29 de jun de 2012

SUCESSO NO FUTEBOL: DRIBLANDO COMPORTAMENTOS E REALIZANDO SONHOS

Todos temos sonhos. Um dos mais acalentados parece-me ser o sonho do sucesso. Sonho e não vontade. Pela vontade, sabemos que temos de desenvolver esforços e suportar sacrifícios. Sonho é que é bom: algo que aconteça da noite para o dia e pronto! Está aí o sucesso.
Como todos temos sonhos, o terreno é fértil para admitir e até aplaudir a realização de sonhos alheios. Isto parece-me bom, porque revela um lado favorável de nossos julgamentos.
Há alguns dias, um rapaz muito jovem e quase desconhecido virou "o mais". Romarinho, nascido em Palestina, interior de São Paulo, fez o gol de empate do Corinthians contra o Boca. A cidade viu-se assediada por repórteres, que queriam informar sobre as origens do rapaz. O ex-técnico disse que levou Romarinho para o Bahia mas que o então adolescente chorava, querendo voltar para sua terra, para perto de sua família. Passou pelo São Paulo. Segundo a reportagem, não ficou porque não gostava de estudar. Foi para o Timão. Entrou no fim da partida, fez o gol e está na mídia e na admiração dos manos. 
Balotelli mostra os músculos, ato que valeu um cartão amarelo e comentários irônicos / Gabriel Bouys/AFPOntem, um negro, com 21 anos de idade, fez os dois gols da seleção italiana contra a alemã. Balotelli, filho de um casal de ganeses, que o abandonaram no hospital, onde foi cuidado pelos médicos, até cerca de dois anos de idade, quando foi adotado pela família Balotelli. Após o segundo gol - um golaço, desde a colocação para receber a bola, passando por uma "matada" no tronco, deixando a bola mal encostar para colocá-la na frente, terminando com um canhão que colocou-a no ângulo do gol alemão, a mais de 100 km/h. Também ocupou grande espaço na mídia, mais talvez pela comemoração de tronco nu, cara de mau, contração muscular, quase um Hulk, não fosse a enorme diferença de massa. Tem história, também: polêmico, encrenqueiro às vezes, folclórico (disse que não tem por que comemorar gol, porque faz sua obrigação; arremata: o carteiro comemora quando entrega uma carta? mais: disse, ironizando, que o juiz aplicou-lhe o amarelo porque teve inveja de seu porte físico).
Duas histórias com alguns pontos semelhantes. Romarinho não gosta (ou não gostava) de estudar, no que não difere muito da maioria dos jovens que buscam o futebol como alternativa (única) de futuro, foi o salvador da lavoura, contra o Boca e é o corintiano da hora. Balotelli, uma criança abandonada pelos pais, no hospital, ofendido pelas demonstrações de racismo, apronta algumas enquanto se destaca como goleador, agora meio-herói.
O sucesso é a panacéia. Deixa à mostra apenas os aspectos positivos da pessoa, ocultando outros que podem complicar-lhe o futuro, como tem acontecido com muita gente.

Foto Romarinho: GAZETA ESPORTIVA.net
http://www.gazetaesportiva.net/noticia/2012/06/corinthians/feliz-por-brilhar-romarinho-nao-cobra-vaga-vamos-buscar-o-titulo.html
Foto Balotelli: Band.com.br
http://www.band.com.br/esporte/futebol/eurocopa/italia/noticia/?id=100000513641

Postar um comentário