30 de jun de 2013

DEU TUDO CERTO E DEU TUDO ERRADO! LUGAR COMUM NAS GOLEADAS.


Brasil-Espanha-bandeirasModernamente, três gols bastam a uma goleada. Não me modernizei, ainda. Goleada, para mim, tem de ser com quatro gols ou mais. Abro uma exceção: hoje, com o futebol que a seleção brasileira jogou em cima da espanhola, admito considerar três gols uma goleada.
Diferença de capacidade técnica, individual e coletiva grande? Penso que não. A seleção espanhola bem que tentou safar-se da marcação cerrada adversária. Não conseguiu. Apesar disto, promoveu alguns lances de grande perigo. Então, por que a goleada a zero?
Tenho um ponto de vista específico sobre goleada de um time muito bom em cima de outro time muito bom. Sempre achei que tudo deu certo para um e tudo deu errado para o outro. Vejamos:
Na jogada do primeiro gol, aconteceu de tudo. Neymar pareceu-me impedido. Mas quando a bola dirigia-se a ele, a meia altura, o espanhol que estava entre Fred e ele deu um tapa na bola, que foi da mão do espanhol para o chão, à frente de Fred. Este encolheu a mão, para não tocá-la e para não atrapalhar o lance do chute em gol. Mesmo caído, o atacante marcou. O lance do segundo gol começou com Neymar passando a bola a Oscar e, seguindo em movimento, ficou impedido. Oscar segurou a bola o tempo suficiente para Neymar voltar do impedimento e só então lançou o camisa dez, agora em condição legal. Terceiro gol: bola rasteira na direção de Neymar que desviou-se rapidamente, entortando o corpo e deixando passar para Fred. Tudo perfeito, em termos de tempo e movimento. O chute de Fred, de primeira, também foi perfeito.
Tudo deu certo para o ataque brasileiro e nada certo para a defesa da Espanha.
Do lado da seleção espanhola: Davi Luiz, perfeito senso de cobertura, salvou, em cima da linha, bola dificílima de não se tornar gol contra; o mesmo zagueiro virou um gigante, tomando conta de seu pedaço com a maior autoridade. Depois, no pênalti, Júlio César cai no canto certo, parecendo até que poderia por a escanteio, mas a bola foi para fora. Mais dois lances de defesas muito oportunas de Júlio César mantiveram o zero dos espanhóis.
Então. Tudo deu certo para a defesa brasileira e tudo deu errado para o ataque espanhol.
Depreciação da vitória da seleção brasileira? Jeito nenhum! De Júlio César a Neymar, todos jogaram um partidaço. Não deixaram jogar e jogaram muito bem. Mas a seleção espanhola poderia, pelo menos, ter diminuído com o pênalti e com a bola que Davi Luiz tirou quase em cima da linha, e evitado a goleada.
Não era dia de Espanha.
Era dia de Brasil!

Foto: Ponto & Contraponto
http://pontoecontraponto.com.br/

FALA SÉRIO, MINISTRO!



O Ministro das Comunicações comentou a reação do Planalto à pesquisa do Datafolha que revelou queda de popularidade da Presidente Dilma. Transcrevo o que ouvi do próprio Ministro, em entrevista gravada em vídeo (Globonews - http://g1.globo.com/globo-news/jornal-globo-news/videos/t/todos-os-videos/v/ministro-paulo-bernardo-diz-que-presidente-dilma-esta-tranquila-com-pesquisa/2663649/):

"A pesquisa ainda não foi lida porque nós vimos só matéria de jornal. Não saiu a medida da aprovação da presidente. Não saiu ainda alguns dados que seria interessante ver. Eu particularmente acho que essa pesquisa deve ter afetado a popularidade, a aprovação de todos os governos, não apenas o governo federal, até porque todo mundo sabe que as manifestações, as mobilizações não foram feitas contra o governo federal, foi feita uma pauta de reivindicações contra alguns pontos que os manifestantes consideram importantes.
Então, com certeza, a pesquisa deve ter afetado mais também. Mas a presidente está muito tranquila, muito calma. Ela reconhece que tem uma mudança e acha que a receita o remédio para isto é nós trabalharmos bastante aí, já estamos trabalhando, entender mais pontos relativos às mobilizações populares e dar resposta dar solução quando tiver ou dizer que não tem solução, quando não tem, acho que é o papel do governo."

Assinalei, em negrito, os pontos que acho mais importantes e que passo a comentar.
Segundo o Ministro, "todo mundo sabe que...". Data venia do Ministro, eu não sei. Pensava que as manifestações dirigiam-se a todos os administradores públicos, da cabo a rabo, incluindo a União Federal, e com muita veemência e objetividade. As reivindicações são claras e indicam, além das passagens de ônibus - o mote - atividades da competência da União Federal, como saúde e educação. No mais, houve muita crítica aos gastos com construção de estádios maravilhosos, incluindo o de Brasília, onde o futebol tem pequeníssima expressão nacional. Para variar, corrupção.
Mas vou deixar de leréia. Prefiro postar alguns cartazes, que - se o Ministro estiver com a razão - devem ser montagens feitas por forças conspiratórias.


 
Voz da Igreja
13 mil confirmam presença em protesto de hoje; organizadores esperam mais de 30 mil
Olhardireto






UOL Notícias





UOL Notícias (nada a ver com o
governo federal, acha o Ministro).

UOL Notícias. Nota do cadikim: O Ministro acha que tem nada
a ver com o governo federal.



Blog do B. Silva
Quanto à vaia à Presidente da República, na abertura da copa, deve ser coisa do Parreira, quanto a gol: um detalhe.

Segunda parte: então, a Presidente está tranquila? Acha que o remédio é trabalhar (o que já deveriam estar fazendo, desde muito antes das manifestações)?
Aí, eu fico achando que o negócio dos manifestantes é recrudescer. Seguir fazendo outras e mais incisivas, para que ela fique preocupada e procure saídas imediatas, sem essa de jogar para frente, com plebiscito, destinação do pré sal, reforma política, tudo o que demanda tempo, e que está sendo tratado em correria teatral , para poder empurrar com a barriga até as eleições de 14, com copa do mundo no meio.
O caminho é longo, crianças. Mas vocês estão mandando bem!
Ressalvo minha oposição, quanto às quebradeiras. Infelizmente, isto tem feito parte de todas as manifestações populares por que passei, desde 1950. Povo na rua, tinha pancadaria, quebra-quebra, o diabo. Em qualquer governo e contra qualquer governo. Ninguém me venha dizer que as greves no ABC foram absolutamente pacíficas. Acho necessário "despartidarizar". Nossa política partidária é tão passional como nosso futebol nas arquibancadas. MELHOR PENSAR!

