19 de abr de 2015

GALO NA FINAL DO MINEIRO. VIRADA SENSACIONAL: DE UM EMPATE QUE DAVA A VANTAGEM DE OUTRO EMPATE AO CRUZEIRO, SAIU ATRÁS E VIROU O JOGO E A CLASSIFICAÇÃO. GUILHERME O NOME DO JOGO.

O primeiro tempo foi do Cruzeiro. Fez 1 x 0 e jogou melhor. O gol do Cruzeiro foi resultado de enorme esforço de William para não deixar a bola sair pela lateral. Conseguiu e cruzou. Na sequência da jogada, Arrascaeta completou para o fundo do gol. No segundo tempo, Guilherme substituiu Leandro Donizete e comandou a virada. Ora, direis: Mas foi o Lucas Pratto quem marcou os dois gols. Sim! Foi ele! Deslocou-se com muita habilidade, em ambos os lances. Mas recebeu lançamentos precisos de Guilherme, de frente para o gol e sem adversário para incomodá-lo. No primeiro tempo, antes que Guilherme tivesse entrado, nenhum atacante do Atlético recebera passes com a qualidade dos dois mandados por Guilherme para Lucas Pratto. E, se não estou enganado (não consegui, ainda, encontrar o lance) foi Guilherme quem fez lançamento preciso para Thiago Ribeiro mandar aquela bola na trave, nos últimos momentos do jogo.
Lucas Pratto aponta para Guilherme, na
comemoração do gol.
É claro que, no segundo tempo, o time do Galo jogou bem, como um todo. Também foi beneficiado pela expulsão de Fabiano (como o Cruzeiro fora beneficiado pela expulsão de Leonardo Silva, no primeiro jogo). Mas o que foi fundamental, mesmo, foi o ingresso de Guilherme em campo.


Foto: GOAL.
http://www.goal.com/br/news/11072/exclusivo/2015/03/04/9507682/lucas-pratto-admite-que-%C3%A9-torcedor-do-boca-e-fala-do-estilo