6 de fev de 2015

ÁGUA! SE FOR VERDADE...

Tenho ideias estranhas sobre uso humano da água. Penso que devemos gastar o necessário, sempre, e pressionar o governo a prover as populações da água necessária. Para não sermos pressionados a gastar menos do que o necessário. Se cedermos a essa pressão, os índices estatísticos de demanda de água para uso humano acabarão reduzidos, o que servirá de base a planejamentos futuros, colocando menos água à disposição dos cidadãos.
Pode não parecer sério. Mas não me parece sério o governo desenvolver campanha - como desenvolveu - tentando induzir as pessoas a deixar para fazer xixi na hora do banho, para economizar águas em descargas. Ninguém me contou. Vi as matérias publicitárias pela TV. Parece-me que é nada saudável segurar o xixi. Mas isto não preocupou os publicitários nem a quem pagou seus serviços, com o nosso dinheiro. Nem me parece sério querer exigir que os cidadãos economizem água, no mesmo momento em que 37 por cento da água tratada estão sendo desperdiçados em vazamentos nas redes (não estou inventando, os telejornais estão mostrando e as concessionárias dizem que estão providenciando, o que só confirma). Como acho nada sério tratar o sistema elétrico conforme foi anunciado no Fantástico, no início de 2013, com R$ 500 milhões em equipamentos importados, encaixotados em depósito de obra inacabada, bem como pagamento, por nós, claro, de R$ 33 milhões/mês, porque o governo não construiu linhas de transmissão, no setor elétrico, o que impediu a geração de energia em um parque eólico (está detalhado em "SÓ MESMO COM CHINELADA NA BUNDA", em - http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2013/01/so-mesmo-com-chinelada-na-bunda.html).
Segundo está no facebook, a fonte
é a Agência Nacional de Águas (ANA).
Agora, aparece-me uma comparação do uso de água, em diversos setores da economia, com o uso humano. É coisa que sai na rede e não posso atestar a credibilidade. Mas prefiro acreditar nisto do que em quem me manda fazer xixi só na hora do banho. E sei que tem boi peidando horrores nos enormes pastos, prejudicando a camada de ozônio. O quadro está aí. Se for verdade (como outros fatos o são), é importante que a sociedade se posicione, para não seguir sendo sempre espezinhada.