29 de jun de 2013

"O 'OLÉ' NASCEU NO MÉXICO"

É João Saldanha quem nos conta como e onde nasceu o "olé", tão gritado pela torcida quando o seu time fica trocando passes, sem deixar que qualquer adversário ganhe a bola. O título está como no original, no livro "Os Subterrâneos do Futebol". Transcrevo só o trecho alusivo à aparição do "olé".

"Estava muito difícil fazer gol. Poucas vezes vi um jogo disputado com tanta seriedade e respeito mútuos. Mas houve um espetáculo à parte. Mané Garrincha foi o comandante. Dirigiu os cem mil espectadores, fazendo reagirem à medida de suas jogadas. Foi ali, naquele dia, que surgiu a gíria do Olé, tão comumente utilizada posteriormente em nossos campos. Não porque o Botafogo estivesse dando Olé no River. Não. Foi um olé pessoal. De Garrincha em Vairo.
Nunca assisti a coisa igual. Só a torcida mexicana com seu traquejo de touradas poderia, de forma tão sincronizada e perfeita, dar um Olé daquele tamanho. Toda vez que Mané parava na frente de Vairo, os espectadores mantinham-se no mais profundo silêncio. Quando Mané dava aquele seu famoso drible e deixara Vairo no chão, um coro de cem mil vozes exclamava: 'Ôôôôô-lê"! O som do Olé mexicano é diferente do nosso. O deles é o típico das touradas. Começa com um ô prolongado, em tom bem grave, parecendo um vento forte, em crescendo, e termina com a sílaba "lê" dita de forma rápida. Aqui é ao contrário: acentua-se mais o final "lé": "Olééé!" - sem separar, com nitidez, as sílabas em tom aberto.
Verdadeira festa. Num dos momentos em que Vairo estava parado em frente a Garrincha, um dos clarins dos mariaches atacou aquele trecho da Carmen que é tocado na abertura das touradas. Quase veio abaixo o Estádio Universitário.
Numa jogada de Garrincha, Quarentinha completou com o gol vazio e fez nosso gol. O River reagiu e também fez o dele. Didi ainda fez outro, de fora da área, numa jogada que viera de um córner, mas o juiz anulou porque Paulo Valentim estava junto à baliza. Embora a bola tivesse entrado do outro lado, o árbitro considerou a posição de Paulinho ilegal. De fato, Paulinho estava offside. Havia um bolo de jogadores na área, mas o árbitro estava bem ali. E Paulinho poderia estar distraindo a atenção de Carrizo.
O jogo terminou empatado. Vairo não foi até ao fim. Minella tirou-o do campo, bem perto de nós no banco vizinho. Vairo saiu rindo e exclamando: "No hay nada que hacer. Impossible" - e dirigindo-se ao suplente que entrava, gozou:
"- Buena suerte muchacho. Pero antes, te aconsejo que escribas algo a tu mamá."
 
Fonte: Os Subterrâneos do Futebol, João Saldanha, Livraria José Olympio Editora, 3ª edição,  Rio de Janeiro, 1982, págs. 103/104.
Foto Garrincha: Minha Gorda Querida (o "o" de "gorda" é uma bola).
 
Foto tourada: globo esporte.com Blog do Torcedor

NALBERT DRIBLANDO TODO MUNDO

Agora comentarista esportivo, especializado em voleibol, Nalbert participava da transmissão do jogo Brasil x França, hoje pela manhã. Durante um tempo - não me lembro se técnico ou pedido - o treinador da equipe francesa deu instruções a seus atletas. O narrador observou que falara bastante e que falara em francês. Para que entendêssemos, falou que o jeito era pedir a ajuda de Nalbert. O capitão disse mais ou menos o seguinte, falando muito depressa; Bernardinho fez bem a substituição de fulano por beltrano e William foi muito bem no saque... foi falando de outras coisas até que o tempo de interrupção acabou e o jogo voltou a acontecer. Driblou todo mundo que esperava a tradução do que o técnico francês falara. Nada mau para o grande jogador que foi: driblou até a própria sombra.

Foto: twitter.
https://twitter.com/nalbert12

ILUSÃO MUITO MALUCA! AGORA, NO JOGO BRASIL X FRANÇA, PELA LIGA MUNDIAL.

Tinga, no Cruzeiro. Tem um sósia
bem maior no vôlei francês.
Uai! - pensei. O Tinga está jogando vôlei pela seleção da França, contra a Brasileira? Voltei a mim, rapidinho. Para que isto pudesse estar acontecendo, teria sido necessário que o Tinga mudasse de esporte e ficasse muito craque; mudasse para a França; conseguisse a naturalização... E - um detalhe - para ficar crescidinho como francês que está jogando agora, teria gasto um tempo muito grande.

Foto: UOL Esportes
esporte.uol.com.br

28 de jun de 2013

O POETA WANDER PORTO DÁ O AR DE SUA GRAÇA

TEU NOME

Quantos misteriosos
E infinitos passos
Passaram lépidos pela opção de espera
Dos passos do passageiro?

Quanta burocracia vã
E cupons escritos
Ao lixo nas estações do homem
Por um simples embarque de amor?

Quantos animais de tiro
Resfolegaram asco
E recusaram carruagens por ínfimos que fossem
As lembranças e os alforjes de afeto?

Qual insano pássaro
Empunha suas penas
Empenha suas plumas
Em combates de amor?

Qual carência tão atroz
Recusa iguarias de França
Em tempo de sobreviventes?

Qual orgulho tão altivo e tolo
Rejeita a dádiva do similar
Lúcido que o raro inexiste?

-Não, Não direi o teu nome!!!!-

Do reduto das intempéries
Pagarás os tributos do Inverno
E os encargos da anonimia.

Espero, esperarei,
Aqui no mantra da Poesia,
Nos suores de uma terçã,
Que a Primavera o publique:
Numa dilúvia temporã,
Numa Aragem Subvertida,
Ou quando
De Flor Plástica, Urbana e Desbotada
Em Fruta fores Convertida!


