28 de fev de 2013

ROLOU NA REDE. APROVEITO...

Policial interceptou um carro cujo condutor avançara o semáforo vermelho. Abordou-o, vistoriou documentos e avisou que o estava multando por avanço de sinal. Diálogo:
Cidadão:
- Sr. Policial, mas eu diminuí a marcha, antes de passar.
Policial:
- O vermelho do semáforo manda parar.
Cidadão:
- Mas é a mesma coisa, ora!
Policial:
- É não! Parar é parar. Diminuir é diferente de parar.
Cidadão:
- Sr. Policial. Desculpe-me, mas eu sou advogado e tenho melhor conhecimento e experiência sobre interpretação de normas. O sinal vermelho tanto pode ser entendido como parar como diminuir.
Policial:
- Discordo, senhor. Parar é uma coisa. Diminuir é outra coisa.
Cidadão:
- Sr. Policial. Se o senhor me provar o que diz, utilizando qualquer tipo de argumento, o senhor pode me multar e ainda ficar com o meu carro.
Policial:
- Qualquer argumento?
Cidadão:
- Qualquer argumento!
O policial voltou-se para dois outros que estavam nas proximidades, chamou-os e disse-lhes que aplicassem uma tunda no cidadão, sem dó, nem piedade. Que batessem para valer. O pau começou a cantar.
O cidadão gritava:
- Pára! Pára! Pára!.... Pára!
O policial voltou-se:
- O senhor quer que pare ou que diminua?


Imagem: Blog Pena Digital
http://www.blogpenadigital.com/2011/09/policia-e-os-direitos-e-deveres-do.html

27 de fev de 2013

NELSON RODRIGUS - TÍTULOS E EXCERTOS


"O BRASILEIRO É O ABUTRE DE SI MESMO"



Nelson diz que o brasileiro não tem autoestima. Conclui:





"No momento, a nossa vítima é o futebol carioca. A maioria da crônica só vê peladas na sua frente. Tudo é pelada. Para agredir o futebol carioca, elogia-se o paulista. Para agredir o futebol brasileiro, elogia-se o europeu. No fundo, no fundo, tudo é falta de autoestima."
 
Fonte: Livro "Brasil em Campo", de Nelson Rodrigues, pág. 141/142.
Imagem idem.

26 de fev de 2013

SÃO UNS CHATOS! PRECONCEITUOSOS! AH! ESSA JUVENTUDE!

Preconceito contra a juventude? Acho que não. Afinal, os jovens podem, muitas vezes, refletir comportamentos de seus pais.
Estava eu em um shopping, em Belo Horizonte, quando ouvi um adolescente dizer para uma idem que estava mudando de residência. Perguntou o motivo. Respondeu que a mãe não gosta do prédio onde moram. Acrescentou que tudo o que acontece lá é culpa deles (entendi que se referia a sua família), que qualquer desencontro, batem na porta deles, para reclamar. Que seus vizinhos são preconceituosos.
Um anjo! Melhor: uns anjos!
Mudar de apartamento será sempre mais fácil.

Imagem: Design House New
http://design-house-new.blogspot.com.br/2010_07_01_archive.html

25 de fev de 2013

A ARTE POÉTICA DE CÍCERO CHRISTÓFARO


Sujeito(a) Oculto(a)

Quebrou a panela
Teimou na mazela
Desapareceu com o alecrim
Deixou-me assim
Como um Zé Ninguém
Acantoado
Dasarmado
Mundico Gargalhada Desmiolado
Sem quê nem pra quê
Fiquei a mercê
Do que der e vier 
Voltou de supetão
Arrancou meu coração
Esparramou-o por aí
Sem saber aonde ir
Parecendo um Saci
Sem pedaço de mim
Perguntei apenas
Cadê o sujeito
Ou a sujeita oculta?
Deixou-me na escuta
Quase sem predicado
Vingança!
Vingança!
Vingança!
Voltarei cruel
Amargo como fel
Sujeito, verbo e predicado,
Pronome do caso reto.
E você? Quem?
Nem objeto indireto!

