14 de fev de 2013

DONALDO AMARO - HISTÓRIAS QUE PARECEM ESTÓRIAS

PAPOS DE MINAS é o título do livro. Toda cidade tem suas histórias domésticas, das quais os contadores de estórias se aproveitam. Donaldo é um deles. Sugestivo, confunde Patos de Minas com Papos de Minas. Em busca de credibilidade, socorre-se de Ruskin:

"Coisas falsas podem ser imaginadas e compostas: mas só a verdade pode ser inventada."

Não nasci em Patos de Minas, mas conheço muitos dos "personagens" de Donaldo. Convivi e convivo com muitos deles.Chega de papos: vamos ao que interessa, segundo Donaldo.

Certa vez, almoçava com o Deputado Bernardo Rubinger e meus dois filhos, Ricardo e Fábio, no Restaurante Delícia.
Pouco depois de servida a refeição, aparece o Elias do Crachá, figura folclórica da cidade. Puxa uma cadeira, pede um prato e dá uma limpa na mesa.
Em determinado momento, o Bernardo diz ao Elias que os meus dois filhos são bichas. O Elias fica espantado com a notícia e exclama:
- Que profissão ruim que vocês arranjaram...

Nota do editor: o Elias do Crachá merece uma crônica. Não sei se Donaldo a terá escrito. Se não, fica a encomenda.