7 de mai de 2015

QUE ME DESCULPE O SENHOR ARNALDO CÉSAR COELHO! SOU CONSUMIDOR DE COMENTÁRIOS ESPORTIVOS E NÃO ESTOU AQUI PARA INCOERÊNCIAS.

Bem sei que estou sendo nada delicado. Mas passou da conta. Tenho feito muitas observações sobre comentaristas de arbitragem, sendo que o Senhor Arnaldo é o meu preferido, provavelmente porque seja aquele a que mais assisto, por questão de acesso a canal.
Vou enumerar as observações feitas neste cadikim, e será fácil verificar que a situação que só agora a CBF pretende erradicar estava, de uma certa forma, adivinhada por aqui. É claro que o cadikimdicadacoisa é um blog humilde, sem pretensão de vir a figurar em quaisquer jornais, mas o blogueiro gosta de dar pitaco. Mesmo sabendo que especialistas não têm por quê lançar-lhe os olhos muito ocupados.
Vamos lá.
No dia 22/01/2012, sob o título "Como ficam os juízes de futebol" (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/01/como-ficam-os-juizes-de-futebol.html), cadikim opinava que algumas críticas desconexas e, às vezes contraditórias, de comentaristas de arbitragem, podem acabar constrangendo e até confundindo os árbitros, posto que não é raro vermos comentaristas falando em "administrar" o jogo, sem observância das regras. Cadikim pensa que, não sendo observadas as regras, passa a valer o humor do árbitro.
Em 26/11/2012, sob o título "Arnaldo César Coelho Superou-se" (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/11/arnaldo-cesar-coelho-superou-se.html), o Senhor Arnaldo quis disputar com o computador e ainda teve um colega para dizer que o Senhor Arnaldo não erra, que o erro teria sido do computador.
Em 25/10/2012, falou daquilo que entendeu ser uma "cariocada" do Senhor Arnaldo (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/10/ainda-arbitragem-do-atletico-x.html), porque o mesmo comentou jogo que disse não ter visto comentário que, ao cadikim, pareceu parcial.
Em 01/11/2012, o cadikim preocupa-se com as cargas que jogadores fazem sobre os juízes", em franco desrespeito, e cita estória e fato concreto pretéritos, que poderiam ser paradigmas para arbitragens (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/11/as-cargas-sobre-os-juizes-de-futebol.html).
Em 29/04/2014, o cadikim viu uma hipótese de os critérios de comentaristas estarem voluntária ou involuntariamente ligados a clubismos e/ou regionalismos (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2014/04/criterios-de-arbitragem-criterios-de.html). Certamente, alguns irão dizer que mineiro só pensa assim, em preferências por futebol carioca e/ou paulista. Os mineiros devemos estar redondamente enganados! Em 05/04/2014, cadikim discutiu o que comentaristas chamam de "coisas do jogo". Falou de violência verificada em um jogo Grêmio x Corinthians, sub 17 (escola de futebol, gente!), contrapondo-se à opinião do comentarista que reputou aquilo "coisa de jogo" (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2014/04/coisa-do-jogo.html).
Em 12/08/2014, logo depois da malfadada copa, o cadikim pergunta, preocupadíssimo, "mormentemente" (ave Odorico Paraguassu!) por causa dos 7 a zero, se "Queremos mesmo melhorar o nosso futebol?" (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2014/08/vejo-no-ta-na-area-agorinha-mesmo.html). Comentários que cadikim vê como potencialmente capazes de estimular todo tipo de indisciplina, em âmbito geral - atletas, árbitros, treinadores, dirigentes, comentaristas, torcida... E que a este mesmo cadikim parecem contribuir para mantença da situação de atraso no nosso futebol.
Pois bem. Na última segunda feira, Bem Amigos no ar, falou-se que a CBF recomendou que os juízes imponham disciplina rigorosa (cheira-me a "inquérito rigoroso"; basta o "disciplina"). Falou-se até que juiz "banana" não apitaria nas rodadas seguintes. Foi quando o Senhor Arnaldo falou de um pênalte a favor do Atlético Mineiro, não apitado. Um agarramento por trás. O Senhor Arnaldo falou que, antes da jogada, o juiz deve advertir os jogadores: "se agarrar, eu marco pênalte". Meu Deus! (como costuma bradar o Milton Leite). Mas a regra já adverte. A CBF deve, no máximo, é mandar uma orientação para os clubes, dirigida a treinadores, dirigentes et caterva, dizendo que vai aplicar a regra (orientação de deveria ser totalmente desnecessária, já que, como diz o mesmo Senhor Arnaldo, "a regra é clara". Falou, também, das irregularidades verificadas no jogo Santos x Palmeiras.
No entanto, uma voz serena apareceu: o Cleber Machado falou algo do que o cadikim vem falando: se o juiz é "banana", é criticado; se é exigente, é criticado. E perguntou: o que é que queremos?
O que pode ser feito (e o cadikim acha que poderá ter efeito positivo), é, quando houver escanteio ou falta perto da área, um jogador passando o braço, inocentemente, pela cintura do adversário, chegando mesmo a tocá-lo - situação mais do que encontradiça na zona do agrião, em todos os jogos - se não incidir interesse amoroso entre ambos, o árbitro mostrar-lhe o cartão amarelo (no que promoveu o "assédio"). Penso que não passará da primeira vez.
Mas, pelo amor de Deus, não me venha mais o Senhor Arnaldo César Coelho falar em "advertir" de que vai marcar pênalte.
Não cai bem para um cracaço da arbitragem!


Imagem - Metal JR22
http://www.apitosrocket.com.br/internas.php?cont=apito-rocket-metal-jr22
Postar um comentário