27 de abr de 2015

A VINGANÇA DO PONTA ESQUERDA



MOSAICO Oswaldo de Oliveira Marcelo Fernandes 26/04/15




Marcelo Barreto, âncora no programa "Seleção", pela SporTV, discutiu
os comportamentos dos treinadores do Palmeiras e do Santos, no jogo de ontem, primeiro da final do paulista de 2015. Ambos foram expulsos de campo, mas continuaram prestando assistência a seus times. O do Santos mais na moita, em um canto de arquibancada, de onde transmitia instruções captadas por movimentos labiais. Já o do Palmeiras escrachou: introduziu-se no meio da torcida palmeirense, na primeira fileira fora do campo, e dali passava instruções, alto e bom som. Indicava substituições, ocasiões em que o substituto aproximava-se dele, ouvia instruções e partia para o campo.
Não teria dado importância a essas irregularidades, já que o que mais se vê em nosso futebol são irregularidades. Mas a importância veio de um episódio que o Cleber Machado - narrador da rede Globo, presente no programa - contou para nós.
Disse que foi o Falcão quem lhe transmitiu: Durante um jogo Grêmio x Inter, o treinador do Grêmio pegou no pé do ponta esquerda do seu time: dá duro, sô! (perdão, che!); corre mais! marca! dá combate!... O jogador já estava cansado da encarnação do técnico. Foi quando se deu o milagre: o treinador foi excluído do jogo (contaram-me, no mesmo programa, que, para treinador, não se usa expulso).
Embora excluído, continuou perto do túnel, gritando instruções para os jogadores.
Foi quando o ponta esquerda aproximou-se do árbitro e falou-lhe, baixinho:
- O senhor expulsou (sacrilégio!) o treinador mas ele está lá fora, dando instruções ao time. O senhor não vai fazer nada?
O árbitro tomou atitude e defenestrou o treinador, para tranquilidade do ponta esquerda traíra.


Foto: ESPN.