Imagem: MÍNIMOS.
http://miniminimos.blogspot.com.br/2010_09_01_archive.html

O LADO DENISE DO "ALVORADA MINEIRA"

Sabor delicioso o tal de
doce de graviola. Lambe os beiços,
Cabeçudinho - guloso!
Denise Tibúrcio - a Deusa do Vinho - é personagem obrigatória do programa "Alvorada Mineira", em que Bernardo Franco - o Negão - e Marquinhos Massa - o Cabeçudinho - transmitem bom humor durante três horas, todos os dias. Meus amigos aproveitam da bondade, da boa vontade, da disponibilidade de minha tia - Denise Tibúrcio adotou-me como sobrinho querido. Titia faz "de um tudo" para agradar os dois, que, fingindo-se de amigos dela, mandam-lhe farpas todos os dias - é claro que ela não é de suportar calada e esculhamba também. Sopram e mordem, meus amigos: ora dizem que ela é a chefe, diretora, montão de coisas da página do Alvorada Mineira, porque, se não adularem a moça, perdem as atualizações; qualificam Titia como a artesã mais premiada do Brasil; depois, mordem sem piedade, chamando-a de várias coisas que eu não vou publicar porque não gosto que falem mal de Titia.
Hoje, meus amigos contrariaram-me muito: quando Titia mandou uma mensagem, dizendo que estava sem rádio, e emitindo um doloroso "buáááááá!", os dois fizeram chacota dela. O Negão falou que era preciso que alguém desse um rádio para Titia, porque ela não compra, de jeito nenhum. O Cabeçudinho falou que Titia é "munheca".
Blasfêmia! Deveriam é ter saído correndo, imediatamente, atrás de um dos patrocinadores do "Alvorada Mineira", que os tem de montão, e batalhado um rádio dos mais bacanas e levado para a Titia, na mesma hora, porque é uma honra para eles a audiência dela, que acaba arrastando outros ouvintes.
O contrário do meu redator, que adula Titia sempre que pode e só fala coisas boas dela. Também, só o fato de ter querido adotar-me como sobrinho é o bastante para encher meu redator de vaidade e de alegria.
Por isto é que Titia trata tão bem o meu redator. Vejam lá nas fotos - Negão e Cabeçudinho - o redator comendo doce de graviola, maior delícia, com direito a tacho de cobre no fogão.
Sacou o detalhe do tacho
de cobre? Tem desse na
Fazenda Franco, Negão?
PS.: Tento imitar, nesta postagem, o ambiente do "Alvorada Mineira". Quem não conhece e ouve pela primeira vez, pode pensar que meus amigos são briguentos entre si e esculhambam alguns ouvintes - sempre incluindo nas piadas do Cabeçudinho (principalmente as maliciosas) personagens que são amigos dos radialistas e do programa. Muita esculhambação, mas só com gente que conhecem e que os conhecem, sempre mantendo um clima de muito bom humor.

Fotos: Denise Tibúrcio.

26 de jun de 2013

LUGANO FOI DISSIMULADO. DAVI LUIZ FEZ O PÊNALTE

Falei, hoje, no intervalo do jogo, da cara de pau do Lugano e do que acho do comportamento dele em campo. Acho que não joga limpo.
Vi ninguém comentando a ação de Lugano, imediatamente antes do pênalte. Quando a bola estava sendo alçada na área, Lugano estava com a mão sobre o peito de Davi Luiz, provavelmente empurrando-o. Quando os dois se movimentaram, deu para ver Lugano puxando a camisa de Davi, na altura do peito, e largando-a imediatamente. Dissimulação que poderá ter causado ligeiro desequilíbrio no zagueiro. Foi aí que Davi Luiz agarrou Lugano, que caiu. Pareceu-me que o juiz estava de frente para o lance, desde o princípio porque, depois que apitou, caminhou da "meia esquerda" em direção à marca do pênalte. O caminho passava pelos dois. Penso que se Davi Luiz tivesse caído, quando Lugano puxou sua camisa, o juiz teria visto e apitado falta. Se repetirem o lance, pela tv, dará para perceber a mão de Lugano puxando a camisa do zagueiro.

David Luiz puxa Lugano na área após cobrança de escanteio, ganha amarelo, e o juiz marca pênalti para o Uruguai, ao 12 minutos Foto: CHRISTOPHE SIMON / AFP
Amarelo para Davi Luiz, após o pênalte
 
No dia 22, falei que Luiz Gustavo é um perigo, que agarra demais. Acho que, enquanto o lance acima se desenrolava, Luiz Gustavo agarrou outro uruguaio. Penso que se Davi Luiz não tivesse feito a falta, o juiz poderia ter dado pênalte de Luiz Gustavo.


Foto: O Globo Esportes
http://oglobo.globo.com/copa-das-confederacoes/as-imagens-da-semifinal-brasil-uruguai-8820393

CARA DE PAU DO LUGANO

Sempre considerei Lugano um dos zagueiros mais violentos e desleais do futebol. Desde o tempo em que o via jogando pelo São Paulo. Pode dizer que é voluntarioso, raçudo... Concordo com que seja. Mas não é raro vê-lo visando o corpo do adversário, as pernas... Tanto é assim que é freguês contumaz de cartões das duas cores. Nesta Copa das Confederações, recebeu dois amarelos em dois jogos seguidos. É o jeitão dele mesmo.
Pois não é que o Lugano, na maior cara de pau, foi dizer, em entrevista, que Neymar é "cai-cai" e enfatizou que o nosso craque é muito habilidoso para simular, o que impressiona os juízes.
Nem vou comentar o quanto o Neymar apanha.
Pileated WoodpeckerPara mim, o relevante das declarações de Lugano é no sentido de impressionar o árbitro, que poderá saber da entrevista, para que não marque faltas que fizer em Neymar.
Muito vivo, mas muito cara de pau.
Aqui não, pica-pau, que aqui é aroeira!





Foto: Espírito Animal Totens
http://spirit-animals.com/woodpecker/

O QUE ACHO UMA FORMA ODIOSA DE CENSURA. ACHO MUITO FEIO IRONIZAR AS MANIFESTAÇÕES POPULARES.

02.jpg
Não cabem todas as demandas no espaço
de uma foto.



