15 de dez de 2013

MARIAMÉLIA VITORINO, SILENCIOSA E TERNA


Silencioso e terno





Borboleta, Flor, Vermelha

Na sala,
o gato dorme
sobre o sofá.
Sentada ao seu lado,
observo a cadeira
de palhinha.

Meu pai sentava-se ali
para ler jornal,
assistir Globo Rural,
conversar com os filhos,
colocar os netos no colo.

Quando meu irmão
partiu,
ele entrava
num cômodo da casa,
chorava em silêncio,
extravasava sua dor.

Sabia brincar com os netos.
Gostava de
gatos,
cachorros,
galinhas,
passarinhos.

Cavalos,
bois,
vacas
havia criado
no triângulo das Gerais.

Sua voz de tenor
acompanhava
os acordes do violão.
Não está mais aqui.
Ficaram a cadeira
e eternas lembranças...

Imagem: pixabay
https://pixabay.com/pt/borboleta-flor-vermelha-986043/