Imagem: Habitat Orquídeas
www.habitatorquideas.com.br

24 de fev de 2013

MENSAGEM CIFRADA

EXEMPLO DO QUE NÃO CONSIGO ENTENDER
Não sei se existe ainda. Telegrama pré-taxado era uma modalidade de prestação de serviço, em que o usuário comprava o formulário por preço determinado e tinha um limite de palavras para transmitir. Conforme o texto, ficava mais barato do que o pós-taxado.
Então, o cara chegou no balcão do correio e pediu um pré-taxado. Escreveu:
Patá, patá,  patá, patá, patá, patá, patá, patá, patá, patá.
Entregou o formulário já escrito para o funcionário do correio, que lhe informou que, por aquele preço, tinha direito a colocar mais dois "patá".
Respondeu:
_ Pô, cara! Aí, ninguém vai entender nada, sô!

Imagem: VIOMUNDO.
http://www.viomundo.com.br/denuncias/wikileaks-estrategia-dos-eua-para-engajar-o-brasil-na-difamacao-de-religioes.html

PEDACINHOS DO CÉU - ONDE ATÉ O COZINHEIRO TOCA

Já falei da magia e do encantamento que rola no Pedacinhos do Céu (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/07/pedacinhos-do-ceu-tenda-do-ausier.html). Para os que não conhecem, lá tem chorinho de primeira, um cavaquinho muito atrevido e sonhador, ao mesmo tempo, um sete cordas, um bandolim e um pandeiro formando um conjunto muito gostoso de ouvir e, principalmente de ver. Para mim, estar em contato físico com os músicos encomprida a viagem. Detalhes em www.pedacinhosdoceu.com.br. Não é merchand. É amor, mesmo.
Todos os músicos são bons, simpáticos e acolhedores. Raquel, amor do Ausier, uma simpatia (se falar que é bonita o Ausier pode me fritar), atenciosa, bem humorada e, acima de tudo, muito envolvida com música. Até agora, tem disfarçado, para nós, um sax, cujo privilégio é de seu amor. Ausier Vinícius é o cavaquinista. Mas ataca de cozinheiro. Aconteceu na última sexta-feira. Estive lá, com minha irmã e minha sobrinha Virgínia, filha da protagonista de "A Tenda do Ausier", primeiro dos links aí em cima. Ausier dedicou música à gata. Tocou "Valsinha", do Chico. A gata amou! A noite foi uma delícia só. Não podia ficar sem registro o cozinheiro tocando (olha só o pano de prato no ombro, maior estilo!). A gata tirou a foto e, gentilmente - como é seu feitio - passou para mim.

20 de fev de 2013

VOCAÇÃO PRECOCE


men using laptops vector graphicEstava, hoje, em Belo Horizonte, em uma loja, com cyber café, onde observei dois garotos, um no computador e o outro sapeando. Este último, cumprindo seu papel de sapear, ficou falando: faz isso, faz aquilo, clica ali...
O do computador recusava-se e o sapo insistia. Até que o do computador, definitivo, disse:
- O dinheiro não é seu, é meu!
O outro, na maior cara de pau:
- É por isto mesmo! 
Imediatamente, percebi ali uma grande, evidente vocação precoce. Não pude deixar de dizer ao garoto-sapo:
- Você acaba de revelar uma evidente vocação para presidente da república, governador de estado, prefeito, deputado federal ou estadual, senador, até ministro: não sendo seu o dinheiro, vale fazer o que você quiser.
Pareceu que entenderam e, felizmente, ambos levaram na esportiva. Mas que me preocupa, preocupa!

Imagem: stock unlimited.
http://www.stockunlimited.com/vector-illustration/men-using-laptops_1410441.html

19 de fev de 2013

FLUTUAÇÃO NO RIO SUCURI - BONITO / MS

Um dos grandes baratos em Bonito é flutuar no Rio Sucuri. Água absolutamente límpida, profundidade não muito grande, muitos peixes passando bem pertinho da gente. Por que flutuar e não nadar? Nadar suja a água. Revolve areia no fundo do rio e turva a água. Para curtir o passeio, é importante que a água esteja limpinha. A gente vê tudo o que se passa à volta: peixes, fundo liso, fundo pedregoso (pedras redondas, bem brancas), vegetação subaquática... Muito bonito. A flutuação dá-se ao longo de seis quilômetros. Muito lento, deixando a correnteza levar (deixa a vida me levar, vida leva eu...). A roupa azul é que possibilita a flutuação, sem movimento. O aproveitamento do campo visual é possibilitado pelo snorkel (é assim mesmo, revisão? esta pergunta era muito freqüente em Stanislaw Ponte Preta). Difícil descrever. Vamos ver algumas fotos.


