-chico-anysio-diz-que-humorista-implorou-para-volta-da-escolinha-00709997.html

Foto Dolores Duran: CATRACA LIVRE.
https://catracalivre.com.br/salvador/agenda/barato/projeto-resgata-trabalho-de-dolores-duran/


Foto Elis Regina: aib NEWS.
http://aibnews.com.br/noticias/plantao-brasil/2015/03/site-e-biografia-de-elis-regina-serao-lancados-dia-17-de-marco-em-sp.html


5 de jul de 2016

A CRISE DA VEZ É A DAS TORNOZELEIRAS!

A usuária dessa aí veste bermuda. Mas acho que
a maioria dos futuros usuários não usará bermudas.
Não me admira, uai! A toda hora a gente dá de cara com uma nova operação, novas prisões, novas corrupções. Foi só mexer na casa de caçununga para o enxame ficar alvoroçado.
Agora, alguns presos/soltos (a condição é a tornozeleira) estão impedidos de ir para suas casas, porque não há tornozeleiras eletrônicas para eles.
Havendo falta e sendo necessárias, é indispensável que sejam adquiridas. Aí já sabe como é, não é? Tem de fazer licitação. Ou será que podem ser dispensadas da formalidade, na forma da lei? Ignoro. Definitivamente, não vou estudar a lei só para ver se encontro uma brecha para a dispensa. O governo que cuide disso, ora. E acho que deve cuidar bem e rápido, porque fico imaginando os protocolos de uma licitação, se não ocorrer a dispensa. Terão de calcular a média das tornozeleiras gastas em um tempo determinado. Depois, fazer estimativas de quantas novas tornozeleiras serão necessárias, para o futuro. Isto não será possível se os licitadores não puderem imaginar quem e quantos estão na tábua da beirada. Ou então, comprar aleatoriamente, mesmo. De qualquer maneira, os licitadores terão de ter muito cuidado, para que, na hipótese de caírem na tentação cabalar a licitação, não venham a tornar-se usuários. Faz de contas que, por enquanto, precisamos só das cinco (em número pequeno, poderão escapar à licitação). Depois a gente vê o resto.

Foto: O GLOBO.
http://oglobo.globo.com/brasil/uso-de-tornozeleiras-eletronicas-dispara-mercado-cresce-quase-300-19637514

FIGUEIRENSE X ATLÉTICO MINEIRO: O GALO NÃO FOI NEM SOMBRA...

Assistir Figueirense x Atlético-MG ao vivo grátis 03/07/2016...daquele Atlético que venceu o Botafogo por 5 x 3. No entanto, estavam lá os mesmo jogadores. Correram menos, esforçaram-se menos e foram menos disciplinados, não só taticamente como esportivamente. Houve expulsões, escaramuças...
O que será que altera tanto um elenco, quando há apenas dois dias de intervalo entre um jogo e outro? Cansaço excessivo? Então teriam de adequar o calendário. Fica em mim o grilo de verificar que jogadores de voleibol dão o que têm, em jogos que costumam ocorrer em três dias seguidos. Como não entendo de fisiologia de atletas e muito menos das necessidades de recuperação, fico só com o grilo. Afinal, a diferença em desempenho foi muito grande. Comemoração de uma vitória expressiva? Então teriam de suprimir as comemorações.
Não foi uma diferencinha, não. E vejam que o Botafogo não foi uma presa fácil. No primeiro tempo, o Galo ficou em 2 x 0. No segundo tempo, ficou a igualdade em gols.
Sem desmerecer o Figueirense, achei que o Botafogo foi mais perigoso.
Jogadores que se destacaram no jogo anterior, estiveram apagados no jogo de domingo.
Pelo sim, pelo não, acho que alguém precisa ficar de olho.

Foto: Tudo TV.
http://tudotv.tv/assistir/futebol-ao-vivo/brasileirao-serie-a/

2 de jul de 2016

A SEGURANÇA NO TRÂNSITO NÃO DEPENDE SÓ DOS USUÁRIOS. TAMBÉM O PODER PÚBLICO É RESPONSABILIZADO, NO CÓDIGO. EM PATOS DE MINAS INCLUSIVE.

