10 de mar de 2012

COMENTÁRIOS DE VERSOS



Falei, hoje, sobre uma prática que colhi de um professor de história. Experimentei resgatá-la. Tenho pensado nisto, como uma forma que possa ser considerada agradável, por alguns, e ótima para obrigar esta mente preguiçosa a mexer-se. Em meus pensamentos, lembrei-me de uma criação, de pessoa de quem não me lembro, e que ficou muito interessante. Comentava um episódio havido em uma firma, na qual trabalhava a Norma. Houve um desfalque e Norma foi responsabilizada, ou coisa que tal. Óbvio: foi despedida. Vejam o comentário de versos:

A notícia se confirma
e a firma não se conforma.
A Norma lesou a firma
e a firma saiu da norma.
Logo, a Norma sai da firma.

PS: Tive contato, também, com quadrinhas, uma forma poética bem sintética. Minha mãe adorava! Brinquei com algumas. E conheci outras que achei muito bacanas. Vou escarafunchar a memória e ver se trago alguma coisa.

Imagem: Porteiro de Rua
http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=3909210118884130113#editor/target=post;postID=3320479533233333238