Preparação para flutuar
Tá com jeito de quem vai flutuar? Foi!




Olha só que água! Que visibilidade!





Olha só o tamanho do peixe!
A gente topava de cardume de até oito.







Muita coisa bonita para ver, ainda! Mais imagens no Rio Suciri. No caminho, o mata-pau. Fico devendo, mas sou bom pagador.

18 de fev de 2013

O QUE ESTARÁ ACONTECENDO COM NEYMAR?

CÉLIO MESSIAS/ESTADÃO CONTEÚDO
DEDO EM RISTE
PARA O ÁRBITRO
Confesso que fiz - e continuo fazendo - restrições a algumas das atitudes do Neymar. Acabarei escrevendo sobre elas. Parecia que amadureceu. Ontem, vi o Neymar entrando por trás em um zagueiro da Ponte, empurrando-o com o ante-braço. O zagueiro jogou o braço esquerdo para trás, não sei se intencionalmente, nem sei se atingiu Neymar, mas foi pecado, também. Imediatamente, Neymar dirigiu o dedo em riste ao nariz do adversário. Praticou uma conduta que vários jogadores têm adotado, e da qual discordo visceralmente: jogador meter-se a juiz e admoestar adversários, ou por faltas que praticaram, ou por aquilo que acham ser simulação, que às vezes é, às vezes não. Quem pode admoestar jogador é o juiz. Adversário pode, no máximo, reclamar para o juiz de alguma conduta indevida (em termos, como é possível no voleibol, por exemplo, e não em altos brados, como costumam fazer). Só está faltando jogador entrar com cartão amarelo em algum bolso, e exibi-lo para adversário que o incomode. Ou até para o juiz (já aconteceu de um tomar o cartão vermelho do juiz e exibi-lo no alto para o próprio). Resultou que o zagueiro da Ponte passou a mão no rosto de Neymar, depois apertou-o entre os dedos, tendo Neymar reagido com um golpe no braço do adversário. Alguém, da Ponte, puxou o Neymar, provavelmente para tirá-lo do bolo. Pode tê-lo feito atabalhoadamente, mas a queda do santista foi cinematográfica.
Acho que Neymar tem jogado muito menos do que indica sua capacidade físico-técnica. Minha mulher sugeriu que as múltiplas atividades - jogador de futebol, garoto-propaganda, cuidados com as atualizações do visual, ator, freqüentador de palcos, que cantores famosos o chamam a dividir..., incluindo viagens, isso tudo pode estar prejudicando o desempenho do craque.
Quando as dificuldades de um atleta descambam para o campo disciplinar, envolvendo descontrole emocional, acho que é preciso cuidar do homem.
Se Neymar quiser ser o melhor jogador do mundo (vide http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/12/entao-magica-de-neymar-tera-de-ser.html), não precisa ir jogar na Europa. Precisa é de ser, efetivamente, o melhor jogador do mundo. E para isto...

Foto: Brasil Online (BOL)
http://www.bol.uol.com.br/
Nota: Nas fotos do entrevero, que pude ver na rede, Neymar aparece só como vítima. Não aparece a foto em que ele colocou o dedo no nariz do adversário. Essa aí com o juiz foi uma exceção.

