6 de abr de 2016

DISCIPLINA NO VOLEI: O PESO DE UM CARTÃO VERMELHO

Jogando Campinas e Taubaté, pela semifinal da superliga de volei masculino, venceu o Campinas através de um cartão vermelho. O jogo estava 14 a 13 para o Campinas, no quinto set. Foi quando um jogador do Taubaté reclamou do árbitro, em condição que implicou a aplicação do cartão amarelo. Interveio Wallace, do Campinas, lembrando ao árbitro de que o Taubaté já havia sido punido com amarelo, anteriormente e que, na segunda oportunidade, cabia o vermelho. O árbitro concordou, aplicou o cartão fatal ao Taubaté, resultando em ponto para o Campinas: 15 x 13, vitória e classificação do Campinas para a final como Cruzeiro.
Ora direis: mas é muito chocha uma vitória decidida no quinto set, por um cartão vermelho.
Respondo-lhes que isto depende da importância que se dá à disciplina no esporte. Em se tratando de uma atividade em que a Seleção Brasileira mantém uma longa supremacia, fica difícil abrir qualquer favor à indisciplina. Principalmente se considerarmos que, no futebol, atividade em que jogadores "louvam" os árbitros abertamente, além de outros atos de indisciplina, as coisas não andam nada boas.

Imagem: SPORTV - Melhores momentos Campinas 3 x 2 Taubaté (editada de vídeo).
http://sportv.globo.com/volei/videos/v/melhores-momentos-taubate-2-x-3-campinas-pela-superliga-masculina-de-volei/4936637/
Postar um comentário