1 de mai de 2017

REINO UNIDO A PORTUGAL E ALGARVES - O RETORNO

Armas do Reino Unido de Portugal,
Brasil e Algarves
Vejo na Veja, edição 2527, de 26 de abril último, sob o título "O ELDORADO DA CLASSE MÉDIA", matéria informando que o novo destino da classe média brasileira é Portugal. No UOL - UOL educação - (https://educacao.uol.com.br/disciplinas/historia-brasil/reino-unido-a-portugal-e-algarves-por-que-o-brasil-foi-elevado-a-reino-unido.htm), no título "História do Brasil", encontro referência a motivos por que, entre 1815 e 1822, o Brasil então colônia de Portugal, foi elevado à categoria de "Reino Unido a Portugal e Algarves", no frigir dos ovos para que D. João VI pudesse governar Portugal com sede em um reino, porque não ficava bem o rei governar Portugal não estando no seu reino e sim em uma colônia (penso que vale a pena acessar a página citada, para conhecer aspectos interessantes).
Na reportagem de Veja, vejo que o Governo Português vem oferecendo condições muito interessantes para a fixação de brasileiros na "terrinha": para entrada e visto de empreendedores, "... É preciso criar uma empresa e apresentar um plano de negócio e investimentos. Não há exigência de capital social mínimo."; para visto Gold, de Alto investimento, "... quem adquire imóvel acima de 350000 euros ou monta empresa com no mínimo dez postos de trabalho e com investimento inicial de 250000 euros. ..."; visto para "Aposentados ou titulares de rendimentos - É necessário comprovar rendimento estável (pensões, aplicações financeiras, imóveis), com ganhos em valor igual ou superior ao salário mínimo local (na casa de 1800 reais), ter lugar para morar e apresentar seguro médico internacional.".
Uma "pequena dificuldade", no caso, é o tal "lugar para morar", porque incide uma fama de maus pagadores, "...a tal ponto que muitos brasileiros têm dificuldade de alugar imóvel em seu nome", sendo comum, segundo citação da revista,  "ter de recorrer a um português para conseguir alugar uma casa".
Parece que os resultados têm sido favoráveis para Portugal, já que, ainda segundo a matéria, "...as remessas feitas do Brasil para Portugal passaram de 55,6 milhões de dólares, em 2014, para 71,1 milhões em 2016". Parece, também, que os brasileiros encontram-se satisfeitos, sendo mais evidentes os relatos de qualidade de vida, de segurança (podem sair à rua tranquilamente, a qualquer hora do dia ou da noite), e educação.
Não pude impedir que me ocorresse que, quando invadiram o Brasil, os portugueses vieram com objetivos de dominação ( com escravização e massacres progressivos de índios) e de exploração de riquezas naturais. Segundo ouço de estudiosos de História, foram mandadas para cá pessoas complicadas (encontro em Info Escola - http://www.infoescola.com/historia/imigracao-portuguesa-no-brasil/ - que "Neste momento inicial, contudo, os portugueses não tinham interesse em viver no Brasil, acarretando a emigração de indivíduos problemáticos, em maioria, como alternativa de Portugal se livrar dos indesejáveis, transferindo-os para o Brasil.").
É claro que, posteriormente, muitos portugueses vieram para o Brasil, com interesses desenvolvimentistas e, realmente, concorreram para o desenvolvimento do país. O que não se sabe é se, quando dessas transferências de gentes, foi exigida dos portugueses, que para aqui vieram, alguma condição financeira, econômica ou empresarial, e, de um modo qualquer, também social, como está impondo, agora, o Governo Português.
Inteligentes esse portugueses, não?

Imagem: http://www.laifi.com/laifi.php?id_laifi=3032&idC=57065#

Postar um comentário