17 de fev de 2013

HORÁRIO DE VERÃO: SERÁ ILUSÃO? (EDITADO AO FINAL, EM 07/10/2013)

Horário de verão chega ao fim (Foto: Reprodução Globo News)
Horário de verão chega ao fim à 0h de domingo
(Foto: Reprodução Globo News)
Tomando conhecimento dos resultados do horário de verão (HV, daqui em diante), fiquei pensando besteira. Os números absolutos podem até impressionar. Mas os valores relativos fizeram-me pensar. Com quem está o besteirol? Comigo ou com os que fazem o horário de verão e enaltecem seus resultados?
Como teria dito o general, "vamos raciocinar"!
O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informa que "...no período houve redução de cerca de 2.477 megawatts (MW), ou 4,5% do consumo na demanda no horário de pico. No horário de verão anterior, a redução de demanda no horário de pico foi de 2.555 MW, representando 4,6%".
Está no G1 BRASIL(http://g1.globo.com/brasil/noticia/2013/02/horario-de-verao-termina-0h-deste-domingo-17.html). Tem mais, segundo a mesma fonte: De 2011 para 2012, a mudança de horário gerou uma economia de R$ 160 milhões, já que reduziu a necessidade de uso das térmicas. No HV de 2012 para 2013, a economia teria sido de R$ 200 milhões caso as térmicas não estivessem ligadas, o que a ONS chama de "despesa evitada". Pioramos 0,1%, na economia de MW. Na economia de milhões, não sabemos, pelo menos dessa fonte. A informação é de que, no HV de 2012 para 2013, a economia "teria sido" de 200 milhões, se... Ficamos sem saber quanto foi (não vou ficar pesquisando, porque só poderá ser menor e estarei considerando o valor que "teria sido").
Está lá que o HV durou 88 dias. 4,5% de economia, em três meses (para efeito de raciocínio, podemos arredondar), temos que a redução de MW foi de 1,5% ao mês. Penso que é muito pouco, para o sacrifício popular que gera.
Vamos pensar sobre os hipotéticos 200 milhões da economia que resultou do HV. Os números absolutos impressionam. Como impressionam os números da população brasileira, 190.732.694, no censo de 2010. Como os 200 milhões de reais economizados são hipotéticos (a hipótese, repito, é na base do "teria sido") e, apesar de haver morrido muita gente, de 2010 para cá, muita gente continuou fazendo neném, com muitas moçoilas entre 15 e 18 anos entrando na linha de produção, podemos arredondar tudo para 200 milhões, para facilitar cálculos. 200 milhões divididos por 200 milhões = 1, segundo os melhores matemáticos.
Ô sô do céu! 1 real de economia para cada brasileiro!!!!!!!!!!!!!!! Não é possível! Devo ter errado nos cálculos!
Será que os tomadores de decisões levam em conta que milhões de trabalhadores e de estudantes acordam muito mais cedo (e não dormem mais cedo, porque com o calor do verão é muito difícil dormir às nove da noite), o que pode significar deseconomia na saudabilidade de vida dessas pessoas? Para ganhar um real, no fim da briga? Ou será que essa saudabilidade será tão desimportante que não precisa entrar na conta?
Penso que é muito fácil, em um gabinete com ar condicionado, ignorar que milhões de brasileiros acordam às 5 horas (que, na verdade, são 4), para enfrentar metrô ou coisa "mais pior" para chegar à escola ou ao trabalho na hora certa. Penso que é fácil para eles, também, ignorar o enorme número de cochilões que andam pelos metrôs de São Paulo. Bacano não anda de metrô.
Ah! Mas os grandes desígnios da Pátria exigem sacrifícios, uai!

EDIÇÃO EM 07/10/2013:

ESTAMOS PERTO DE OUTRO HORÁRIO DE VERÃO. Gostaria que matemáticos legítimos (e não piratas, como eu) pensassem sobre os cálculos e as bases usadas em meu escrito, sobre o horário de verão passado. Acho que a coisa anda mais russa e os cochilões continuam lotando os metrôs, o tempo todo.

EDIÇÃO EM 15/02/2014:

Estamos terminando outro HV. Ouvi, em reportagem televisiva, que houve uma economia de 400 milhões de reais. Ô Sô do Céu! Dobrou a economia! Então, tá muito bão, uai! Virou 2 reais para cada pessoa (per capita, como gostam os economistas). Ainda estou achando muito pouco, para o tamanho do sacrifício. Só pitaco de blogueiro...




