12 de nov de 2013

SCOLARI (OU CBF) X DIEGO SOUZA


A revista “Veja”, edição 2.346, de 6 de novembro último, publicou na seção “Panorama” “Veja Essa”, um pronunciamento que atribui a Luiz Felipe Scolari, referindo-se a Diego Costa:
“Um jogador brasileiro que se recusa a vestir a camisa da seleção e a disputar uma Copa do Mundo no seu país só pode estar automaticamente desconvocado. Ele está dando as costas para um sonho de milhões.”
Primeiro: não foi a CBF, nem a Comissão Técnica, nem o Técnico quem “desconvocou” Diego Costa. Foi o próprio Diego Costa quem se desconvocou. De fato, deve ser muito constrangedor para qualquer autoridade, em qualquer setor da atividade humana, constatar que não tem o pleno controle das vidas alheias. De repente, um maluco qualquer surpreende e define os rumos de sua própria vida.
Segundo: Para mim, não ficou explícito, no que está na "Veja", se o Luiz Felipe quis dizer que o Diego Costa deu as costas para sonho de milhões de dinheiros ou para sonhos de milhões de torcedores brasileiros. Mas notícias que ouvi depois informam que se tratava de “sonhos de milhões de torcedores”. Penso que o técnico da seleção brasileira jogou para a torcida, já que o torcedor comum tem a mania de achar que se o jogador não quer integrar seu time, é mercenário, ou "coisa mais pior", quando prefere outro. Já postei sobre este assunto (Somos todos mercenários). Dizer que falta patriotismo? Não me convence! Montão de políticos e detentores de cargos públicos - coisas da CBF, inclusive - que estão enrolados em processos judiciais - criminais inclusive - não são acusados de "falta de patriotismo".
Terceiro: não me agrada a manifestação atribuída a Luiz Felipe Scolari, porque o mesmo já atuou como técnico da seleção de Portugal, tendo enfrentado a seleção brasileira por três vezes, vencendo duas e empatando uma. Desgostou-me mais o que consta ter ele dito, quando perguntado sobre a convocação de jogadores nascidos no Brasil para a seleção portuguesa, taxando a pergunta de “ridícula”, como está no portal Terra


Brasil x Espanha fora de campo?
 
 
 
 
 
Já escrevi por aí que desqualificar uma pergunta, como “idiota”, “imbecil”, “ridícula” é, no meu entender, uma das mais violentas formas de censura. Penso que Luiz Felipe Scolari tanto vestiu camisas estrangeiras – uma de seleção, inclusive – como convocou para essa seleção estrangeira jogadores nascidos no Brasil. No âmbito do profissionalismo, vejo nada de mais. Pareceu-me que “o sapateiro está indo além do solado”.
Quarto e fim: penso que Diego Costa ficou em séria dúvida e pode ser que ainda habite essa dificuldade. Afinal, não tem como saber se a CBF, ou Luiz Felipe, ou ambos, tramaram convocá-lo para enfraquecer a seleção espanhola; e não tem como saber se a seleção espanhola – com sua entidade maior, claro – acenou para Diego Costa, para enfraquecer a seleção brasileira. No “vale tudo” que campeia por aí, não será de se estranhar. Diego acabou seguindo o caminho do futebol do país onde se encontra, com contrato em vigor e tudo o mais. Se disputasse a copa pelo Brasil, teria certeza de renovar contrato na Espanha? E se perdesse? Encontraria quem o repatriasse?
Como dizia meu amigo José Maria Mayrink: “Quem sabe de mim é o meu violão!”.

Imagem: Acertar na Mosca.
http://acertarnamosca.blogspot.com.br/2012/07/espanha-x-brasil.html
Postar um comentário