O que vemos, habitualmente, é o poder público multando infratores e, em campanhas, atribuindo aos cidadãos a culpa por todas as irregularidades no trânsito. Não olha para dentro de si (pelo menos, nunca o vi falar nisto).
No entanto, o artigo 1º, parágrafo 2º, do Código de Trânsito Brasileiro dispõe que "O trânsito, em condições seguras, é um direito de todos e dever dos órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito, a estes cabendo, no âmbito das respectivas competências, adotar as medidas destinadas a assegurar esse direito". No parágrafo 3º, vai além: "Os órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito respondem, no âmbito das respectivas competências, objetivamente, por danos causados aos cidadãos em virtude de ação, omissão ou erro na execução e manutenção de programas, projetos e serviços que garantam o exercício do direito do trânsito seguro".
Há uma esquina, em Patos de Minas, que acho particularmente abandonada do poder público. É confluência de três ruas: Toinzinho Amâncio, Ana de Oliveira e Bernardes de Assis. Naquela região de ruas estreitas, foi construído um shopping center, e, por causa dele, o poder público estabeleceu mão dupla parcial, desde o shopping até a confluência de Ana de Oliveira com Toinzinho Amâncio. Uma verdadeira gambiarra, porque, no trecho de mão dupla, fica a saída de um hospital e, na esquina da tripla confluência, a visibilidade é muito precária. Filha de pai feio, essa gambiarra não conta mais com a dupla faixa que rebrilhava quando da inauguração do shopping, impedindo ultrapassagem. O tempo cuidou de apagá-las e, em mais de uma administração, não se cuidou de restabelecê-la.  Em si, o lugar é complicado.
Naquela esquina, há uma sinalização de direção única, para quem desce do Mercado, para seguir pela Ana de Oliveira.
Pois bem, no dia 19 de junho, voltando da roda de samba que acontece no mercado, aos domingos, dei de cara com o suporte da placa de sinalização no solo, parecendo que fora coisa de um motorista desavisado.
Passo por ali frequentemente. Não vi mão do Poder Público mover-se para recolocar as coisas no lugar. Foi provavelmente mão piedosa que recolocou o suporte no buraco que restou no chão, ficando o artefato um pouco cambeta, sem firmeza. Lamentavelmente, não vejo o trânsito tratado assim com a importância que o Código quer dar-lhe.

1 de jul de 2016

ATLÉTICO X BOTAFOGO: JOGO BOM DE SER VISTO, OITO GOLS, SEIS NO SEGUNDO TEMPO, TRÊS NOS ÚLTIMOS CINCO MINUTOS, UM NOS DESCONTOS

Assista aos gols da vitória por 5 a 3 do Atlético-MG sobre o BotafogoNão foi só a grande atuação de Cazares, quase um verdadeiro Erê aprontando diabruras no gramado. Foi muito mais importante: empenho dos dois times, com um segundo tempo muito bom, acabando empatados no período, três gols para cada lado. Isso até o final do jogo. Nem o Bota se acovardou, nem o Atlético se deu por satisfeito. Poucas faltas, nenhuma jogada ríspida, nem o mais breve estranhamento entre adversários, e, de reclamação de jogadores, observei apenas a indevida mas discreta reclamação de Leonardo Silva, quando o juiz apitou o pênalti claro cometido por Carlos César. Nem um cartão amarelo.
No comportamento coletivo, vimos Cazares, após seu primeiro gol, voltar-se para, apontando Fred, conferir-lhe o crédito na jogada - um passe de calcanhar, bola de meia altura; e vimos Robinho fazer o mesmo para Cazares, pelo passe limpo que este lhe endereçou, no segundo gol. Sem contar o colo que Fred ofereceu a Cazares, pelo passe no terceiro gol. No Botafogo, vimos uma comemoração recebida com alguma frieza, quando Bruno Silva, após marcar o terceiro do Bota, foi saudado por um companheiro, mas fez um gesto de desânimo, porque, afinal, o jogo estava no último minuto. Mas, claro, valeu o esforço!
São ou não ingredientes de um grande jogo, com um público numeroso aplaudindo?
Pode ser que seja coincidência, apenas, com o que repito algumas vezes aqui no cadikim: quando o futebol é o elemento mais importante, o resultado técnico, social, emocional,... É muito mais autêntico!

Foto: ESPN
http://espn.uol.com.br/time/atleticomineiro