Uma amiga mandou-me uma postagem com quadrinhos indicando que "revolucionários" não sabem o que querem. Ironizar manifestações que estão dando o que falar, o que pensar, e - agora - o que dizer que vão fazer - é uma forma de censura que considero muito feia. Na postagem que me veio ao PC, os quadrinhos não contêm assinatura (pelo menos, não consegui identificar). Então, não sei de quem estou falando.
Minha primeira ideia é no sentido de que tantas e tão relevantes são as carências que incomodam o povo que nem há como priorizar: segurança geral nas cidades e nas rodovias (assaltos em ambos os espaços)? saúde? transportes? organização viária das cidades? educação? oportunidades iguais? aplicação honesta e eficaz dos recursos financeiros (dinheiro do povo)? Não dá para saber mesmo. Por isto, rejeito a ironia.
03.jpg
Outras faixas / cartazes apresentam
outras demandas.





Aspecto mais sensível, para mim, é que o autor dos quadrinhos poderá não ter pensado que o povo não precisa dizer ao governo o que quer. Basta mostrar insatisfação. Mais nada! Os governantes, por dever de ofício, têm obrigação de saber o que o povo quer e o que o torna insatisfeito (que não quer). Tanto que sabem, que prometem, nas campanhas eleitorais. E tanto que sabem que resolveram, em prazo curtíssimo, após as manifestações de rua, destinar 75% da grana do pré sal para a saúde e 25% para a educação; resolveram, no mesmo prazo, reverter a expectativa de quinze dias atrás, quanto à PEC 37; e já abriram espaço para discutir uma reforma política. Será que não sabiam que o povo queria isto? E será que não sabiam que o povo não quer impunidade, pessoas condenadas ocupando cargos públicos (o povo não quer e não entende), corrupção...
É claro que o autor dos quadrinhos, no uso da liberdade de expressão, pode ironizar os compatriotas cujas expressões públicas e explícitas estão impactando tanto os governantes.
"É demais para os meus sentimentos, tá sabendo?" (Chico Anysio e/ou Arnaud Rodrigues, em Baiano e os Novos Caetanos).

Fotos: Isto É Independente.
http://www.istoe.com.br/reportagens/309047_FALOU+TA+FALADO?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

MELHOR SÓ IREMOS SABER NO FIM DO JOGO. PARODIANDO CHACRINHA: O JOGO SÓ ACABA QUANDO TERMINA.

O "Velho Guerreiro", que
fez história e escola na tv brasileira.
Oba-oba é um perigo! Durante a semana tenho ouvido falar que a seleção brasileira é melhor do que a uruguaia; que é preciso tomar cuidado, mas que a nossa seleção está melhor. Por aí a fora.
Parece que as pessoas que estão comentando são amadoras, que não conhecem as surpresas do futebol... parecem estarem alheias a isto. Trata-se de profissionais que, além de virem acompanhando o dia a dia do futebol, com suas manhas, apagões, coisa e tal, conhecem a história do esporte, por dever de profissão.
Nem é pessimismo, nem premonição, nem nada disto. Sou brasileiro como qualquer outro. Nem estou de pé atrás. Não me agrada é o ufanismo, para atrair a atenção da torcida.
Há três resultados possíveis em um torneio como o que está sendo disputado: ganhar, perder e empatar. Nas semifinais, só dois. O empate é apenas provisório. Resolve-se nas cobranças da famosa marca de cal.
Vamos torcer para a seleção brasileira? Vaaaamoooos!
Vamos vibrar com cada jogada positiva, com cada gol do nosso time? Vaaaaamooooos!
Vamos entrar como o melhor, como se apenas tivéssemos noventa minutos separando-nos da final? Evidentemente, nããããããããooooooo!
Não somos os melhores; estamos em patamar inferior ao do Uruguai, no ranking da FIFA. Isto não é determinante. Se fosse, a FIFA já poderia consagrar a Espanha como vencedora da copa, porque está no primeiro lugar do ranking, disparado, com grande diferença para demais semifinalistas (só a seleção italiana não está tão abaixo como a uruguaia e a brasileira). Não bastasse isto, o jogo ainda não acabou. Nem o torneio. Os quatro semifinalistas podem ser finalistas. Um dos quatro pode ser campeão.
Baixemos a bola e torçamos para comemorar a classificação à final. Mas só no fim do jogo que, como dizia o Chacrinha, sobre seu programa, "só acaba quando termina".

Foto: Blah Cultural.
http://blahcultural.blogspot.com.br/2012/02/chacrinha-vira-tema-de-exposicao-em.html

25 de jun de 2013

A PEC 37: O QUE É REALMENTE?

DUAS IDEIAS. ESCOLHER POR IMPULSO
NÃO É CIDADANIA






Recebi mensagem de um amigo que prezo muito, que respeito por sua dedicação aos estudos e ao ensino, pedindo-me que clique para dizer não à "pec da impunidade".
Resolvi estudar o assunto, buscando informações na Constituição Federal, no Código de Processo Penal e em três leis federais alusivas ao Ministério Público, duas voltadas para o Ministério Público Estadual e uma para o Ministério Público Federal.
Transmiti minhas anotações (sem opinião) para minha filha caçula, estudando antropologia. Discutimos, por telefone, tendo ela admitido que não conhece alguns aspectos da questão (não todos; é estudiosa e muito polêmica, graças a Deus!).
Assisti a debates sobre o assunto (aconteceu só em tv por assinatura, quando o governo deveria promover através da tv aberta, se pretendesse que o povo soubesse um mínimo a respeito). De um lado, o representante da classe dos integrantes dos Ministérios Públicos. Do outro, o representante dos Delegados de Polícia. Os primeiros estão de olho no osso; os segundos não querem largá-lo. Há interesses corporativos evidentes.
Verifiquei, em um outro debate, que mais de noventa por cento das pessoas que estão querendo ver descartada a PEC 37 não têm conhecimento real do que isto representa. Não é por culpa dessas pessoas, mas de um sistema educacional que não prepara as pessoas para o exercício político. Vejamos: há um massacre estatístico, em pesquisa na Câmara (ou no Senado, não tenho certeza), com mais de oitenta por cento escolhendo a alternativa "contra" a PEC. Veja-se que os que opinam têm apenas duas alternativas e pouca ou nenhuma informação.
No e-mail que recebi, pedindo para clicar contra, há uma assinatura: www.avaaz.org. Sem a mínima ideia de quem seja, recorri ao google. Encontrei no "quem somos" da página:

A Avaaz é uma comunidade de mobilização online que leva a voz da sociedade civil para a política global.

