31 de mai de 2014

DIÁRIO DE UMA POMBINHA

Querido diário,


Hoje, o ninho voltou a amanhecer vazio. Não dormiram em casa, aqueles safados. E não apareceram, durante o dia inteiro. Pensei que se afastaram de vez. Preocupada, passei várias vezes pela árvore do ninho, mas vi um só deles. O outro estava fora, dando um rolé, com certeza, para conhecer o ambiente.
Já anoitecendo, Aleluia! Vi os dois adolescentes rebeldes juntinhos, deitados sobre um galho, sob o olhar atento de uma lua crescente, que os vê crescendo também. Disse-lhe, ontem, querido Diário, que os dois são amiguinhos, estão sempre juntos. Sei que, a qualquer momento, cada um seguirá seu caminho. É muito bom vê-los juntos, nesta fase de seu desenvolvimento. O ninho já não os comporta juntos e, pelo visto, já aprenderam a dormir fora dele. Juntinhos, como sempre têm estado.

Estou preocupada, meu Diário. Não demora muito e não os verei mais. A vida seguirá e estarei sempre muito feliz de saber que estarão trocando os limites de um ninho, primeiro, e de uma árvore, depois, por esse mundo velho sem porteira.

SAUDAÇÃO DA TARDE


Tarde fria, céu límpido manchado por poucas nuvens escuras, estas contrastando com tons róseos e claros em outras nuvens.

NUVENS...




...são belas mas não fazem pose.

MILLÔR: DIÁLOGO DE SURDOS




"Durante muito tempo, nós todos, milhões de brasileiros tentamos civicamente, esforçadamente, ungidos de fé cívica, entender o que eles diziam no plenário, nas comissões e, sobretudo, nas mordomias. Ninguém, nenhum de nós, confessemos, conseguiu pescar bulufas do que tanto se transava na assim chamada Assembléia dos Eleitos da Nação. Mas vimos, nem era pra. Esforçávamos, inutilmente, para ouvir e entender um diálogo de surdos com absurdos."


Millôr Fernandes

30 de mai de 2014

IDEIAS BESTAS TENDEM A SER AMPLIADAS - PIB NA EUROPA

Ouvi em jornal televisivo e fui conferir na rede. Encontrei, no InfoMoney:


"SÃO PAULO - Tentando recuperar seus níveis econômicos, Istat (Instituto Nacional de Estatísticas) da Itália anunciou que irá incluir no cálculo do PIB (Produto Interno Bruto) do país os dados sobre prostituição e tráfico de drogas a partir do próximo ano. Além disto o Instituto informou que o resultado também irá incluir estimativas sobre o valor do contrabando de cigarros e álcool."

PIBNão tenho qualquer informação sobre o Instituto, nem sei que resultado a medida anunciada irá dar lá na terra de Al Capone. Mas fico pensando na operacionalização: irão criar máquinas registradoras de michê? Irão exigir declarações ou emissões de notas do tráfico de drogas?
Mas penso que ideia é nada má. Antes da notícia aí de cima, ouvi que o crescimento do pib do Brasil desceu ao 14º lugar no ranking mundial. Não seria uma boa, para poder ampliar os valores desse índice?
Como cara de pau é o que não falta, alguém poderá sugerir que se inclua, também, no cálculo do pib, os valores relativos à corrupção. E, também, ao desperdício de dinheiro. Iria ficar um PIBÃO!


Imagem: revista PLANTAR
http://www.revistaplantar.com.br/mato-grosso-puxa-pib-do-agronegocio-no-brasil/

DIÁRIO DE UMA POMBINHA - EDIÇÃO DA NOITE

Querido diário,


O filhotinho fujão voltou. Em uma das passagens pelo ninho, dei com ele e o irmãozinho em cima do muro. Pousei ali e fiz uma reunião, para dar dura neles. Estão pensando o que? Que eu sou de ferro? Eu tenho sentimento, viram? - falei-lhes.



