19 de mai de 2015

ESPANTO: NÃO CONSEGUIMOS ENTENDER O RACISMO. NEM OS RACISTAS.

Foi coisa lá do COB - Comitê Olímpico Brasileiro. Atletas que se preparam para as próximas olimpíadas fizeram "brincadeirinhas" racistas com um colega.
Acho lamentável, porque, se seguirem vencedores, essas atletas poderão virar "formadores de opinião" (temos gente que se destaca em várias atividades, e que, de repente - milagres da mídia - começa a palpitar sobre assuntos de que nada entendem e que nada têm a ver com mesmas atividades).
Não entendo que isto aconteça em meio esportivo, já que, sem falar em outras atividades em que negros se destacam, o ambiente esportivo depende de um número considerável de negros para obter sucesso, no atletismo inclusive. Se aqueles rapazes da "brincadeirinha" forem às olimpíadas, irão encontrar e, certamente, defrontar muitos por lá.
Pior: os rapazes que acharam de fazer "brincadeirinhas" disseram, na maior cara de pau, que nós não os entendemos.
Não vejo imagem para ilustrar este texto. Prefiro lembrar a letra de uma canção que fala do assunto de um modo muito emotivo, e transcrever pequeno excerto. A canção chama-se Angelitos Negros.






"Siempre que pintas iglesias,
pintas angelitos bellos.
Pero nunca te acuerdaste
de pintar un angel negro."


Foto: Lalus fecit - partituras para coro.
http://lalusfecit-partituras.blogspot.com.br/2014/01/angelitos-negros.html

Para ouvir a canção
https://www.youtube.com/watch?v=k8V-EkTeX7U