3 de ago de 2013

O POETA WANDER PORTO DÁ O AR DE SUA GRAÇA


Wander Porto deu o ar de sua graça para compartilhar o poema de nosso amigo Dalla. O blogueiro passou batido e não deu o crédito respectivo. Está aí, enriquecendo o cadikim: Dalla, músico, poeta e amigo.

AGRESSÃO

vou agredi-la.
não tem mais jeito.
os limites se exauriram.
vou jogar prelúdios em sua cara.
enchê-la de sonatas até sangrar.
quem sabe, bater com flores,
atirar-lhe pétalas,
chibatas de amor perfeito,
e depois,
colocá-la de castigo
debaixo do pé de ipê florido
que mora na margem direita

Foto: EDITORIAL PARA UMA OBRA PRIMA DO GRANDE DALLA:

AGRESSÃO



vou agredi-la.
não tem mais jeito.
os limites se exauriram.
vou jogar prelúdios em sua cara.
enche-la de sonatas até sangrar.
quem sabe, bater com flores,
atirar-lhe pétalas,
chibatas de amor perfeito.
e depois,
coloca-la de castigo
debaixo do pé de ipê florido
que mora na margem direita
do córrego Guariroba.
E, por fim,
deita-la nua
no colchão de grama
e cobri-la de estrelas
e colocar dentro dela
meu amor ardente
com suave agressividade
que ela fez por merecer.

Arte:WP
Arte: WP
do córrego Guariroba. E, por fim,
deitá-la nua
no colchão de grama
e cobri-la de estrelas
e colocar dentro dela
meu amor ardente
com suave agressividade
que ela fez por merecer.
Postar um comentário