24 de ago de 2013

ODE A AUSIER VINÍCIUS


Ausier Angelical!
É como o vejo e sinto.
Waldir Azevedo,
Sem enredo,
É mero arremedo
De Waldir Azevedo.

Sob os auspícios
do cavaquinho
De Ausier Vinícius,
Waldir tem enredo,
Comissão de frente,
Alegoria,
Alegria da gente!

Pedacinhos do Céu
É o barracão da escola.
Com pandeiro, sete cordas, bandolim,
A noite vai correndo assim:
Adágio, allegro ma non troppo,
Allegro vivace, prestíssimo!
Entre um e outro copo.

Em cada peça,                   
Peçanha,                               
berço do artista.                
Em cada improviso,
A manha                               
Do ex-clarinetista.
                                                              
É quando toca o menino
A quem Deus deu,
por destino,
o poder de buscar
sempre mais
Para mais oferecer.


Imagem: Caricatura de Ausier Vinícius em
www.pedacinhosdoceu.com.br