24 de jan de 2018

PAGUEI MICO NO MOCAMBO

Fui ao Parque do Mocambo (Patos de Minas), no último domingo. Parei para ver o movimento dos cisnes no lago (barcos muito legais). Acabei chegando perto de espécie de quiosque onde são vendidos os ingressos. Cheguei bem perto, procurei pelos preços e, imediatamente, comecei a olhar para o chão, à minha volta. Vi nada de mais. Aumentei um pouquinho o tamanho da circunferência. As pessoas começaram a olhar-me de modo diferente, como se eu estivesse atrapalhando. Não me manquei. Continuei olhando à minha volta para ver se achava qualquer coisa. Se alguém chegava, querendo comprar ingresso, afastava-me e dizia que podia passar, que eu estava esperando. Várias pessoas passaram à minha frente, enquanto eu continuava olhando para o chão à minha volta e os circunstantes olhando-me de modo estranho. Como ainda não via o que procurava, achei de fazer a volta do quiosque. Quem sabe estava à volta do quiosque? Circundei vagarosamente, olhando atentamente para o chão. Algumas pessoas seguiam-me, com se quisessem nada, mas observando-me. Acho que fiz a volta do quiosque umas cinco vezes e achei nada. Pensei: pode ser que seja à volta da lagoa, que comecei a circundar vagarosamente. Achei que atrapalhava pessoas que estavam fazendo caminhada e que se mostravam incomodadas com meu andar vagaroso, atrapalhando seu ritmo. Mas insisti. Fiz a volta umas quatro vezes. Não achei os tais R$5,00 que achei estivessem sendo sugeridos para obstinados caçadores de dinheiro.






Postar um comentário