8 de abr de 2012

PEÇO DESCULPAS AOS JOGADORES DE FUTEBOL

Desculpem-me!  De coração!
Eu pensava que era só no futebol. Preconceito, talvez?. Sabemos da baixa escolaridade de um grupo muito significativo de jogadores de futebol. Sabemos que o ingresso na escolinha afasta o jovem da escola, porque a atividade de preparar-se para o profissionalismo consome muito tempo.
Mas nem tanto preconceito. Sempre achei que toda profissão merece respeito e deve ser valorizada. Falei disto, no dia 6 (Tudo meu é mais importante). Conheci um sujeito que se dizia "doutor pedreiro". Conhecia muito bem a profissão. Ah! Conheci um mestre de obras que falava que o servente dele não era nem "alistrado" no Exército; em vez de cômodo, falava condo. E assim por diante. Mas foi dele que recebi a maior lição de dignidade profissional a que assisti até hoje: diante do doutor arquiteto, mostrou que soubera armar uma laje, com perfeição, com base no projeto. Mas quando o arquiteto disse que podia encher a laje, respondeu: arranje outro mestre de obras porque eu não encho esta laje. Vai cair. Acabou convencendo o arquiteto a fazer modificações (o arquiteto conhecia a capacidade profissional dele). Não é mole colocar o emprego à disposição, em nome de um princípio técnico.
Bacana demais!
Mas e os jogadores de pouca escola formal?
Ah. Hoje, assisti a uma entrevista com um jogador de volei de "primo cartelo", como costumava dizer minha mãe. O repórter perguntou-lhe por que o time dele começara mal o set e depois arrasara. Ele respondeu que ainda estava preocupado com a derrota no jogo anterior. Emendou:
- Depois, nós se soltamos e conseguimos controlar a situação.
Desculpem-me, jogadores de futebol! Gosto de comentar mas tenho muito o que observar e aprender.

Foto: BM Esportes (blogmaneiro).
http://esportes.blogmaneiro.com/volei/quadra-de-voleibol