Vantagem, querido diário, é que são muito amigos, estão sempre juntos. Só de vez em quando um desgarra, mas logo, logo, estão perto um do outro, ou bem juntinhos.
Só que voltei a assustar-me, no início da noite. Não voltaram ao ninho. Será que irão dormir fora de casa? Será que já dão conta de dormir sobre um galho, será que terão força nos pezinhos, para ficarem bem
agarrados, mesmo dormindo? Tudo isto me preocupa, mas tenho de enfrentar a situação e confiar neles. Espero que a união dos dois os proteja a ambos. Amanhã cedo ficarei sabendo: tchan tchan tchan tchan! Boa noite, meu diário.


NAS LETRAS DE NOSSAS CANÇÕES - EU JURO QUE TE MORRERIA MINHA


"Se eu pudesse te nascer de novo, eu juro que te morreria minha."




Isolda e Milton Carlos, em "Eu juro que te morreria minha".


Foto: Marcos Paulo Bin















Para ouvir com Milton Carlos:
https://www.youtube.com/watch?v=w-TS7M60EPM

Foto: capa de vinil (Milton Carlos / Largo do Boticário).

Foto Isolda: Rádio Criciúma.
http://www.radiocriciuma.com.br/portal/mostraconteudo.php?id_colunista=3&id_conteudo=657

DIÁRIO APRESSADO DE UMA POMBINHA

Querido diário,


Estou antecipando umas notícias, porque fiquei preocupada. Cheguei cedo ao ninho e meus bebês não estavam lá. Ninho vazio. Joguei a saia na cabeça! Tenho certeza de que dormiram em casa. Assustei-me e saí procurando em volta. Vi que um deles estava lá. Não consegui ver o outro. Rodei pela árvore, procurando. Será que ele volta e se comporta, até ficar maiorzinho e for capaz de
se defender. Desculpe, querido diário, mas uma mãe estressada não vai conseguir esperar a tarde ou a noite para dar as notícias do dia. Se souber por onde anda meu filhote fujão, diga-lhe para voltar
para o ninho. Estou muito ansiosa!

DIÁRIO DE UMA POMBINHA

Querido diário,

Aarrrrúúúúúúúúú!!!!!!!
Meus pequenos voaram hoje, pela primeira vez. Umas gracinhas! Vi, de passagem, que ficaram quietinhos no ninho, pela manhã. Acho que foi o frio. Cheguei um pouco antes do rango, para ver como estavam. Aí,
começaram a exibir-se. O mais velho voou do ninho até um galho um pouco mais baixo. O caçula ficou um pouco ainda no ninho. O mais velho voou para mais baixo ainda. O pequenino voou para o galho onde ele estava. Era um tal de bater asinhas, quase gritaram "shazam". Deixei-os divertirem-se à vontade, mas fiquei vigiando. Passearam por toda a árvore, uma jaboticabeira. Não foram além, mas
excitaram-se e exercitaram-se muito. Maior barato! Fiquei muito orgulhosa. Vi aquele maldito paparazzi de araque tentando voltar a câmera para eles. Como é incompetente! Tenho certeza de que perdeu as melhores façanhas de meus filhotes. Mas o cara não desistiu e acho que acabou tirando algumas fotos.
 Os pequenos passaram a tarde toda voando ou saltitando pela árvore. Ambientaram-se bem. Acho que amanhã alçarão voos maiores. Uma lindeza! E, afinal, a instrutora e controladora de voo fui euzinha, mesma. Papai nem apareceu. Sabia que não iria ter para ele. À tardinha, hora de dormir, as crianças retornaram ao ninho, muito felizes. Cansados, mas vitoriosos, dormiram logo, logo...
Até amanhã, querido diário. Acho que os filhotinhos voarão muito melhor e irão aventurar-se mais um pouco.

