13 de dez de 2016

PALAVRAS DE ORDEM

Estão por toda parte. Em manifestações (fora isto, fora aquilo, fora aquele...), em hinos (pátria amada, salve, salve - por exemplo), nos estádios (juiz ladrão!), e assim por diante.
Aparecem como por encanto, sabendo-se que algumas são imitações, não se sabendo quem é a pessoa imitada, outras de uso comum, sem que se saiba de onde surgiu.
Coisa de moda: aparecem e são substituídas sem ninguém saber como, nem por que.
notaderepudioSEESEAh! Mas estamos ouvindo duas palavras de ordem em Brasília, bem atuais, e com grande freqüência, sem sabermos quem está sendo imitado, mas podendo supor os motivos. Penso que é para ver se colam. As palavras são: "repudio" (não é repúdio, que só tem aparecido por escrito); é repudio no presente, primeira pessoa) e "veementemente".

Imagem: Plataforma Política Social.
http://plataformapoliticasocial.com.br/nota-de-repudio/
Postar um comentário