É muito pouco para mim. Não me basta que digam "o que querem ou o que fazem". Gosto que me contem "por que querem e porque fazem".
Gostaria que as pessoas realmente interessadas no assunto buscassem informações na lei, primeiro, para verificar se estão mesmo excluindo o Ministério Público das investigações criminais. E para pensar se não há interesses para que a entrega das investigações criminais ganhe status constitucional. E se é necessário esse status ou se, de alguma forma, dificulta uma futura modificação necessária (questão estratégica).
O que mais me chocou, entretanto, é atribuir à PEC 37 o epíteto de "PEC da impunidade".
Certamente o criador quis incutir nas pessoas que, se retirar o Ministério Público das investigações criminais, será gerada mais impunidade do que já está aí. Acho isto péssimo porque, primeiro: deixa a impressão de que a Polícia Federal e a Polícia Civil não cumprem com precisão suas tarefas; segundo: que, se isto for verdade, não adianta promover ações para que as tarefas sejam cumpridas a contento pelas Polícias e que, portanto, melhor é deslocar a atribuição para o Ministério Público. E se o Ministério Público vier a não ser eficaz, iremos deslocar a atribuição novamente?
O mais chocante, entretanto, é que, se o objetivo da PEC é promover a impunidade, então os nossos parlamentares estão fazendo tudo para que possam continuar impunes, quando forem agentes de crimes. O deslocamento da atribuição para o Ministério Público resolve isto?
É "pra lamentar" (o trocadilho não é meu, ouvi ou li há muitos anos e a memória não me conta de quem).

Imagem: Brasil Verdade
http://brasilverdade.net/voce-esta-sendo-enganado-sobre-a-pec-372011/
Nota: a responsabilidade de ser verdade ou não o que a página relata é exclusivamente de quem escreveu. Só quis colocar duas ideias antagônicas. Só um estudo cuidadoso poderá levar a conclusão de qual ideia é melhor (ou menos má).

24 de jun de 2013

UAI! JÁ GANHAMOS DO URUGUAI?

Foi o que pensei, quando, chegando atrasado, peguei o Arena Sportv pelo meio. O âncora perguntou ao Roberto Carlos se a seleção brasileira está pronta para jogar com a Espanha.
Brasil x Uruguai na semifinalUai! Será que eu não vi o jogo contra o Uruguai, que o Brasil ganhou?
Ah! O Brasil não enfrentou o Uruguai, ainda?
Mas como é que o Roberto Carlos respondeu que está? Então a seleção brasileira está pronta para enfrentar a Espanha?
Mesmo respeitando um dos maiores laterais que atuaram no futebol brasileiro, asseguro que não está. Falta um detalhezinho, pequenininho: será necessário ganhar do Uruguai, antes.
Sem oba-oba, claro!


Imagem: RÁDIO BrasilSul
http://www.radiobrasilsul.com.br/default/

23 de jun de 2013

AGORA O GALVÃO ME PIROU!





Sei que é difícil fazer ao vivo. Principalmente porque não dá retífica. Falou, tá falado. Temos de convir, entretanto, que o Galvão tem uma estradona para trás e, por isto, deve ter experiência bastante para cuidar melhor do que fala.
Muita gente relata coisas faladas pelo Galvão, que dizem não estar nos conformes. Tenho visto alguma coisinha e já relatei, no cadikim. Mas ontem, narrando o jogo entre as seleções brasileira e italiana, o Galvão deixou-me atônito, piradão mesmo. Falando de um jogador italiano (não me lembro), realçou:

"Esse aí, além de bom jogador, sabe jogar!"

"Demais pros meus sentimentos, tá sabendo?" (Chico Anysio e/ou Arnaud Rodrigues, no CD "Baiano e os Novos Caetanos).

Imagem: Portal Bragança Esporte
https://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&site=imghp&tbm=isch&source=hp&biw=2021&bih=896&q=brasil+x+it%C3%A1lia+copa+das+confedera%C3%A7%C3%B5es+2013&oq=brasil+x+it%C3%A1lia+copa+das+confedera%C3%A7%C3%B5es+2013&gs_l=img.3...1136.9737.0.9959.43.38.0.4.0.0.262.4035.16j10j9.35.0...0.0...1ac.1.17.img.tW2jRv6_m2s#facrc=_&imgdii=_&imgrc=v2C5D9eliQBZyM%3A%3BO2TxrpNt0HGI1M%3Bhttp%253A%252F%252Fportalbraganca.com.br%252Fesporte%252Fwp-content%252Fuploads%252F2013%252F06%252FBrasil-x-It%2525C3%2525A1lia.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Fportalbraganca.com.br%252Fesporte%252F%3B561%3B376


22 de jun de 2013

CUIDADO! LUIZ GUSTAVO É UM PERIGO!

Nas vitórias é muito fácil não observar ou não dar importância a pontos desfavoráveis. A seleção brasileira está ganhando e - penso - ganhando bem. Mas não estou plenamente satisfeito com um jogador: Luiz Gustavo. É eficiente, muita técnica, boa velocidade... Então, por que a insatisfação, cara? Ah! Luiz Gustavo agarra demais os adversários. Procura esconder isto dos juízes, mas acho que sempre é um perigo. Se aparecer um árbitro que o observe bastante, ou que o tenha observado e marcado em gravações dos jogos, ou que queira marcar a seleção brasileira com mais rigor, Luiz Gustavo é um prato cheio. Se minhas observações não estiverem erradas, já fez mais de um pênalti na Copa das Confederações. Hoje fez um absolutamente visível. Pior: é um cara de pau. Em entrevista após o jogo, disse que ficou sem entender se o juiz marcara gol, pênalti ou falta a favor da seleção brasileira.
Além disto, deu um encontrão em Balotelli, pelas costas e - minha leitura, como dizem - fê-lo porque qui-lo (como dizem que Jânio Quadros dizia). Pareceu-me que fez para provocar. E, quando Balotelli, contrariado, deu-lhe um empurrãozinho, na passagem, e disse qualquer coisa, Luiz Gustavo ficou retrucando, dizendo - segundo leitura labial de alguém, porque, se em português não consigo, em inglês, então... - que Balotelli conversa demais. Achei agressividade na expressão facial de Luiz Gustavo.
Naquilo que vejo em mim realismo, mas que admito que pensem que é pessimismo, não tive como não me lembrar de Felipe Melo, um destemperado bom de bola que acabou prejudicando - e muito - a seleção de 2010.
Acho que será nada de mais alguém advertir, orientar, mostrar cenas em que o jogador aparece, e recomendar cuidados, para não incorrer em erros que prejudiquem e, principalmente, para limitar-se a jogar futebol.
Tenho comigo que quando se permite que um jogador tenha como característica fazer as tais "faltas táticas", praticar os agarrões, parar o adversário com falta, estará ensinando a esse jogador que não precisa melhorar suas condições físicas e técnicas, porque poderá ser campeão na prática do erro.
Conheça os principais ídolos do futebol paraguaio // AP (AP)
Carlos Gamarra - o melhor defensor da Copa de 1998.
Sem falta em qualquer dos quatro jogos de que participou.
Lembro-me, sempre de Gamarra, aquele paraguaio que jogou no Flamengo, no Internacional e no Corinthians. Defendeu a seleção do Paraguai, na copa de 1998 e, participando de quatro jogos, não cometeu uma falta sequer, em todos os jogos. Foi eleito o melhor defensor da competição. Técnica apurada, capacidade física invejável, sabia sair jogando. É claro que o progressivo aperfeiçoamento desses atributos devem ter contribuído para que tivesse evitado fazer faltas.