16 de fev de 2013

SOBREVIDA

Acabo de ganhar uma hora na minha vida. Só por causa de um atrasar de relógio. Assim é o horário de verão, com suas ilusões várias. Minha mulher está de plantão em hospital público. Pardoxalmente, perde uma hora, porque o relógio foi atrasado e ela ficará uma hora a mais em seu plantão. O mesmo fenômeno resulta em ganho ou em perda, conforme aquilo que a pessoa estiver fazendo no momento. Quem estiver trabalhando perde. Quem estiver farreando ganha. Quando ainda tomava cerveja, aproveitava a última noite do horário de verão. Naquele tempo, tomava cerveja por hora, que nem o fazendeiro que tinha tantos porcos que vendia porco por minuto: abria a porteira e marcava tantos minutos de porco, conforme o pedido do freguês. Uma hora a mais, houvesse cerveja!


Emergência do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres funciona até o dia 30Foto cerveja: LeiaJá
http://www.leiaja.com/cultura/2012/mais-uma-opcao-de-bar-e-comedoria-na-zona-norte

Foto hospital: Correio Lageano.
http://www.clmais.com.br/informacao/24916/



NA VERDADE... ASSIM...

Na verdade, um montão de coisas, apenas para servir como reforço. Como tem proliferado essa forma de expressão. Só hoje ouvi duas vezes: primeiro, uma explicação sobre um fato, iniciada com "na verdade...". Depois, vendo matéria no deserto do Atacama, a narradora tomou de uma pedra quadrada (havia muitas cortadas assim) e disse que "na verdade", esta pedra é muito usada na construção civil; que funciona como isolante de calor, sendo muito útil em um lugar onde as temperaturas variam de muito alta para muito baixa, no período de 24 horas. Precisava do "na verdade"?
Penso que os narradores de notícias têm muito medo de que não acreditemos no que dizem. Pensarão que, se disserem "na verdade" dissiparão nossas dúvidas? Ou será que pensam que as notícias que dão sejam, "na verdade", inacreditáveis?
No mesmo rumo vai a expressão "assim". Os repórteres, os narradores, dizem que a coisa ficou "assim", sem explicação sobre "que assim".
São hábitos da fala coloquial, que, para mim, despertam suspeitas. Pense em um vendedor que esteja dando informações sobre sua mercadoria e, no meio da conversa, diga: "minha senhora, esta escova, na verdade, faz de tudo... seca, alisa,..."assim...". Quem vai acreditar, "na verdade"? "Assim"...

Imagem: Força Jovem Padre Pedro
http://conexaoforcajovem.blogspot.com.br/2012/03/duvida-maldita.html

15 de fev de 2013

ME DISSERAM...

"Ninguém que não seja um grande escultor ou pintor pode ser um arquiteto. Se não é um escultor ou pintor, apenas pode ser um construtor." - John Ruskin.

"É preferível um velho adversário a um novo inimigo." - Adágio Político.

"Passei mais da metade de minha vida a me preocupar com coisas que jamais iriam acontecer." - Winston Churchill.

"Mais almas têm sido destruídas pelo dinheiro que corpos pela espada." - Walter Scott.

"Tudo quanto possas fazer, faze-o sem perda de tempo: pois nenhuma obra ou pensamento, ou sabedoria ou ciência, há de ser praticável na sepultura, para a qual vais correndo." - Eclesiastes.

"O reconhecimento de um erro envolve uma nova verdade." - José Ortega y Gasset.


Imagem: frases de liberdade
http://www.grandesmensagens.com.br/frases-de-liberdade.html
 

NOVELA É NOVELA. E É DO DONO DELA!

