3 de jul de 2017

A (IN)DISCIPLINA NO FUTEBOL PODERÁ SER CAUSA DA MEDIOCRIDADE?

Fred dirigindo-se ao árbitro "respeitosamente", depois
do segundo cartão amarelo.
Não me conformo em ver o futebol tão enfeiado por jogadores e árbitros. Tenho alguma pena desses últimos, porque, por um lado, são frequente e repetidamente desrespeitados pelos jogadores e, por outro, há sempre um comentarista a achar erro no árbitro, principalmente quando quer impor disciplina. Tenho escrito sobre o assunto, desde os primórdios do cadikim: 30/04/2012, EDUCAÇÃO NO FUTEBOL (OU MELHOR, FALTA DE) - http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/04/educacao-no-futebol-ou-melhor-falta-de.html), e 21/06/2015, PARA VARIAR, A CULPA É DO ÁRBITRO! - http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2015/06/para-variar-culpa-e-do-arbitro.html. Em um deles, relatei um destempero meu, e indiquei o que poderia ser justificativa. Até que poderia ser aceita como tal, porque o capitão do time adversário chegou-se ao árbitro e disse: "Não mate a gente de vergonha. Marque o gol". Assim foi feito e nosso time ganhou o jogo por 3 x 1. Mas ficou em mim, até hoje, um sentimento negativo de o fato ter sido uma das coisas mais feias que fiz em minha vida. Talvez venha daí minha intransigência com atos indisciplinados de jogadores (e penso que transigir tem sido uma coletânea de ações e omissões que têm resultado em grandes descalabros, no Brasil, em vários setores). Não exonero os juízes. Muitos erros deles - alguns imperdoáveis - têm sido causa até de reações violentas, em disputas seguintes ao erro. E até de memória para outros jogos. Lembrei-me - e um comentarista abordou - de um juiz que não marcou um pênalti no Tchô, do Atlético, em jogo contra o mesmo Botafogo, por volta de 2006. O Atlético poderia ter-se classificado, se o juiz tivesse marcado e o cobrador convertido. Assisti a esse jogo e vi o juiz próximo e de frente para a jogada. Isso vira memória. O comentarista abordou a hipótese dessa memória atuar durante longo tempo.
Mas pretendo atualizar. No recente jogo Atlético Mineiro x Botafogo, pela Copa do Brasil, jogadores do Atlético pressionaram muito o árbitro por causa da expulsão de Fred (2º amarelo), além de outras reclamações. E acossaram o árbitro em grupo ou com adesões de companheiros de time. Assisti ao vt, para conferir (já achara, por imagens de noticiário, que Fred merecera o segundo amarelo; um botafoguense tentava dominar a bola, que veio pelo alto e, no momento, estava elevada, ainda, afastada do corpo do jogador; Fred chegou em velocidade e lançou-se sobre o corpo do adversário, fora da bola). O primeiro amarelo resultara de ação irregular de Fred, puxando o adversário pela camisa. Para a maioria dos comentaristas, o juiz estava certo. Mas Fred saiu de campo possesso, aos gritos de que "é o quinto árbitro que vem fazer isso com a gente e ninguém fala nada". O presidente do Atlético também foi dizer pela TV que o árbitro prejudicara o Galo. Vi nada disso no vt.
No Atlético Mineiro x Cruzeiro, ontem, ocorreu um tumulto, também, com empurra-empurra entre jogadores dos dois times, e quase vias de fato de alguns. Já ocorrera uma insatisfação de treinadores com o árbitro, porque aplicou cartão amarelo - um para cada lado - para o primeiro que invadiu o campo (seguido por outros), para comemorar gols. Está virando moda e serve, conforme o momento do jogo, para "engordar tempo". Como serve, também, a demora para cobrar faltas, arrumar a bola na marca do escanteio, repor a bola em jogo... Muita reclamação só é iniciada - e sempre apoiada por companheiros - para "engordar tempo" e fragmentar o jogo. Isso tudo no mínimo tolerado por dirigentes e treinadores, não se podendo afirmar com certeza se os mesmos querem e/ou orientam assim. Não adianta a FIFA dizer que quer no mínimo 60 minutos de bola rolando.
Nosso futebol vai ficando cada vez menos verdadeiro. Medíocre!

NOTA: nada contra o Galo. Fui um atleticano moderado, que ia ao Mineirão ver aquele time ótimo do Cruzeiro, com Tostão e Cia.; como ia ver, também, aquele ótimo time do Galo, com Reinaldo e Cia. Atualmente, apenas aprecio o futebol, que gostaria de ver bem jogado, mas que ainda reserva algumas ações muito apreciáveis. Torço para time nenhum, porque não vejo por que gastar energia com uma coisa que vejo deteriorando-se ao longo do tempo.

Imagem: globoesporte.
http://globoesporte.globo.com/mg/futebol/copa-do-brasil/jogo/29-06-2017/atletico-mg-botafogo/
Postar um comentário