Foto: msn ESPORTES.
http://esportes.br.msn.com/fotos/galeria-de-fotos-msn.aspx?cp-documentid=29592718&page=4

ISSO AÍ EU TAMBÉM FAÇO!

Circo apinhado de gente. Acrobatas, malabaristas, contorcionistas, atirador de faca, palhaços... Maravilha! Aí, chegou a hora daquele grand finale, um número com um leão ferocíssimo como não havia outro no mundo inteiro, e uma linda garota que iria enfrentar a fúria do bicho. Os "amarra-cachorros" levaram ao picadeiro aquela jaula bem reforçada, com o tal leão dentro (conheci a expressão "amarra-cachorro" para designar aqueles trabalhadores de circo que carregam diversas coisas para preparar o palco para cada número; na tv, os contra regras. Procurei na rede, e não achei o significado).
O leão urrava altíssimo assustando os espectadores. Movimentava-se na jaula com a fúria de um leão enjaulado.
Foi quando apareceu a mocinha. Das mais lindas, corpinho de deusa, pernas muito bem torneadas, cabelo que estaria esvoaçando ao vento, se houvesse vento. Quando chegou perto da jaula, o leão urrou mais furioso ainda. Corajosa, a mocinha começou a abrir a porta da jaula. O leão avançou, urrando muito forte. A mocinha, fazendo charme, afastou-se, fingindo susto. O halterofilista projetou-se para protegê-la, ela, desdenhosamente afastou-o, agradecendo; os malabaristas tentaram puxá-la, para que se afastasse da jaula; os palhaços faziam poses e expressões de horror... A mocinha, irredutível e altaneira, falava bem baixinho para o leão:
- Calma, leãozinho! Calma!... Não vou fazer-lhe mal. Vou só acariciar você...(é claro que a plateia ouvia as palavras da mocinha e a deliciosa inflexão de voz, porque já havia microfone sem fio, de tamanho minúsculo, naquele circo, uai!).
A coragem da mocinha era indomável. Mas os gestos eram muito graciosos e a voz aquela delícia a despertar "os instintos masculinos mais primitivos". Continuou entrando na jaula, sempre conversando com o leão, mansa e persuasiva:
- Leãozinho lindo! Não tenha medo! Só quero acariciar você...
Os urros do leão iam diminuindo de frequência e intensidade, à medida que ela se aproximava e falava. Quando a mocinha conseguiu passar-lhe a mão na juba, ficou estático. Abaixou a cabeça (quem é que güenta cafuné de mocinha tão delicada na nuca?). Ela sempre falando baixinho, muito dengosa, com gestos delicados. Assombro! O leão passou a lamber-lhe os pés; evoluiu para a canela (a mocinha cada vez mais carinhosa); lambeu-lhe as coxas; aí, o umbiguinho, barriguinha das mais saradinhas...
A plateia em transe. Foi quando um camarada, bêbado, gritou lá do meio, bem alto voz pastosa:
- Isso aí eu também faço!
O dono do circo, furioso com a interrupção do grand finale, gritou, mais alto:
- Vem fazer! Vem, seu intrometido!
O bebum não se mancou:
- Então, tira esse leão daí!

Foto: Go J.J.'S.com
http://anti-solidao.blogspot.com.br/2010/04/o-evangelho-e-como-um-leao-enjaulado.html

20 de jun de 2013

LANÇAR IDEIA DE DÚVIDA SOBRE ESCALAÇÃO NÃO PODERÁ PREJUDICAR A SELEÇÃO BRASILEIRA? DEIXA O FELIPÃO DECIDIR, UAI!

Também quero! Mas não quero alunos padrão
Fifa, não!






Sei não. Parece que, enquanto uma competição anda, um atleta que sai do banco e se projeta passa a ser objeto de especulação. Começam a perguntar ao treinador sobre eventual descarte do substituído.
Antes de tudo, vamos falar de Neymar. Começou como um furacão e logo todo mundo ficou esperando uma sequência de jogadas espetaculares, durante os noventa minutos. Não deu isso. Nem é conveniente dar. Nem sempre é possível. Falemos só isto. Prefiro falar de Jô e de Fred, resultando que acabarei falando em Neymar.
Poderão dizer que Fred não foi bem nos dois primeiros jogos, porque não fez gol, e que Jô mostrou-se mais e acabou fazendo dois.
Voltemos ao Brasil x Japão: Fred matou uma bola que Neymar mandou para as redes, de sem-pulo. Não acho que Fred tivesse matado aquela bola para oferecê-la especialmente a Neymar. Já comentei que o passe de Marcelo foi muito forte, dificultando o domínio por Fred. Só não se pode negar que Fred tenha participado do gol, por dois modos: primeiro, amorteceu a bola; segundo, afastou-se quando viu Neymar preparando a conclusão. Decisões muito rápidas e bem sucedidas.
Jô marcou contra o Japão. Sem querer desvalorizar a conclusão, o passe de Oscar foi primoroso. Jô só concluiu? Não! O deslocamento dele, da direita para a esquerda, foi perfeito e deu a Oscar a condição essencial para o passe.
Passemos ao Brasil x México: Fred correu muito; deslocou-se eficientemente; por mais de uma vez ficou do lado direito da pequena área, olhando uma jogada que poderia ter sido diferente, com endereçamento do passe a ele. Reclamou de ninguém.
Jô substituiu Fred e marcou. Melhor do que Fred? Penso que não. Melhor mesmo foi a bola que Neymar lhe mandou, e que não teve oportunidade de mandar para Fred antes. Jô estava muito bem colocado na área. Fred também estivera.
Jô é um predestinado? Foi a pergunta que vi um repórter fazer-lhe, ao final do jogo. Claro que é: fora da seleção, viu Leandro Damião ser sacado, por dificuldade física. Entrou e teve oportunidade de receber dois passes primorosos e fazer dois gols. O do segundo gol, então, sô! Não foram muitas as vezes em que vi Neymar aprontar uma jogada daquelas, terminando de garçon.
Então, Fred deve dar lugar a Jô?
Quem sabe é o Felipão, uai! Sei nada disto não, sô!
Só sei que a seleção brasileira conta com dois centro-avantes (antes era assim, deixa ficar) bons, altos, fortes, aguerridos, entusiasmados, do jeito que o Felipão prefere para montar seus times.
Deixem o Felipão decidir sem pressão, sô!

