29 de mar de 2014

BOM PRA MIM NÃO, BANCO DO BRASIL!

Ouvi notícia de que há um projeto no Congresso, para melhorar o Código de Defesa do Consumidor. Penso que é desnecessário, pelo menos enquanto não tivermos ações proativas (como gostam os novos administradores) para fazer vigorarem as regras do atual. Vou falar apenas de minhas relações com o Banco do Brasil (consegui domar algum impulso que ignorava, mas que me levava, sempre, a escrever "Bando do Brasil". Involuntariamente, de verdade.
Temos visto propaganda enganosa do Banco do Brasil, falando em "BOM PARA TODOS", escrito nas peças publicitárias em única palavra, tom coloquial, "BOMPRATODOS".
Tenho bronca com alguns tipos de publicidade. A tal "testemunhal", em que o propagandista coloca um artista bonitão, uma atriz linda, um craque de futebol, afirmando, categoricamente algo sobre um assunto em que não é especialista, não me desce na goela. Frequentemente, trata-se de propaganda enganosa, porque o artista bonito, a linda atriz, o craque de futebol, por fatores emocionais, levam o consumidor a acreditar que falam a verdade.
Vamos ao "BOMPRATODOS": estava em Belo Horizonte, no Shopping Patio Savasse, querendo sacar no terminal eletrônico. Estava inoperante e assim ficou durante uma semana. Infelizmente, não fotografei. Depois, em Patos de Minas, no Shopping Pátio Central, encontrei o terminal eletrônico inoperante e assim ficou durante cerca de um mês. Depois de um tempo assim, apareceu um aviso de que a manutenção dependia de peça que era preciso esperar. Hoje, está ativo. Estive na cidade de Passa Quatro, de lereia. Fui ao caixa eletrônico, durante o carnaval, única agência da cidade fechada. Todos os quatro ou cinco terminais estavam inoperantes. Veja-se que relato impossibilidade de saques em lugares aonde se costuma gastar dinheiro (shoppings) e em época em que incide o mesmo fator (carnaval).
Agora, em Patos de Minas, a gota dágua, que me leva a usar o cadikim como muro de lamentações: um cartaz simples, papel AR, informa-me que, em uma das agências, a sala de autoatendimento estará fechada aos sábados e domingos; para saques e depósitos, disponível nos dias úteis entre as nove e as dezessete horas e, para demais transações, até as vinte horas.
Antes de discutir a questão: o que gerou o autoatendimento? Em primeiro plano, a tecnologia disponível; em segundo plano, uma vontade imensa dos bancos de verem suas agências livres de clientes incômodos, em enorme quantidade (para eles, quanto mais contas melhor). Expulsaram-nos das agências, economizando enormemente em pessoal e em espaço físico. Será que agora querem remeter-nos à internet? Não quero, não trabalho com esse artigo, para ações financeiras.
Então, discordo, visceralmente, de que o Banco do Brasil, depois de - em seu próprio benefício, claro - ter-nos acostumado a operar em qualquer hora do dia ou da noite, feche agências e terminais, conforme seus exclusivos interesses. Se vierem me dizer que não estão obrigados a manter atendimento - ainda que auto - a não ser nos horários de expediente. Parece verdade. Mas ficará claro que apenas quiseram "dourar-nos a pílula" para mostrá-la nua e crua, quando lhe interessasse mais aos lucros. Agências fechadas e terminais inoperantes reduzem custos diversos, incluindo reabastecimento de numerário em terminais.
Quanto ao motivo alegado - "motivos de segurança", sem explicitar que aspectos de segurança - meu primeiro argumento é no sentido de que não tenho contrato de segurança com o Banco do Brasil. O contrato é de guarda de dinheiro e disponibilidade dele. Há outras questões ocultas, que poderão
SHOPPING EM PATOS DE MINAS
existir ou não
: o Banco do Brasil não quer se desfazer de dinheiro que está depositado com alguma vantagem; o Banco do Brasil está com problemas de liquidez e por isto reduz a possibilidade de saque.



AGÊNCIA EM PATOS DE MINAS

Posso pensar o que quiser, quando não há transparência.
Bom pra quem? Pra mim, não!
Ora direis: por que não remete a questão a juízo? Os bancos sabem que a lentidão de nosso poder judiciário é um incentivo a "aguentar a mão". Além do mais, não observam o Código de Defesa do Consumidor, no que trata da Política Nacional das Relações de Consumo. O art. 4º, que se refere a transparência e harmonia das relações de consumo, fixa os seguintes princípios dessa Política. Um desses princípios está no inciso V:

 V - incentivo à criação pelos fornecedores de meios eficientes de controle de qualidade e segurança de produtos e serviços, assim como de mecanismos alternativos de solução de conflitos de consumo;

Estou anexando um link do OtárioAnonymous (Canal do Otário), do qual usei uma imagem para ilustrar esta postagem (estou pedindo que me aprove, sob pena de remover). Há um vídeo de que gostei muito. No entanto, a personagem usa linguagem chula, para xingar. Não é minha praia, embora respeite. Estou, então, anexando o link onde pode ser visto o vídeo, que, quando a direitos do consumidor e conduta de fornecedor, é muito ilustrativo.

Link para acessar o vídeo referido:
https://www.youtube.com/watch?v=0w9z90Wdhi8

Imagens:
CAIXAS ELETRÔNICOS INOPERANTES E AVISO EM AGÊNCIA: o blogueiro.

"BOMPRAQUEM"
https://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&site=imghp&tbm=isch&source=hp&biw=1920&bih=955&q=banco+do+brasil+bom+pra+todos&oq=banco+do+brasil+bom+pra+todos&gs_l=img.3..0j0i24.1408.7569.0.7834.31.24.1.6.7.3.264.2651.13j7j4.24.0....0...1ac.1.38.img..7.24.1539.MuyZlqp8fFM#facrc=_&imgdii=_&imgrc=FHGC4oGJ7mP4eM%253A%3BfqjjV_pEGBp-oM%3Bhttp%253A%252F%252Fi.ytimg.com%252Fvi%252F0w9z90Wdhi8%252F0.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Fwww.youtube.com%252Fwatch%253Fv%253D0w9z90Wdhi8%3B480%3B360


Postar um comentário