4 de jun de 2016

O POETA WANDER PORTO DÁ O AR DE SUA GRAÇA


Tempos atrás
Saíamos,
Noturnos pardais,
Madrugada afora
A colher estrelas
E algumas bruxas.

Arte: WP com foto google
-Em céus tempestuais
Ou translúcidos
Tínhamos sempre
Colheita farta-

Mas,
Só nos contentávamos
Manhãzinha,
Na rodoviária,
Nos bares de insônia
E seus cardápios
De assombrações:

-Com algumas
Co(mu)lheres
De escaldado pranto.