29 de mai de 2014

ABUSOS EM OBRAS - PATOS DE MINAS

É o que está acontecendo em frente à minha casa. Foi instalado um serviço na rua, de drenagem de água acumulada no subsolo de um prédio vizinho, segundo informações obtidas de pessoas que ali trabalham. É serviço particular. Até aí, nada de mais. Tem de ser feito, que se o faça. Mas que se faça bem feito. Ao término da jornada diária, a rua Estrela do Sul fica em estado lastimável. Os donos do serviço não fazem a limpeza do local, deixando lama até no portão de uma das casas. Penso que a
Prefeitura Municipal tem a obrigação de fiscalizar a situação, para corrigir. Telefonei para a Secretaria de Infraestrutura e comuniquei o fato. A pessoa que me
atendeu, educadamente, confirmou que o assunto é da alçada daquela pasta. Perguntei-lhe o que a Secretaria poderia fazer. Respondeu-me: "Tem de notificar". Ponderei que a situação é emergencial e grave, e que se torna necessária medida urgente, comunicação com a empresa que administra a obra, ou a própria Prefeitura mandar lavar a rua... o que for possível. Sugeri que a Secretaria fizesse a notificação à empresa responsável, por telefone, para que o assunto pudesse ser tratado no mesmo dia. Insistiu: "tem de notificar, por escrito". Tenho tolerado, pacientemente, barulho de máquinas pesadas trabalhando no local, dificuldades com o trânsito, que mereceu nenhum tratamento, para a eventualidade.
Acho que não temos tempo para burocracia. É só ver o estado em que se encontra a via pública, na rua Estrela do Sul, em frente ao Big Pato.

VOTO EM BRANCO II








Comento alguns dos motivos de minha preferência pelo voto em branco, iniciando por uma comparação: o voto nulo, ainda que possa ser considerado um protesto, não é direcionado. Tanto pode ser um protesto contra a obrigação de votar, como um protesto contra determinada situação, ou um protesto genérico, indeterminado.
Já o voto em branco pode ser classificado como protesto contra o sistema eleitoral, os métodos de gestão, contra a incapacidade ou falta de vontade dos políticos bons (que dizem existir) de excluírem ou neutralizarem os maus (só o fato de não conseguirem isto conta como um elemento qualquer de incapacidade para o exercício digno de cargo público). É como ouvi muito, na minha juventude, "quem não tem competência não se estabelece". É rejeição de todos os políticos, de vereador a presidente da república. Ora direis: mas há políticos honestos. Deve haver mesmo. Vale o que disse antes: os honestos têm-se mostrado incapazes de erradicar a desonestidade, ou de neutralizar, pelo menos. Ou não têm interesse. O voto em branco pode ser entendido, também, como protesto geral pela situação política (obrigações do governo em face do povo: saúde, segurança, educação, transportes, coibir desvios de dinheiro público, em todas as modalidades... Abrange tudo. Não fica nisto: rejeita o sistema e todos os candidatos e partidos.
Ainda não vi, em toda a minha vida, alguém que não sentisse profundamente quando é rejeitado. As reações podem ser várias, de rebeldia ou de revolta. Ou a ponderação das causas possíveis. Quando das manifestações de junho de 2013, seguindo-se o susto inicial, com manifestações e providências apressadas de governantes, o cadikim criticou iniciativa da Presidente da República, quando a mesma encaminhou ao Congresso proposta para realização de um plebiscito, indicando cinco perguntas. Nenhuma delas estava nos cartazes mostrados nas manifestações populares, muito menos os indefectíveis "isso-assim-assim já" e "fora fulano". Argumentei, então, que a pauta de consulta popular deveria ser encaminhada pelo povo. A Presidente - pareceu-me - fingiu não ter entendido os recados dos cartazes, cujos teores, em geral podiam ser sintetizados em "saúde", "educação", "ética na gestão da coisa pública", "segurança" e outras pretensões. Os políticos preferiram não ouvir a voz das ruas - mas fingindo ouvi-la - e propor plebiscito sobre coisa que o povo não havia pedido nos cartazes. Neste caso, preferiu o monólogo, em vez do diálogo, fingindo não entender a voz das manifestações populares. Se agem assim, melhor rejeitá-los, do que aceitar o monólogo que ignora o que o povo diz. Fui buscar em Geraldo Vandré - na sua magnífica "Disparada", a atitude cabível para com quem se recusa a ouvir a voz dele: "vou cantar noutro lugar".

