22 de mai de 2013

ESSE MEU OUVIDO!...

É involuntário, juro! Mas acabo ouvindo coisas na rua que dão asas à minha imaginação. E quanto menos é falado mais tem liberdade o imaginário: posso pensar o que quiser. O celular veio potencializar as oportunidades de ouvir, já que as pessoas conversam na rua, como se estivessem sozinhas.
Hoje, saindo da academia, vi uma moça sentada, à entrada, falando ao celular. Ouvi muito pouco:
"... na rua. ...me olhou com cara feia...". Só isto.
Imaginei: deve ser briguinha de namorados. Devem ter passado um pelo outro, na rua e o namorado fez cara feia (muito tosco!). A jovem devia estar chorando mágoas com a amiga. Reportei-me à moda antiga, quando essas briguinhas costumavam ser resolvidas em sambas-canção, como em CONSELHO:

Se você me encontrar pelas ruas
Não precisa mudar de calçada
Pense logo que somos estranhos
E que nunca entre nós houve nada.

Não precisa baixar a cabeça
Pra não ver os meus olhos nos seus
Passarei por você sem rancor
Sem lembrar que entre nós houve adeus.

..................................................




Maysa



Quem tiver interesse em conhecer a letra toda, encontrará em http://letras.mus.br/emilio-santiago/603747/#. Não consegui abrir o áudio, nem por Emílio Santiago, nem por Maysa.
Não estou certo quando à(ao) compositora(or). Pode ter sido Maysa. Mas penso que não pode ser de Emílio Santiago. Muito mais antiga...