18 de jun de 2016

O POETA WANDER PORTO DÁ O AR DE SUA GRAÇA

__________TRIVIAL__________

Procurei-te nas liras e nas odes,
Devorei textos e cenas de novelas

E por mais que eu queira não explodes
Nas sete mil cores do focal das telas;

Encomendei aos sábios um compêndio,
Um decreto-lei sobre o amor pertinaz...

Em vão. Só em tempo, putz, quanto dispêndio,
O calhamaço foi de todo ineficaz.

Convoquei Best-sellers épicos e probos
Que dessem luz tanto a mim quanto a ti

E nos resgatasse do ofício de bobos:
-Garimpeiros de nós nos Rios da Noite!

-Que faço? Finjo que não estou nem aí?
-Fujo? Onde nunca me encontrarias?

-Bobagens, sempre nos achamos por aqui!
-Onde? Ora... aqui, na trivial Poesia dos dias! 


Arte: WP
Postar um comentário