Ora direis: Mas como é que os políticos irão saber o que o povo quer? Mas os políticos sabem! Não vi qualquer promessa de candidato que contrariasse o que o povo deseja e necessita. E, afinal, por dever de ofício, os políticos têm a obrigação de saber, com precisão, o que o povo quer e do que precisa.
Ainda direis: mas o voto em branco vai ajudar esse ou aquele candidato, esse ou aquele partido. No meu raciocínio, isto não importa. Precisamos de presidente da república, de senadores, de deputados, de governadores, de prefeitos, de vereadores. Eles existirão, só que com números de votos incompatíveis com a credibilidade que deve acompanhar qualquer escolhido.


NAS LETRAS DE NOSSAS CANÇÕES - CHÃO DE ESTRELAS


"Foste a sonoridade que acabou."

Orestes Barbosa




Orestes Barbosa, com melodia de Silvio Caldas, em "Chão de Estrelas".







Para ouvir com Silvio Caldas:
http://letras.mus.br/silvio-caldas/205192/

Foto: Collector's Studios Ltda.
http://www.collectors.com.br/CS04/Materias_OrestesBarbosa.shtml


28 de mai de 2014

DIÁRIO DE UMA POMBINHA

Querido diário,

Agora estou mais calma. Papai me consolou pela perda do ovo e explicou direitinho. Prometeu novidades para depois que os filhotes voarem. Consolou-me legal.
Saí para caçar mais uns bichinhos e
papai ficou vigiando de fora do ninho.
Dormi fora do ninho e os pequenos ficaram sozinhos durante toda a manhã. Ficaram quietinhos até a hora do rango, logo depois da hora em que o maldito paparazzi sai para almoçar. Chegou e apareceu na janela, com a tal câmera.
A família reunida.
Pegou-nos os quatro juntos, eu dando comida nos biquinhos dele, e ele todo todo, achando que é o rei da cocada preta... Mas eu gosto dele assim mesmo, uai! Ele é um pai presente e está doidim pra ser instrutor de voo dos meninos. Aqui que eu deixo, oh! Apesar de estarem bem emplumadinhos e

comportando-se muito bem, só fazendo folia na hora de comer. Mas eu serei a instrutora de voo, porque aqui não há profissões reservadas ao gênero masculino. Saberei dar conta do recado.

PS: Querido diário, acho que está chegando o tempo de me despedir de você. Em dois ou três dias, os diabinhos estarão conquistando o mundo e terei de abandonar o ninho. Ou fazer outro, quem sabe...

SAUDAÇÃO DA TARDE





Fim de tarde, sol poente, pomba retardatária retorna ao ninho.

POR TUPÃ E POR SUMÉ!



Estrangeiros irão ler mitologia tupi-guarani?





Foto: TEN POLIGLOTA 2012
http://tenpoliglota2012.blogspot.com.br/2014/05/copa-comecaram-as-manifestacoes.html?showComment=1401228454246

NAS LETRAS DE NOSSAS CANÇÕES - O SURDO


"Não deixe que eu, vencido de cansaço, me descuide deste braço e desfaça o compasso do passo do meu coração."


Antônio José, Chico da Silva e Paulinho Rezende em "O Surdo".





Para ouvir com Alcione e foto:

