2 de ago de 2013

MÁRIO QUINTANA, ALÉM DE POETA, ERA ADIVINHO? OU É MERA COINCIDÊNCIA?

Ontem, pela manhã, achei e postei uma das jóias de Mário Quintana:

"O que há de mais admirável nas democracias é a facilidade com que qualquer pessoa pode passar da crônica policial para a crônica social."

Armas de fogo e haxixe foram apreendidas durante operação da Polícia Federal e Polícia Civil nesta quinta-feira (Foto: Isabella Formiga/G1 DF)
Armas de fogo e haxixe foram apreendidas
durante operação da Polícia Federal
e Polícia Civil nesta quinta-feira
(Foto: Isabella Formiga/G1 DF)
Pois não é que acordo hoje com noticiário pela TV contando para mim que um secretário municipal e dois vereadores, em cidades diferentes de Goiás, entorno de Brasília, foram presos em razão de "... suspeitas de envolvimento com uma organização criminosa de tráfico de drogas que agia na capital federal e em Goiás."?
Procurei confirmar na rede. Está lá no G1, de onde copiei/colei a circunstância da suspeita. Ainda é do G1:

"O delegado disse que os políticos são investigados há mais de um ano e já tinham ligação com o tráfico de drogas antes de serem eleitos. Para ele, é possível que o dinheiro do tráfico tenha contribuído para a eleição dos vereadores."

As coisas ainda andam na casa das suspeitas. Mas está na crônica policial.
Só penso que Mário Quintana foi parcimonioso: parece que tanto é possível passar da crônica policial para a crônica social, como também fazer o caminho inverso, retornando, depois, à crônica policial.

Foto: G1.
http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2013/08/policia-do-df-e-pf-prendem-8-pessoas-em-goias-em-operacao-antidrogas.html
Postar um comentário