12 de ago de 2014

QUEREMOS MESMO MELHORAR NOSSO FUTEBOL?

Petros Corinthians (Foto: Reprodução)Vejo, no "Arena Sportv", agorinha, mesmo, repercussão da discussão acontecida, ontem, no "Bem Amigos", envolvendo a ação de Petros, do Corinthians, no jogo contra o Santos, na Vila Belmiro. Estão achando exagerada a punição prevista em lei, de 180 dias de suspensão. O Arnaldo César Coelho chegou a criticar o ato do árbitro, de fazer um adendo à súmula (o que a norma lhe permite fazer), indicando que, depois que viu a imagem, pela televisão, entendeu que a ação foi deliberada.
É claro que o árbitro não poderia ter visto isto antes, porque foi atingido pelas costas.
Assisti ao jogo e vi várias repetições do lance. Petros mudou de direção para avançar na direção do árbitro, que estava de costas, chocou-se com ele e ainda projetou o braço sobre o mesmo. Quem estiver discutindo outra coisa estará desviando-se da verdade.
Como acho que se desvia da verdade quem procura inocentar o jogador, querer que seja excessiva a pena legal... O advogado de Petros tem a obrigação de defendê-lo da melhor maneira, e poderá usar de todos os argumentos.
Mas não concordo com que os analistas de televisão façam isto. Tenho dito, neste cadikim, que as posturas de vários analistas estimulam a violência, mesmo querendo parecer inocentes. Vê-se, claramente, que os jogadores de futebol já não guardam o mesmo respeito pelo árbitro, como ocorria há muito tempo. Nem como os jogadores de outros esportes respeitam seus árbitros. Mesmo porque lá a coisa é mais séria. No futebol, muitos jogadores chegam a "louvar" o juiz, acintosamente, como já foi escrito aqui, várias vezes. No jogo em questão, por exemplo, Guerrero provocou demais o árbitro.
Penso que não podemos considerar isto inerente ao jogo. Não é!
Finalmente: se todos os "especialistas" acham que o futebol brasileiro carece de mudanças fundamentais, acho necessário ampliar esse "fundamentais": educação do jogador, educação dos analistas, educação de todos os que lidam com o esporte, porque não adianta podermos ser capazes de incorporar as melhores técnicas e táticas, se não formos capazes de excluir preferências, paixões e interesses dos comentários futebolísticos.

Foto: globo.com
Postar um comentário