DIÁRIO DE UMA POMBINHA

Querido diário,


Estou desolada! Meus filhotinhos mexeram-se tanto no ninho, que já está pequeno para eles, e acabaram derrubando aquele meu ovinho. Quando cheguei ao ninho, entrei em deprê. Passei o dia todo fora, em estado lastimável. Papai até que fez de tudo para consolar-me. Disse-me que o ovo que vocês viram no ninho não iria chocar, que era um que havia gorado; que por isto nós tivéramos só dois filhotes; que a natureza é assim mesmo. Acho que está me enganando, para me botar para
cima. Contou-me que os bichinhos passam muito tempo alisando as penas e que estão se exercitando muito, bastante movimentos dos pés e batidas de asas com bastante velocidade. As asas estão com muitas e boas penas e as
cabecinhas já começam a cobrir-se de penugem. 
Senti-me melhor. Quero ver meus pimpolhos bem de saúde e voando para a liberdade. Passei pelo ninho, à noitinha. Estavam lá, juntinhos, bem tranquilos. Vão passar a noite sozinhos, pois já têm penas capazes de aquecê-los e, afinal, enfrentam o período de
aprendizagem. Estão muito bem e convivem muito bem, não tem bronca no ninho. Logo logo, um abraço e tchau. Já estou recuperada do choque da perda do ovinho. Acredito que papai tem razão. Foi um que gorou. Vou preparar-me bem para a próxima.

27 de mai de 2014

CRIME HEDIONDO

É admissível a gradação de crimes de diversas naturezas. Há crimes muito feios e outros menos feios. A gradação é coisa antiga, embora não explícita. Os crimes mais graves devem ser, obviamente, aqueles que causam maiores danos à sociedade, ou que desrespeitam direitos cujos titulares devam tê-la mais resguardados. Em geral, o Código pune-os com maior rigor, penas maiores. Por esse lado, penso que os chamados crimes contra a administração pública atentam contra a dignidade dos cidadãos, contra direitos que poderiam obter se não fossem os desvios de dinheiro, e até contra a dignidade do governo, no sentido mais amplo - os chamados Três Poderes. Vejo que tanto faz pequenos como grandes valores, a pena permanece a mesma, tanto para os crimes de peculato quanto para os de corrupção passiva (a previsão de aumento de pena, no caso desta, não se relaciona a valor).
Tenho para mim que os crimes contra a administração pública são "crimes de lesa-majestade". A grande vítima é o povo e o ato em si implica traição da confiança do povo que é, em última análise, o detentor do poder. Pelo menos da hipótese constitucional, embora na prática não funcione bem assim.
O porquê deste papo? A inclusão, no rol dos crimes hediondos, de atos de exploração sexual de crianças, adolescentes e vulneráveis. Tudo bem. Mas não são hediondos os crimes de corrupção e de desvios de dinheiros, praticados contra toda a Nação?
Observação distraída: dentre as demandas lançadas nas manifestações populares, em junho do ano passado, está clara a de classificar de hediondos (inafiançáveis, insuscetíveis de graça e imprescritíveis) os crimes de corrupção. E por quê não, também, prioritários para julgamento, deixando tudo o mais parado, até que se deslinde cada caso?
Quase um ano depois, o governo não discute isto.


SÓ NEYMAR?

A imprensa segue fazendo com Neymar o que já fez antes, e que nem sempre deu certo. Na Copa das Confederações, deu. Antes, nas Olimpíadas e na disputa do mundial com o Barcelona, negativo.
Por que é que querem dar a impressão de que só e só Neymar irá resolver a Copa 2014 a favor da Seleção Brasileira? Por que é que, em esporte coletivo, querem realçar um só jogador?
Neymar está aderindo. De leve, mas está. Quando perguntam se ele vai dar a Copa ao Brasil (é assim que perguntam), em nem uma das entrevistas vi-o dizer que jogam onze. Diz que vai fazer o possível. Não se compromete inteiramente, mas adere à ideia de que a bola está só com ele.
Não sei por quê, mas precisamos de heróis.

FOTO: SOS RIOS DO BRASIL.
http://sosriosdobrasil.blogspot.com.br/2011/04/blog-sos-rios-do-brasil-atinge-hoje.html

SAUDAÇÃO DA MANHÃ








O sol ameaçando nascer, no Parque do Mocambo, Patos de Minas. Enquanto isto, um dragão passeia pelo céu, onde a claridade já domina.

26 de mai de 2014

DIÁRIO DE UMA POMBINHA

Querido diário,

Hoje foi um dia diferente. Saí cedo do ninho e papai ficou vigiando os filhotes, porque sacudiram muito as asinhas, logo de manhã, e foi preciso pô-los no eixo, porque ainda não podem voar. Estão querendo, mas ainda é cedo. Tornei ao ninho, ainda de
manhã e fiquei tomando conta.
Papai acompanha de longe, camuflado. Mais tarde, tornei a sair e deixei os pequenos sós no ninho. Foi a conta de o mais velho começar a se exibir e sacudir as asinhas.Surpresa!

