13 de dez de 2013

"NAS MÃOS DE DEUS". CERTIDÃO DE NASCIMENTO SÓ DEPOIS DE ADULTA!

A matéria em reportagem, no Bom Dia Brasil de hoje, TV Globo, era sobre estatísticas dos números de crianças com entre um e cinco anos, cujo nascimento ainda não foi registrado. Uma senhora dizia, com orgulho, que sentia-se inserida no mundo social, agora com registro de nascimento. Antes, sentia-se excluída. Mais ou menos isto. O registro de nascimento, segundo ela, foi obtido há pouco tempo, depois de muito esforço.
Fotografei a cena, imagem da TV Globo, no ar. Chamou-me a atenção uma página pregada na parede, como um cartaz:

"Nas mãos de Deus"


A senhora "sem registro" traz
dois filhos (ou netos, não sei bem) ao colo.
Realmente, é preciso ter muita fé, em um país em que o discurso oficial nega a existência de miséria, como se não fosse miséria uma senhora adulta não ter tido oportunidade de ter sido registrada, quando criança.
Note-se que, nesse item - número de pessoas sem registro de nascimento - a situação do Brasil é até razoável, em comparação com outros países, ainda que haja em torno de seiscentas mil pessoas nessa situação, segundo a reportagem. Isto pode concorrer para melhorar a imagem do mundo oficial, mas cantar vantagem ainda depende de muita assistência, em vários aspectos.