6 de fev de 2013

A ARTE POÉTICA DE CÍCERO CHRISTÓFARO

SUJEITO(A) OCULTO(A)

Quebrou a panela
Teimou na mazela
Desapareceu com a alecrim
Deixou-me assim
Como um Zé Ninguém
Acantoado
Dasarmado
Desmiolado
Sem que nem pra que
Fiquei a mercê
Do que der e vier
Voltou de supetão
Arrancou meu coração
Esparramou-o por aí
Sem saber aonde ir
Parecendo um Saci
Sem pedaço de mim
Perguntei apenas
Cadê o sujeito
Ou a sujeita oculta?
Deixou-me na escuta
Quase sem predicado
Vingança!
Vingança!
Vingança!
Voltarei cruel,
Amargo como fel,
Sujeito, verbo e predicado,
Pronome do caso reto.
E você? Quem?
Nem objeto indireto!

Foto: Habitat Orquídeas (Reduto do Poeta).
http://www.habitatorquideas.com.br/quem-somos
Postar um comentário