Um ovo estava escondido no ninho. Tentei esconder mas a indiscrição do filhote pôs tudo a perder. Podem me criticar, mas não foi para ser controlador de voo que papai andou rondando por aqui, não. Nem foi à toa que meti o pé na jaca e na jaqueira. É claro
que o ovo não é de qualquer dos pequenos. Aqui não há pedofilia, nem gravidez precoce. As coisas acontecem no seu devido tempo. E não precisa de lei, não! É a natureza da gente, viu? Aconteceu comigo. Podem falar que ainda não acabei de criar e que estou sendo imprudente. Ah! Mas ele é irresistível! Cheio de charme!
Os filhotes acabam ficando sobre o ovo e vão adiantando o choco. É só baterem as asinhas e começo uma nova gravidez.
Voltei ao ninho, mais tarde, para dar um lanchinho aos pequenos. Estão crescendo e precisam alimentar-se bem. Papai? Oh! Nem aí! Tenho de me virar sozinha. Como tive de me virar para proteger os filhotes de uma chuvinha que caiu de leve,
mas que poderia incomodá-los. Quando o tempo melhorou, pude deixar o ninho. Os moleques ficaram  um longo tempo observando o irmãozinho mais novo.


COPIAR - COLAR COISA BOA

Não resisti. Visitei o blog "Eu Escrevo Assim", de Marco Antônio Geib. Achei uma "coisinha" muito séria lá e cito no cadikim. Com o crédito, óbvio.






Fonte: Blog "Eu Escrevo Assim"

http://blogdomarcogeib.blogspot.com.br/2014/03/ah-mulheres-essas-mulheres-reflexoes.html

NAS LETRAS DE NOSSAS CANÇÕES - OH! SEU OSCAR


"Oh! Seu Oscar tá fazendo meia hora que sua mulher foi embora e um bilhete deixou."

Ataulfo Alves com Mário Lago


Ataulfo Alves e Wilson Batista em "Oh! Seu Oscar.



Wilson Batista e Noel Roda
(rivais em sambas)


Para ouvir com Ataulfo Alves:


Foto Ataulfo: Blog "Eu Escrevo Assim!, de Marco Antônio Geib

Foto Wilson Batista: "Barraco Musical", Folha de São Paulo

CRUZEIRO FEZ UM PARDIDAÇO EM JOGO MUITO BOM

Há muito não se ouvia valar e gol espírita.
Ricardo Goulart fez um ontem, com as manhas de
todos os orixás.
Está dando gosto ver o Cruzeiro jogar. Mais ainda quando tem, do outro lado, um Internacional invicto, e jogando muito, também. D'Alessandro mandou uma bola na junção dos paus, quando estava 0 x 0. Não tinha para o Fábio e não se pode dizer que foi incompetência do D'Alessandro. Quinze centímetros fazem uma diferença muito pequena nas proporções da meta. O Cruzeiro enfrentou bem a inferioridade (1 x 0) e, no segundo tempo, jogou muito. Tem o artilheiro da competição, em um ataque cheio de craques. É bacana ver um time de Minas Gerais na liderança do Brasileirão, e jogando muito. O nível do campeonato poderia ser muito melhor se todos os times tivessem uma preparação igual: elenco, treinamento, direção (o técnico é um dos mais antigos em atividade no mesmo time). Seu rival em MG contratou um técnico que dispensou quase que imediatamente. Não tinha certeza do que estava fazendo? O torneio seria mais difícil até se os times de menor expressão pudessem preparar-se melhor. Além de acirrar a disputa por espaços menores, mas também muito importantes, poderiam melhorar a "briga" em cima, tirando pontos dos "grandes".

Foto: globo.com
http://globoesporte.globo.com/futebol/times/cruzeiro/