28 de nov de 2012

POR RECOMENDAÇÃO MÉDICA

Meu amigo Assis é artista. Música, desenho, pintura são algumas de suas habilitades. Muito na dele, não expõe essas habilidades, só conhecidas por uns poucos. Anísio Dias, professor de música e ótimo violonista, é um dos admiradores da arte musical de Assis. E olha que se o Anísio elogia, é porque é, no mínimo, muito bom.  Cristina, reconhecida no mundo do desenho e da pintura, em nosso meio, admira o desenhista e pintor Assis. E assim por diante. Minha mulher foi colega dele na escola primária. Disse-me que era o show da escola, aos sete, oito anos de idade. Chegava ao quadro e deitava desenhos muito bacanas. Só que Assis continua fazendo suas artes muito mais para si do que para os outros. De vez em quanto, hiberna e afasta-se de uma ou outra das habilidades. Acho que estava afastado do violão.
Contou-me que, há alguns dias, sentindo-se algo estressado, procurou um médico. O doutor disse-lhe que precisava relaxar e perguntou que atividades de lazer são de seu agrado. Assis respondeu que gosta de música. O médico aconselhou-o a tocar mais.
Arrematou meu amigo: agora, estou tocando por recomendação médica.
Tomara que mostre mais do seu talento para mais pessoas. Tomara que o fator "recomendação médica" tenha atuado sobre suas vontades, de modo a viabilizar a exposição do talento para mais pessoas.
Lembrei-me de um fato semelhante - situações diferentes, mas com argumento parecido: a determinante passa a ser outra. Um amigo contou-me que havia um preso, na cadeia pública de Uberaba, que costumava fugir. Como permanecia na área, era capturado e recolhido. Dali a pouco, nova fuga e assim por diante. O delegado já estava cansado daquela leréia. Foi quando o cabo do destacamento aconselhou-o:
- Capitão, experimente deixar uma escada encostada, "em pé", no muro da cadeia, assim de bobeira mesmo, e recomende ao guarda que finja um descuido. Esse preso vai desaparecer.
Dito e feito: deixaram a escada encostada no muro, como recomendado pelo cabo. O guarda simulou um cochilo e olha o preso no olho da rua.
Desapareceu do pedaço, definitivamente. O delegado interpelou o cabo:
- Por que você podia garantir que ele iria desaparecer?
O cabo, muito seguro de si, sentenciou:
- Agora, Capitão, ele tornou-se um foragido da lei. Vai correr mundo!

Imagem de médico: Tudo sobre sonhos.
http://tudosobresonhos.blogspot.com.br/2011/02/significado-de-sonhar-com-medico.html

Imagem de violonista: Mariana Bonifatti Pinturas.
http://mbonifatti.blogspot.com.br/2010/10/serie-branco-preto-vermelho-violonista.html
Postar um comentário