10 de mar de 2016

O FUTEBOL PODERIA ESTAR MELHOR, SE JUIZ MOSTRASSE AUTORIDADE. MAS TERIA DE SER DURANTE O JOGO INTEIRO E EM TODOS OS JOGOS.

Árbitros foram orientados a distribuir cartões amarelos para os reclamões (Foto: Ilustrativa)Ontem, pela TV, assisti ao jogo Palmeiras x Nacional do Uruguai. Vi, em mais de uma oportunidade, o juiz mostrando quem é quem, punindo intromissões de jogadores na atividade que é privativa dele.
Primeiro, foi quando Gabriel Jesus fez uma falta pesada em um adversário. Um zagueiro do Nacional - no frequente uso (abuso) de corpo avantajado - partiu para cima do Gabriel. Foi a conta de o juiz intrometer-se, já com o cartão amarelo levantado. Correto! Quem adverte jogador é o juiz - e tem de fazê-lo - e não o adversário. Depois, quando da expulsão de um uruguaio, que saía devagar - como costumam fazer todos os que querem retardar o jogo - um palmeirense foi "ajudá-lo" a sair rapidinho. Voltou o árbitro a aplicar o amarelo, agora no palmeirense metido a juiz.
Para mim, foi um aspecto muito positivo da arbitragem. Há tempos, em um jogo de futsal (ainda era futebol de salão), em organização militar, um sargento apitava uma partida com as duas equipes formadas por oficiais. Naquela palestrinha que costumava anteceder os jogos, o sargento árbitro foi claro e incisivo: "os senhores jogam, eu apito!". É como deveria ser sempre, sem importar categoria de clube e de atleta. Valando para todo mundo.
Infelizmente, o juiz lá de cima acabou por desagradar-me. Ocorreram ações de jogadores do Nacional que mereceriam cartão amarelo. Mas o atleta já estava amarelado. Se repetisse, seria seguido do vermelho. Puxa vida, sô! Expulsar até ter de encerrar a partida? O que é que a Conmebol vai dizer?
Eu "cá consigo" (como dizia um tabaréu passaquatrense) acho que a violência e a indisciplina no futebol só irão terminar quando começarem a ocorrer encerramentos de partidas por número insuficiente de jogadores. E, claro, com a certeza de que seria para valer, em todos os jogos, como regra fundamental.
A impunidade campeia também nos campos de futebol e estimula jogadores indisciplinados e violentos, bem como os que retardam partida, muitas vezes orientados por suas comissões técnicas.
Acho, sim, que o futebol poderia estar melhor. Mas é preciso rigor na exigência do cumprimento das regras.

Imagem: folhaZ
http://folhaz.com.br/opniao/jogo-limpo-com-rodrigo-czepak-112/img-357555-cartao-amarelo/