12 de mar de 2012

AMBIENTE: MEIO OU FIM?


Vivemos falando em meio ambiente. Tenho comigo, como idéia central, que ambiente não é meio. É fim. Trocadilho? Pode ser. Mas o tema é que é importante. Vem a propósito da passagem de um ano da tragédia de Fukushima. O que conheço é o que os informativos televisivos e a internet mostram. O bastante para gostar nada dessa fúria de criar desastres. Queremos mais, cada vez mais, precisamos suprir nossas necessidades de energia... Um montão de gente ganhando grana com isto.
Não entendo que os governos decidam "suicidar-nos" a cada dia. São usinas nucleares, é a poluição do ar, das águas, dos nossos pulmões, pelo petróleo. A gente sabe que as pessoas que conhecem os riscos, com mais precisão, estarão protegidas. Não estamos no tempo dos cavaleiros andantes, em que o rei costumava comandar pessoalmente seu exército. Hoje, temos gente que fica só atrás do botãozinho. Longe dos bombardeios, dos tiroteios, dos massacres... Assim fica fácil!
Não estou engajado em movimento algum. Só quero respirar e que meus netos respirem. E que não corram os riscos irresponsáveis que o "progresso" causa. Todo mundo sabe que temos fontes de energias limpas. Mais caras? Cara é a minha vida! Infelizmente, isto não diz nada a um governante. Não se trata de posição contrária a um governante determinado. É um grande bando de interessados, no governo e fora dele. Parece um grande feito para a Nação a conquista do pré sal, por exemplo. Mas qual o custo disto? Já vimos o desastre da plataforma do golfo do México. Já vimos alguns acidentes menores no Brasil, mas com reflexos na vida marinha, por exemplo. E respiramos derivados de petróleo. Mesmo tendo um imenso território que - dizem os engajados - poderia ser usado para mudar o perfil da nossa energia. E sol! Temos sol em todo o país. E vento? Temos, também. Será que não é possível projetar uma vida melhor, para nós também (os outros são exatamente os que decidem essas coisas, mas a vida deles não parece má).
PS.: Mostro uma imagem em que aproveito o nome da Exma. Sra. Presidente, para chamar a atenção. Não para atribuir a responsabilidade somente a ela. Penso até que todos nós temos uma ponta de responsabilidade, por menor que seja. Adoramos o "progresso". Miríades de celulares estão aí a demonstrar isto. No frigir dos ovos, todos os governantes do mundo estão caminhando no mesmo sentido. Claro, encastelados em suas seguranças.
Postar um comentário