31 de jul de 2014

RELAÇÕES GOVERNANTES X GOVERNADOS

Protesto em Buenos Aires.
Acho que sempre foram deterioradas. Desde muito jovem, tenho visto referências desairosas a políticos (enquanto ocupantes de cargos ou não), em charges, em letras de músicas, em anedotas, novelas, filmes, muitas formas e modos de comunicação.
Sempre me perguntei por quê os eleitores continuam votando neles. Sei que há os "engajados", muitos deles interessados em que determinada pessoa, ou partido, continue "no poder", porque suas vidas estão atreladas ou a esses homens ou partidos. Mas vejo que muitas pessoas, não dominadas por essas circunstâncias, são dominadas pela paixão e pela esperança (que, no nosso caso, é uma forma de paixão). Não foi à toa que Antônio Maria assinou o musical "Brasileiro, Profissão: Esperança", com textos de Paulo Fontes, direção de Bibi Ferreira e apresentação de Clara Nunes e Paulo Gracindo (todos muito craques). Quem quiser deliciar-se com detalhes sobre Antônio Maria, encontrará em Projeto Releituras (http://www.releituras.com/antoniomaria_bio_imp.asp).
Recorte da foto acima.
Mas por quê mesmo que eu vim esbarrar aqui? Ah! As relações entre governantes e governados, que acho deterioradas. Nada! Comparando com o que acabo de ver na revista "Exame", de protestos na Argentina, nossos políticos até que são tratados com muita brandura. A imagem diz.

Fonte (inclusive imagens): Revista Exame
(edição 1069, 23/7/2014, pág. 82)
Postar um comentário