25 de mar de 2017

AH! NÃO! SEM ESSE PÁPO, SÔ AÉCIO!

Operação-Lava-Jato-5Não costumo discutir políticos, porque acho besteira: continuarão os mesmos. Nem tenho partido, porque acho todos eles os instrumentos de um esquema em que os interesses do povo nem passam perto da primeira preocupação. Mas agora "não dá pra segurar", como disse o Gonzaguinha.
Encontro, na edição nº 2521 da Veja, de 15 de março último, duas pérolas do Aécio, que transcrevo, aspas no original:

Começo pela segunda pérola na ordem de paginação:

Na pág. 45:


"Não podemos deixar que tudo se misture. Um cara que ganhou dinheiro na Petrobras não pode ser considerado a mesma coisa que aquele que ganhou 100 pratas para se eleger".

Segunda pérola, na pág. 40:


"Haverá espaço para uma saída política? Ou vamos considerar que todo mundo é bandido e abrir espaço para um aventureiro 'salvador da pátria'?".

Primeiro, sô Aécio: não vi, em qualquer notícia da Lava Jato, ou de qualquer outra mutreta das que pululam por aí, referência a "100 pratas". É de milhão a bilhão. Não adianta fingir que se trata de desvios de merreca. E, afinal, pelo que temos visto, eleger-se tem sido uma das formas de enriquecer. Pode ser que queira referir-se ao milagre da multiplicação dos dinheiros.
Segundo, sô Aécio: dizia Dona Mariazinha, "é tão bom quem entra na horta como quem fica na porta". Não consigo acreditar que deputados e senadores da mais alta estirpe frequentem as casas legislativas, ministérios, etc., mantenham relacionamentos ora rudes, ora quase meigos com seus colegas de câmara e senado, transitem por todos os setores públicos, desde a corte até a província, e nem desconfiem de que tem gente com grana demais, com poder demais, com audácia demais... Realmente, não tenho leitura para entender isto. Não posso concordar, portanto, que se venha rotular de "aventureiro" e, pejorativamente, "salvador da pátria" um cara que nem é candidato a candidato ainda e que, no contexto da declaração, nem é conhecido. Nem acredito na citação, porque todos os que estão citados em depoimentos comprometedores - todos eles - nada fizeram de errado, são todos inocentes, e apenas trabalham em prol do desenvolvimento do país e dos interesses da coletividade, verdadeiros "salvadores da pátria".
Mas preste atenção, sô Aécio: havia, em uma porta de loja em uma cidadezinha, provavelmente mineira, um cartaz com os seguintes dizeres:


"Exigimos 50% de sinal dos fregueses que não conhecemos e 100% de alguns que conhecemos".

Francamente, sô Aécio! Estou mais para o dono dessa loja do que para sua tentativa de desqualificação prévia de alguém que possa vir a aparecer como candidato. Tenho menos medo do desconhecido.

Imagem: Cambira Notícias.
http://cambiranoticias.com.br/web/2017/02/10/fachin-autoriza-inquerito-para-investigar-renan-juca-e-sarney-na-lava-jato/
Postar um comentário