27 de jun de 2012

CORINTCHAAAAAAA!

Não compartilho do entusiasmo que um time de futebol desencadeia, como se fosse "A Pátria em Chuteiras", como quis o grande Nelson Rodrigues. Adoro futebol! Mas só ver jogar. Verdade: a única coisa com que a velhice me incomoda é não poder jogar futebol. Mas daí a empenhar minha própria vida - como está no hino do Corinthians - para um time de futebol, vai uma distância muito grande. Tenho coisas interessantes a fazer e a pensar. Sou uma pessoa, não um pontinho no meio da torcida. Prepotência? Pode ser. Mas não desvio meus interesses - e, creio, interesses de milhões de pessoas - como se uma partida de futebol decidisse sobre eles. Saúde, Amor, Oportunidades, Liberdade, Respeito... Tanta coisa esquecida por causa de uma final de Libertadores. É demais pros meus sentimentos, tá sabendo?
Fui um atleticano moderado, de ir assistir a jogos daquele Cruzeiro fantástico. Estou no último quarto da vida. Feliz. Não sei como estaria se tivesse acumulado os muitos sofrimentos e as muitas frustrações que vi atleticanos e torcedores de outros clubes introjetando em seus interiores. Pessoas que arrastarão esses sofrimentos e essas frustrações até a sepultura. Realmente, tenho pena de ver, pela TV, pessoas pobres, mal vestidas, desdentadas, com expressões horrorosas de sofrimento, porque seu clube não consegue fazer um gol. Não consigo ver torcedores com expressões de enlevo, de carinho. São expressões de ira, de poder extremado (um poder que o torcedor comum não tem), de apreensão, de tristeza... Acho que a vida não pode passar por ali.

Foto: Vindo dos Pampas.
http://vindodospampas.blogspot.com.br/2011/05/torcedor-do-flamengo.html