17 de jun de 2016

"DESABAFO" DE NEYMAR EM REDE SOCIAL: NEM COM SIMANCOL!

Não gostaria de estar falando de particularidades do Neymar Jr., que considero ótimo jogador de futebol mas, por outra banda, verifiquei várias condutas do rapaz que não me agradaram nem um pouquinho. Agora vem aí a mensagem que divulgou - e que muita gente leu (502 mil curtidas) e até comentou (22.284) - depois que a seleção brasileira foi desclassificada na Copa América Centenário.
Apesar de achar o moço ótimo jogador, falta algo para que possa ser chamado de craque, o que não se consegue apenas nas concentrações, nos treinamentos, nos jogos... E farmácia não vende simancol, pelo que me consta. Recentemente, sem ir fundo, Neymar deixou a seleção em dificuldade, por causa de uma expulsão por ato pueril.



É aquela velha mania nossa do endeusamento. O futuro atleta ainda mal havia saído dos cueiros e já era comparado a Pelé, já tinha defensor para que tivesse sido convocado (inclusive com crítica a Dunga por não tê-lo chamado) para a seleção brasileira e até desrespeito com ofensa ao "professor", por não ter permitido que cobrasse um pênalti. Renê Simões, àquela época, falou, enfático: "Nós estamos criando um monstro no futebol brasileiro". No contexto, a palavra "monstro" não tinha o significado de "grande jogador, espetacular" o que Pelé, sim, foi, mas a imagem negativa de um atleta ("eu poucas vezes vi alguém tão mal educado desportivamente como esse rapaz..." o que pode ser ouvido em https://www.youtube.com/watch?v=TUFdRnLuY_c.

Mais de seis anos depois de levado à categoria principal, vejo Neymar afastar-se mais de Pelé do que se aproximar dele, em todos os sentidos. É bem verdade que Neymar não tem perto dele, na seleção brasileira, os craques que passaram por ela, em 1958, 1962 e 1970 (sem contar a maravilha de 1982, Pelé ausente). Nesse item, acho mesmo que tem sido prejudicado, até pelo fato de lhe atribuírem muito mais responsabilidades do que aos outros. Mas não vejo isto como justificativa para deixar de lado os torcedores inconformados com a desclassificação - esses, sim, em grande maioria, que "ninguém sabe o que sofrem" para pagar os ingressos que sustentam o futebol, que tem muita renda fora dos estádios, também - para cerrar fileiras em torno dos jogadores que, infelizmente, fracassaram. Teria sido de bom tom se lhes tivesse passado uma mensagem de otimismo, na base do "sinto muito", e exortando-os a se animarem para a próxima empreitada.
Infelizmente, Neymar preferiu ficar no subsolo!

Imagem com texto: Veja São Paulo.
http://vejasp.abril.com.br/blogs/pop/2016/06/13/neymar-desabafo-derrota-brasil-copa-america/

Postar um comentário