PS.: 1. Não preciso falar do gol de Neymar. Todo mundo deve ter visto e revisto e revisto... De qualquer forma, apesar da beleza, achei a jogada do segundo gol mais bela ainda.
2. Em junho de 2012, postei um comentário:
"Fair play no futebol: quem acredita é trouxa" (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/06/fair-play-no-futebol-quem-acredita-e.html).
Ontem, Brasil x México, um jogador mexicano ficou caído perto da área brasileira. Os mexicanos tinham a bola e seguiram atacando, buscando o gol. Um jogador brasileiro tomou a bola e iniciou um contra ataque, que o juiz deixou correr, corretamente, penso. Foi aquela arrancada sensacional do Paulinho. No desfecho do lance, um mexicano chutou o Paulinho, sem bola (deu em nada). O narrador disse que foi porque a seleção brasileira não pôs a bola para fora. Meu Deus! A seleção mexicana também não dera bola para as dores de seu jogador. Estavam querendo o quê? Penso que uma parada de jogo, pelo juiz, só se justificaria se tivesse acontecido enquanto os mexicanos estivessem no ataque. Isto se esses mesmos jogadores não tivessem parado o jogo, para oferecer assistência ao colega caído.

Foto: extra globo.com
http://extra.globo.com/incoming/8745277-3f1-fea/w488h275-PROP/cartazes-brasil-mexico-0.jpg

COMO O MACACO SÓCRATES, SÓ QUERIA ENTENDER: QUE JAPÃO FOI AQUELE DE ONTEM?

Fim de partida: Itália 4 x 3 Japão (Foto: Arte/DOL)Não foi o mesmo Japão que jogou contra o Brasil. É claro que a seleção brasileira poderia ter vencido a japonesa de ontem, mas com a mesma dificuldade que a seleção italiana enfrentou. Não vamos dizer que o time japonês foi uma presa fácil para o brasileiro. Mas a seleção brasileira conseguiu fazer três gols e sofrer nenhum, podendo parecer que o jogo foi fácil. Só que não teve a dificuldade imposta aos italianos. O Itália x Japão de ontem foi um dos melhores jogos de futebol a que assisti nos últimos anos, de times ou de seleções. Muita técnica, muita habilidade individual e coletiva, muita velocidade, pouca catimba.
Aqueles atletas só valorizaram o futebol. Por isto foi um grande jogo. Quero muito um futebol assim.

Imagem: DiárioOnLine
http://www.diarioonline.com.br/galerias

19 de jun de 2013

MAL FALEI, ACONTECEU NO MESMO DIA. JÁ TEM PARTIDO SE EXIBINDO NA TV


brasilia congresso manifestacao
Fantasmagórico!





Ontem, comentando as manifestações populares, disse que oportunistas vão acabar usando o movimento em seu próprio proveito político
(http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2013/06/impressoes-das-manifestacoes-populares.html). Pensei - ledo engano! - que isto fosse demorar um pouco, para mais perto das eleições. Mas os caras são apressadinhos: vamos aproveitar primeiro, antes que algum aventureiro lance mão. Ontem à noite já apareceu um partido usando o movimento.
Não sei o que os manifestantes irão fazer. Penso que neutralizar é importante. Marcar o partido como aproveitador pode ser uma alternativa. Outras poderão surgir.

Foto: grunz
http://www.grunz.com.br/fotos-incriveis-do-protesto-em-sao-paulo-em-tempo-real/

QUEM FOI QUE DISSE QUE EU QUERO, NEGÃO?

Já falei, aqui no cadikim, do "Alvorada Mineira", que vai ao ar de segunda a sexta, das seis às nove horas, pela Rádio Clube FM de Patos de Minas (quem quiser pode assistir ao vivo pelo www.clubefm99.com.br.). Bernardo Franco - o Negão ou Crioulo, como ele mesmo se intitula - e Marquinhos Massa fazem um programa divertido, com alguns personagens que passam por lá, eventualmente, interação com ouvintes, adotando alguns como personagens das piadas que transmitem e, com muita frequência, trocando farpas com Denise Tibúrcio - a Deusa do Vinho - fingindo bronca com ela, mas, no fundo, amando-se ternamente os três - também, ela é quem opera a página do programa no feice... Aí, ele alivia e anuncia-a como "administradora chefe da página do Alvorada Mineira"...
Isso aí é demais pros meus
sentimentos, Negão!
Já desconfio do Crioulo há muito tempo: sabendo do sucesso que os afro descendentes mais ricos em melanina fazem com as loirinhas, quer passar por um deles, para aproveitar a onda. Nem passa perto. Passaram-lhe uma tintazinha, de leve e, como o programa é radiofônico, quer impingir uma negritude que não tem.
Hoje o Negão passou da conta. Estava eu saindo com minha mulher, seis e quinze, e ele fazendo propaganda das ferramentas vendidas por um estabelecimento (não me lembro o nome; se lembrasse, citaria pois este blog não é de propaganda: cita os personagens). Foi aí que o Negão disse: "...escolha as ferramentas para poder pegar no batente".Ora, Negão, se você e o Marquinhos acordam cedo para trabalhar, se gostam do batente é problema lá de vocês dois. Querer me impingir ferramentas para pegar no batente, Negão? Quem disse que estou a fim? Só porque eu também acordo cedo? Ora, é para ficar mais tempo à toa, uai!

Foto:
http://www.luzcom.com.br/inca/livro/html/cap11.htm

18 de jun de 2013

O POVO TERÁ RAZÃO?