Desta vez é "a dona dela" - a Glória Perez. Continuo vendo os lados bons das novelas: exposição de um fenômeno muito desfavorável, que é o tráfico de pessoas; exposição dos aspectos que envolvem as separações de casais. De quebra, algumas atuações muito boas de atores. Em "Salve, Jorge!", não estou vendo muita coisa, agradam-me apenas o malandro Pescoço, a fofoqueira Diva e a periguete Maria Vanúbia. Não vejo brilho nos protagonistas. Ah, penso que Celso também está com desempenho legal. Quando um ator consegue irritar muita gente, é porque está bem na fita.
Já havia dito antes, sob o mesmo título (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/03/novela-e-novela-e-e-do-dono-dela.html), o que me agrada e o que não me agrada em novelas. Admiti, mesmo, que, se não estou satisfeito, que escreva uma. Na base do "...quem quiser que conte outra!". Ora direis: então, por que ainda assiste? Direi, ora: se não assistir, não terei como falar mal.
Vamos combinar: não somos bons em suspense. Aquele segredo todo sobre as atividades dos "bandidões" e o medo de retaliações não poderia ser encaminhado a um "disque denúncia"? Dizem que existe e que funciona. Não seria uma ótima oportunidade de dar destaque a um método investigativo de que não gosto muito (há evidente risco de denúncias falsas e o denunciado corre o risco de "falar guarani" nas mãos dos homens, para provar que não é), mas que tem produzido mais efeitos positivos? Nem vi falar de efeitos negativos. Já que não se pode falar abertamente, a cidade (Rio) está cheia de orelhões por aí, longe do Alemão. Não se verá estranheza, também, no fato de o Russo pagar fiança para a Jéssica, assim abertamente, sem colocar um laranja na parada? Ninguém paga fiança em delegacia sem que seu nome apareça. Qualquer polícia, em qualquer parte do mundo, terá de ficar de olho em quem paga fiança de outrem, não sendo advogado. Ninguém desconfia de alguém que pague fiança para liberar uma mocinha, em um lugar onde se explora prostituição explícitamente? Só pelo fato de ser conterrâneo? Mas a trama envolve conterrâneos fazendo tráfico de conterrâneos, uai! Depois, botar um coronel para pagar a fiança da Wanda? Coronel mais ingênuo, sô! Pintar num quadro de pagamento de fiança em delegacia! Por fim, para assustar-me mais: uma tenente do Exército Nacional - ainda que veterinária - encontra uma embalagem de medicamento perto da baia do cavalo do Théo. Pega-a sem o cuidado que deveria ter para preservar impressões digitais e, mais que isto, perpassa-a nos próprios dedos, amassando-a e misturando ali suas próprias impressões. Argumentem que uma tenente veterinária não tem conhecimento de procedimentos investigativos. Responderei que qualquer pessoa com escolaridade de nível superior já ouviu falar, mesmo em filmes, da necessidade de preservar impressões digitais, e de preservar as próprias não as misturando com pré-existentes.
Repetitivo, vou dizer o que já disse naquela outra postagem: "Mas o que estarei fazendo eu aqui? Se não estiver satisfeito, que escreva uma novela, uai! A novela é da Glória Perez, não é? Então, que eu deixe de ser intrometido e que ela faça o que quiser com a novela dela, ora!"

Foto: Trade Clube
http://tradeclube.com/?p=998

14 de fev de 2013

RECONHECIMENTO

PENSAM QUE EU IRIA PROCURAR UM CHATO PARA ILUSTRAR?
MAIOR CHATICE! MELHOR UMA FLOR BONITA.



Dois amigos moravam perto e trabalhavam juntos. Todos os dias, deslocavam-se no mesmo ônibus, na ida e na volta ao trabalho. Numa tarde, um deles disse que não iria direto para casa, pois precisava resolver uma coisinha. Tinha de tomar outro ônibus. Ao correr para alcançá-lo, caiu-lhe do bolso a carteira de identidade. Ainda da porta do ônibus, gritou ao amigo que pegasse a carteira e levasse para ele. Foi-se. O outro iniciou a caminhada para alcançar o documento. Um sujeito já se havia aproximado, pegado a carteira e colocado no bolso. O amigo virou-se para o estranho e disse-lhe que aquele documento tinha sido deixado cair, por seu amigo, que pedira que o levasse para ele. Explicou que moravam perto e trabalhavam juntos. O outro, muito sério, perguntou:
- Como se chama seu amigo?
- Flaudemílio, respondeu o amigo.
O estranho tirou o documento do bolso, olhou-o atentamente e perguntou:
- Flaudemílio de quê?
O amigo não se conteve: deu um safanão no chato, tomou-lhe a carteira e disse:
- Não enche, cara! Quem acerta Flaudemílio precisa acertar mais alguma coisa?

Colhida em crônica de Stanislaw Ponte Preta.



Foto: Samuel Rolo.
http://samuelrolo.blogspot.com.br/2009/03/flor-de-lis-todas-as-ruas-do-amor.html