11 de mar de 2015

DEVE MESMO SER MUITO DIFÍCIL SER DEPUTADO OU SENADOR. 316 VETOS PARA DECIDIR, DE UMA ASSENTADA. DAÍ, MUITOS ACABAM ATRASANDO-SE PARA A VOTAÇÃO E PERDEM A OPORTUNIDADE

Nuvens carregadas sobre o prédio do Congresso Nacional, em BrasíliaPrimeiro: por que acumular vetos em 316 dispositivos, em nove projetos de lei? Ou cuidam de outras coisas mais importantes, ou menos importantes, ou desimportantes; ou não cuidam de coisa alguma; ou discutem o indiscutível; ou embolam o meio de campo por incapacidade de produção; ou embolam o meio de campo de propósito...
Tentei, hoje, assistir à votação do veto da tabela do imposto de renda. Vejo que há 316 vetos presidenciais para serem apreciados. Um tumulto! Só consegui ver discussões sobre a jornada de trabalho das psicólogas do serviço público de saúde (falou-se apenas no feminino, representado nas galerias, embora em ache que deve haver psicólogos, também), e sobre obrigações previdenciárias dos trabalhadores domésticos. Muitos deputados não votaram porque não estavam presentes. Uns, presentes, reclamam que a mesa deveria esperar a chegada de número maior. A mesa diz que a Câmara dos Deputados está mobilizada desde hoje cedo. Vi alguns oradores pedirem que parlamentares que se encontrassem fora do plenário a ele comparecessem, para poder votar. Mas aonde será que estavam esses ausentes? Poderiam estar? Não tenho leitura para entender isto.
Uma loucura! Falam, falam, não resolvem. Enquanto isto, não tratam do veto que me interessa - tabela do imposto de renda.
Será que estão querendo mostrar que precisamos de mais deputados e senadores?

Imagem: veja.com
http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/quase-um-terco-do-congresso-ja-sofreu-condenacao