Corpo do jornalista Vladimir Herzog
Crédito: Reprodução / Arquivo Nacional
Penso que o povo está pagando mais do que deve. Em tudo. Pagando demais a presidente da república, ministros, deputados federais, senadores, deputados distritais, governadores... O padrão Brasília, então, é reconhecidamente altíssimo.
A bronca do povo tem a ver com corrupção e com deficiente prestação de serviços públicos. Muita malandragem (pelo menos, cassações, renúncias para evitar, mutretas que ficaram evidentes, outras nem tanto...).
Passou-me pela mente uma situação bem constrangedora, no meu modo de ver, alguns questionamentos:
O que poderá estar pensando Vladimir Herzog, em seu túmulo? Poderá estar perguntando: mas foi para isso aí que me entreguei à tortura e ao assassinato?
Pergunto mais: será que daqui a trinta anos teremos de ter outra comissão da verdade?

Foto: Blog do Piteira.
http://blogdopiteira.blogspot.com.br/2012/07/arquivo-nacional-divulga-imagens-feitas.html

IMPRESSÕES DAS MANIFESTAÇÕES POPULARES


Tenho discutido com pessoas muito próximas, achando que as manifestações populares em andamento no país têm um lado positivo e um lado negativo. Disse que dirigentes na moita, ou oportunistas, vão acabar usando o movimento em seu próprio proveito político. Provavelmente, irão utilizar fotos do evento, com grande participação popular, mostrando uma bandeira de seu partido, e dizer: "estávamos lá". Com os recursos tecnológicos, poderão mesmo colar uma bandeira inexistente na foto original. Não será a primeira vez que alguém fará isto, desde quando recursos tecnológicos era pífios.Com o movimento evoluindo, já vejo "representantes" dando entrevistas para a imprensa. Já há gente aparecendo como líder.
É bem verdade que grande maioria dos manifestantes está gritando que "ninguém nos representa"; "sem bandeiras"; e coisas parecidas. Mas penso que, na hora das campanhas, vão aparecer "heróis".
Como apareceram nas manifestações contra a ditadura explícita (que acho muito parecida com a atual, esta disfarçada).
Presto atenção em alguns detalhes. O menor deles foi que dois microfones, um para a Presidente da República e outro para o presidente da fifa, não funcionaram imediatamente após terem sido acionados. Apareceu uma figura com gesto de "aguenta aí que já vamos resolver".
Pois bem: pagamos para que esses microfones estivessem ali e que funcionassem. Se ampliarmos esta constatação para as grandes obras, iremos encontrar defeitos nos estádios, nas estradas, nas obras públicas em geral. Pagamos por isto, também.
É pouco? Penso que não. Mas tem mais.
Vi o prefeito Haddad, de São Paulo, dizer que a prefeitura não tem dinheiro para cancelar o aumento. Os manifestantes satisfazem-se com as palavras? Uma auditoria resolveria o impasse. Não é muito fácil acompanhar arrecadação de ônibus. Mas dá para ver que uma mesma viagem é paga por um número bem maior do que o número dos lugares, já que pessoas desembarcam em um ponto, onde outras embarcam, e assim por diante. Parece-me que os proprietários de empresas de transporte de pessoas - tanto municipais quanto "externas" ao município - são consideravelmente ricos. Por que não auditar a atividade, já que o responsável originário é o Estado (União, Estado, Município). A concessão não exclui a obrigação do poder concedente.
Informaram que o prefeito de Porto Alegre iria encaminhar projeto à Câmara, propondo a isenção do ISS para o transporte urbano, resultando em redução pequena do preço das passagens. Aduziu que iria provocar o governador do Rio Grande do Sul, propondo medida igual quanto ao ICMS, de modo a reduzir mais ainda. A proposta contempla redução na arrecadação do município e do estado (que o povo paga), mas não contempla redução no lucro do explorador do serviço (que o povo paga, também). Vale aqui, ainda, a rotatividade dos passageiros, nos meios de transporte. Se alguém se der o trabalho de conhecer o Código de Defesa do Consumidor, verá que é nula a cláusula contratual em que apenas uma das partes estabelece o preço. No caso dos transportes, penso que o correto seria ouvir um conselho de consumidores comprovadamente usuários. É complicado? É. Mas incomodaria muita gente que anda tranquila, tranquila.
Ouvi a Presidente da República dizer que as exigências da população aumentam, "...porque incluímos, porque elevamos a renda, porque ampliamos o acesso ao emprego, demos acesso de mais pessoas à educação, porque...".
Aproveitou-se da baderna para fazer comercial de sua gestão e da de seu antecessor. Para mim, pisou no tomate: explicitou para a Nação que promover a educação e o desenvolvimento social acaba por causar problemas aos governos. Só faltou dizer que "a gente estende a mão e eles querem o braço!".
Finalmente, opôs-se à violência: "Infelizmente, porém, é verdade, aconteceram atos minoritários e isolados de pessoas contra o patrimônio público e privado, o que devemos coibir com rigor.  Sabemos, governo e sociedade, que toda violência é destrutiva, lamentável e só gera mais violência”.
Ô sô do céu! Será que nossa Presidente também é uma metamorfose ambulante?

Foto: Blog BARRA PESADA
http://www.blogbarrapesada.com/2013/06/dilma-e-blatter-sao-vaiados-em-abertura.html

SEM SONHO, GENTE. A DIREÇÃO DA COPA TEM MUITO PARA DAR ERRADO.

A Presidente examina o microfone que entrou
em "pânico".
Pessimista! Quinta Coluna! (isto existe ainda?). Torce contra! Muita gente poderá estar pensando e até falando isto.
Acho que não mereço. Observo coisas aparentemente pequenas que me dizem muito.
Como é que poderá dar tudo certo, se os microfones oferecidos à Presidente da República e ao Presidente da FIFA não funcionaram?
Não consegui uma foto que mostra ambos assoprando o microfone, nem do aparecimento de um homem aproximando-se e gesticulando, como a dizer "esperem, já vai funcionar".
Quem quiser ver a cena, indico um vídeo em
http://www.allejo.com.br/dilma-vaia-abertura-copa-das-confederacoes/.


Edição em 18/06/2017:
Não disse?


Foto: revista virtual
http://depressaoepoesia.ning.com/profiles/blogs/quando-a-popularidade-mostrada-nas-pesquisas-compradas